Geografia de Fortaleza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sede do Programa Parque Vivo no Parque Adahil Barreto.

O meio ambiente de Fortaleza tem características semelhantes aos que ocorrem em todo o litoral do Brasil. O clima é ameno com temperatura anual média de 26°C. A vegetação predominante é de mangue e restinga tendo o Parque Ecológico do Cocó como a maior área verde da cidade. Seu relevo tem altitude média de quinze metros e o maior rio é o Cocó. A instituição que tem a competência de promover e executar a política municipal de meio ambiente é a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).

Clima[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados de chuva em 24 horas
registrados em Fortaleza por meses
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 180,6 mm 29/01/2004 Julho 72,7 mm 13/07/1985
Fevereiro 131,8 mm 11/02/1978 Agosto 74,6 mm 02/08/2000
Março 162,5 mm 07/03/2004 Setembro 46,7 mm 10/09/2000
Abril 196,1 mm 26/04/1970 Outubro 22,1 mm 16/10/2002
Maio 198 mm 01/05/1974 Novembro 18 mm 09/11/1970
Junho 142,4 mm 02/06/1977 Dezembro 62,5 mm 28/12/1963
Fonte: Rede de dados do INMET. Período: 1961-1970, 1974-1985, 1990 e a partir de 1993.[1]

O clima de Fortaleza é tropical semiúmido (tipo As segundo a classificação climática de Köppen-Geiger),[2] com uma época chuvosa de janeiro a julho e a outra seca de agosto a dezembro. Sua localização entre serras próximas faz com que as chuvas de verão ocorram com mais freqüência na cidade e entorno do que no resto do Estado. A temperatura média anual é de 27 °C. A média pluviométrica é de aproximadamente 1 600 milímetros (mm). Com a maior parte do solo arenoso a agricultura torna-se de pouco expressão econômica, e já na década de 1990 toda a extensão do município foi considerada área urbana.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 e 1970, 1974 a 1985, 1990 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em Fortaleza foi de 19,4 °C nos dias 5 de julho de 1974 e 15 de agosto de 1969,[3] enquanto a maior atingiu os 37 °C, em 27 de dezembro de 2001.[4] O maior acumulado de chuva em 24 horas foi de 198 mm em 1º de maio de 1974. Outros grandes acumulados foram 196,1 mm em 26 de abril de 1970, 180,6 mm em 29 de janeiro de 2004, 170,7 mm em 30 de abril de 1963, 162,5 mm em 7 de março de 2004, 142,4 mm em 2 de junho de 1977, 135 mm em 31 de março de 2014, 131,8 mm em 11 de fevereiro de 1978, 129,6 mm em 12 de fevereiro de 1978, 128,5 mm em 21 de março de 1963, 126,3 mm em 25 de janeiro de 2011, 124,3 mm em 28 de abril de 1974, 119,4 mm em 26 de abril de 2003, 119,1 mm em 11 de maio de 1967, 119 mm em 5 de janeiro de 2011, 117,8 mm em 20 de abril de 1966, 115,4 mm em 1º de maio de 2006, 112,2 mm em 26 de fevereiro de 1996 e 26 de abril de 1964, 112,1 mm em 7 de fevereiro de 1984, 112 mm em 22 de maio de 1973, 110,6 mm em 11 de março de 1996, 109,8 mm em 23 de junho de 2012, 108,2 mm em 2 de fevereiro de 1961, 105,2 mm em 3 de março de 1964, 105 mm em 3 de abril de 1985, 104,8 mm em 25 de abril de 1997, 104 mm em 21 de abril de 1978, 102,6 mm em 23 de maio de 2012, 102,4 mm em 21 de maio de 1974 e 101,1 mm em 12 de março de 2011.[1] O maior volume de chuva ocorrido em um mês foi de 758,5 milímetros em abril de 2001.[5]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Fortaleza Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 33,8 34,6 33,9 34 33,2 33,5 33,2 34,4 33,9 33,4 33,5 37 37
Temperatura máxima média (°C) 30,5 30,1 29,7 29,7 29,9 29,6 29,5 29,9 30,2 30,5 30,7 30,7 30,1
Temperatura média (°C) 27,1 26,9 26,4 26,2 26,2 25,8 25,6 26 26,4 26,9 27,2 27,3 26,6
Temperatura mínima média (°C) 24,4 24 23,6 23,4 23,3 22,8 22,4 22,7 23,4 24,1 24,4 24,6 23,6
Temperatura mínima registrada (°C) 20 21,2 20,2 20 20,6 20,2 19,4 19,4 20,5 21 21,3 21 19,4
Chuva (mm) 119,1 204,6 323,1 356,1 255,6 141,8 94,7 21,8 22,7 13 11,8 44,1 1 608,4
Dias com chuva (≥ 1 mm) 11 15 22 21 19 14 10 5 5 4 3 6 132
Umidade relativa (%) 78,1 81,4 84,7 85,2 83,6 81 78,8 75,3 74,4 74 73,7 75,9 78,8
Horas de sol 225,2 182,3 150 157,1 208,4 238,7 268,3 295,9 281,6 291,4 282,2 262,3 2 843,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (normal climatológica de 1961-1990;[6] [7] [8] [9] [10] [11] [12] recordes de temperatura de 1961 a 1970, 1974 a 1985, 1990 e a partir de 1993).[3] [4]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Fortaleza e arredores

Os contrastes mostram as construções em roxo ou róseo claro, as vias em tons de azul escuro, quase preto, e as áreas verdes. Os tons de róseo/vermelho são áreas de clima seco (caatinga) - Articulação compatível com a escala 1:50.000 (IBGE).]] A vegetação de Fortaleza é tipicamente litorânea com áreas de mangue e restinga. As áreas de restinga encontram-se nas proximidades das dunas ao sul da cidade e perto da foz dos rios Ceará, Cocó e Pacoti. Nos leitos destes rios a mata predominante é a de mangue. Estas matas estão protegidas por lei e constituem-se na maior área verde da cidade. Infelizmente essas leis não são cumpridas como deveriam e constantemente é possível ver novas construções perto do Rio Cocó.

O Rio Cocó e seu leito formam a maior área de mangue de Fortaleza formando o "Parque do Cocó". São 1.155,2 hectares de área verde. Na imagem de satélite ao lado é a mancha verde na área ao centro-leste de Fortaleza. Ao norte é possível ver a Foz do rio Cocó e ao sul a área de Mangue do rio Pacoti. Nas demais áreas verdes da cidade já não existem mais a vegetação típica desta região, constituindo-se de matas verdes de vegetação variada com árvores frutíferas em grande parte. No sul da cidade existe ainda uma grande área verde acompanhando o traçado do rio Cocó que não foi urbanizada.

Existe ainda uma reserva de mata atlântica na parte sudeste da cidade no bairro Lagoa Redoda. A área tem mais de 50 hectáres e foi protegida por lei em 2006 sendo aberta para visitação em 2008 apos intervenção financiada pela Ypióca.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rio Cocó

O Rio Cocó desagua em um manguezal que cria uma das paisagens ecológicas mais belas de Fortaleza.

Rios[editar | editar código-fonte]

  • Ceará - desemboca na praia da Barra do Ceará. O rio marca a divisa com o município de Caucaia. Ainda na divisa com Caucaia existe uma APA - Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Ceará com 2.744,89 hectares que foi criada em 1999. Sua característica principal é a vegetação de Mangue.
  • Maranguapinho - é o maior afluente do Rio Ceará. Nasce na Serra de Maranguape, com extensão de 34 km.
  • Pajeú - é historicamente o rio em que se assentou a cidade. Restam somente duas áreas verdes de margem do rio: a primeira por trás da antiga sede da Prefeitura, no centro, e a segunda próxima à administração da Câmara de Dirigentes Lojistas - CDL de Fortaleza.
  • Maceió
  • Cocó - é o mais importante rio de Fortaleza. Perto de sua foz foi criada em 1989 e ampliada em 1993 o Parque Ecológico do Cocó. Esta área é a mais importante da cidade.
  • Coaçu - é um afluente do rio Cocó e junto de sua foz forma também área de interesse ambiental. Faz a divisa de Fortaleza com o Eusébio numa área em que o leito do rio forma a maior lagoa de Fortaleza, a lagoa de Precabura.
  • Pacoti - Fazendo a divisa de Fortaleza com Aquiraz, as margens com seus manguezais formam hoje a APA do rio Pacoti com 2.914,93 hectares.

Lagos e lagoas[editar | editar código-fonte]

Bacias hidrográficas de Fortaleza
Vertente marítima
Rio Maranguapinho
Rio Cocó

Fortaleza tem muitas lagoas que na legislação do Plano Diretor de 1992 foram algo de estudo e proposta de políticas ainda não implementadas em sua totalidade. Atualmente a SEMAM vem organizando proposta e ações de urbanização das lagoas da cidade. Abaixo segue uma lista das lagoas que vem sendo avaliadas em sua balneabilidade pela prefeitura:

  • Itaperaoba: <[sem histórico]>
  • Jacareí: Localizado no bairro Cidade dos Funcionários, o Lago Jacarey faz parte da bacia hidrográfica do Rio Cocó. O espelho d'água mede 1,51 ha; o volume é de 18.131 m³ e a profundidade média é de apenas 1,20 metros. Ficando meio de inúmeras unidades residenciais e comerciais e o seu entorno é uma agradável área de lazer, com pista para caminhada, e uma praça, tudo administrado pela associação de moradores.
  • Maraponga: A lagoa de Maraponga está localizada a oeste da Bacia Hidrografia do Rio Cocó e que tem a avenida Godofredo Maciel como principal acesso, no bairro Maraponga. A lagoa caracteriza-se por apresentar uma paisagem natural de grande porte. Após a urbanização de suas margens, tornou-se um recurso bastante utilizado pela população da cidade para atividades ligadas ao esporte e lazer.
  • Maria Vieira
  • Messejana: Localizada na Bacia Hidrográfica do Rio Cocó, a Lagoa de Messejana é um dos recursos naturais mais importantes da cidade de Fortaleza. A Lagoa passou por um processo de urbanização em 2003 e conta com um calçadão para a prática esportiva além da presença da estátua de Iracema, um dos símbolos da cultura local com 13 metros de altura.
  • Mondubim: Faz parte da bacia do Rio Ceará, onde os índios habitantes do local pescavam e caçavam. Ao lado da Lagoa foi construído uma capela, e depois a no centro da então vila a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em 1908, e em frente da igreja em chafariz. Em 1875 foi construído uma estação de trem da Estrada de Ferro de Baturité, o que estimulou a economia desta localidade que ficou baseada em orlarias.
  • Opaia: Localizada entre os bairros Aeroporto e Vila União, é uma das mais importantes de Fortaleza. É utilizada para atividades de pesca e lazer. Em 2012, a lagoa passou por um processo de arborização com o plantio de 300 árvores nas suas margens. Sua urbanização é fruto de uma política de recuperação dos espelhos d’água de Fortaleza na década de 1980.
  • Parangaba: A lagoa da Parangaba é considerada o maior recurso hídrico da Bacia do Rio Maranguapinho. Nos primórdios da cidade, o seu entorno gerou a formação de uma importante aglomeração urbana. A profundidade da lagoa favorece à realização de atividades pesqueiras. Também é conhecida por uma feira em seu entorno onde são vendidos diferentes produtos.
  • Porangabussu: Localizada no bairro Rodolfo Teófilo, em 2009 a Lagoa do Porangabussu passou por uma urbanização. Com a obra, orçada em R$ 837.995,10, o local ganhou anfiteatro, dois quiosques para educação ambiental, três quadras de esporte, pista de skate, um playground, área de ginástica e calçadão para a prática de cooper.
  • Sapiranga: Um dos maiores estuários de Fortaleza, a Lagoa da Sapiranga integra o complexo lacustre Sapiranga-Coité. Parte da bacia hidrográfica do rio Cocó, o complexo possui 709.500 m² de superfície d’água, dos quais 675.000 m² pertencem à Lagoa da Sapiranga, constituindo-se no maior ambiente sem correnteza da cidade.

Lagoa da Precabura: A Lagoa da Precabura é o maior espelho d’água e um dos últimos recursos hídricos preservados da Região Metropolitana de Fortaleza. Formando-se a partir do leito do rio Coaçu, um afluente do rio Cocó, a lagoa não é de água doce, pois sofre influência do mar, recebendo água das chuvas e dos lençóis freáticos. Com rico ecossistema, a Precabura dá sustento para pescadores e marisqueiras. Sua fauna apresenta pirambeba, saúna e outros peixes, além de carcarás e garças.

Litoral[editar | editar código-fonte]

Vista da Praia do Meireles

O litoral de Fortaleza tem uma extensão total de 34 km com um total de 15 praias. Tem como limites a foz dos rios Ceará ao norte e Pacoti ao sul. Outros rios riachos que desaguam no litoral são: Riacho Pajeú, Riacho Maceió e o Rio Cocó.

  • Praia da Barra (do Ceará) - é a praia que faz o limite de Fortaleza com a cidade de Caucaia. Localizada ao norte, tem areia fofa e clara e alguns arrecifes. Tem esse nome por ser a foz do rio Ceará. O local tem muita importância para a história da cidade porque foi o primeiro lugar onde o açoriano Pero Coelho de Sousa fez uma primeira incursão em 1603 construindo o Fortim São Tiago.
Vista noturna da Praia do Meireles
  • Praia das Goiabeiras - diferentemente das praias vizinhas, Goiabeiras tem uma particularidade: dunas e uma larga faixa de areia.
  • Praia do Arpoador
  • Praia do Pirambu
  • Praia da Jacarecanga - tem areia grossa e batida e mar calmo, é reta e não tem obstáculos naturais, como rochas e pedras.
  • Praia Formosa
  • Praia de Iracema - com sua noite agitada onde há muitos bares e alguns importantes prédios históricos como a Igreja de São Pedro, o Estoril e a Ponte Metálica além de galerias de arte e o Centro Cultural Dragão do Mar. Também é local da prática de surf e pesca.
  • Praia do Meireles - é onde se encontra a avenida "Beira Mar" que vai até o Mucuripe. É a principal concentração de hotéis da cidade. O Clube Náutico é um importante marco desta praia. Acontece em frente deste clube, todos os dias, a feira de artesanato mais conhecida da cidade.
  • Praia da Volta da Jurema - é o local mais nobre do litoral de Fortaleza. No calçadão existe um pólo de lazer e prática de esportes.
Praia do Mucuripe
  • Praia do Mucuripe - famosa pela composição de Raimundo Fagner que retrata a Jangada e o jangadeiro e por sua comunidade de pescadores. Todos os dias, à tarde e de manha cedo, é possível ver a partida e a chegada dos pescadores. Tem um movimentado mercado de peixes e mariscos. Nela também existe a mais antiga estátua de Iracema da cidade com Martim, inaugurada em 1965.
  • Praia do Titãzinho - é famosa pela prática do surf que revelou talentos como "Tita" e "Fabinho" e boa também para a prática da pesca esportiva.
  • Praia do Futuro - tem uma longa extensão ocupada por muitas "barracas" que são restaurantes especializados em frutos do mar. Um evento típico de Fortaleza é a Caranqueijada todas às quintas-feiras.
  • Praia do Caça e pesca - um clube de pesca que não existe mais deu nome a essa praia, que tem água turva e areia escura, devido à proximidade com o Rio Cocó.
  • Praia da Sabiaguaba - pouco movimentada, Sabiaguaba tem dunas, coqueiros e manguezal.
  • Praia da Abreulândia - é urbana e bastante freqüentada pelos fortalezenses. A praia é extensa, com larga faixa de areia, e vai até a altura do Rio Pacoti, na divisa entre Fortaleza e Aquiraz. Nesse trecho, é possível encontrar algumas pequenas dunas.

Parques e áreas protegidas[editar | editar código-fonte]

A cidade tem atualmente várias áreas protegidas. A prefeitura controla a maioria das unidades ambientais, mas existem áreas protegidas pelo governo do estado do Ceará e por particulares.

Relação dos parques públicos de propriedade da Prefeitura
Nome Bairro Área Lei
Polo de Lazer Sargento Hermínio Alagadiço e São Gerardo 39.259,53 m² Decreto nº 4630/76
Parque Pajeú Centro 15.335 m² Decreto nº 5565/80
Parque da Liberdade Centro 27.671,10 m² Decreto nº 84
Parque Adahil Barreto/Cocó São João do Tauape 137.103,19 m² Decreto nº 4852 e 5754/83
Parque Rio Branco São João do Tauape 75.825 m² Decreto nº 8960
Parque Parreão Parreão 31.582 m² Decreto nº 8890
Lagoa do Opaia Aeroporto 159.379 m² Decreto nº 3172
Horto Municipal Falconete Fialho Passaré 174.893 m² Decreto nº 3652
Parque Municipal das Dunas de Sabiaguaba Sabiaguaba 467,60 hectares Decreto nº 11.987
Parque Ecológico da Lagoa da Maraponga Maraponga 31 hectares Decreto nº 21.349
Lagoa da Parangaba Parangaba 36 hectares
Relação dos parques públicos de propriedade do Governo do Ceará
Nome Bairro Área Lei
APA do Estuário do Rio Ceará Barra do Ceará e Vila Velha 2.744,89 ha Decreto nº 25.413
Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio litoral de Fortaleza 33,20 km² Decreto nº 12.717
Parque Ecológico do Rio Cocó 1.155,2 ha Decreto nº 22.587
APA do Rio Pacoti 2.914,93 ha Decreto nº 11.987
Floresta do Curió 57,35 ha Decreto nº 28.333
Relação das reservas particulares aberta ao público
Nome Bairro Área mantenedor
Reserva Ecológica Particular Lagoa da Sapiranga 58,76 ha Fundação Maria Nilva Alves Soares

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Geografia de Fortaleza
  1. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Fortaleza Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 17 de agosto de 2014.
  2. Fortaleza, Brazil Köppen Classification (em inglês) Weatherbase. Visitado em 28 de janeiro de 2014.
  3. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC) - Fortaleza Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 17 de agosto de 2014.
  4. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Fortaleza Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 17 de agosto de 2014.
  5. Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação (mm) - Fortaleza Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 17 de agosto de 2014.
  6. Temperatura Média Compensada (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  7. Temperatura Máxima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  8. Temperatura Mínima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  9. Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  10. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  11. Insolação Total (horas) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  12. Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 16 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.