Geografia de Manaus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Geografia de Manaus

Mapa de Manaus

Região Norte
Estado Amazonas
Coordenadas geográficas 03° 06' S 60° 01' O
Área  
 - Total 11 401,058 km² [1]
 - Zona urbana 229,5040 km² [2]
 - Zona rural 11 128 km² [2]
Limites  
 - Municípios limítrofes Oeste: Novo Airão; Norte: Presidente Figueiredo e Novo Airão; Leste: Itacoatiara e Rio Preto da Eva; Sul: Careiro, Careiro da Várzea e Iranduba.
Relevo Planícies
Extremos de elevação  
 - Ponto mais alto inferior a 100 metros[3]
 - Ponto mais baixo
Hidrografia  
 - Bacia hidrográfica Rio Amazonas
 - Principais rios Rio Negro, Rio Solimões e Rio Amazonas.
Clima Tropical úmido Am, Af.[4]

A Geografia de Manaus, uma cidade brasileira capital do estado do Amazonas, é de vegetação densa, clima variável e tipicamente influenciada pela floresta Amazônica. O município apresenta um relevo caracterizado por planícies, terras firmes, igapós e baixos planaltos, sendo que a altitude média é inferior a 100 metros.[3] O clima é considerado tropical úmido (tipo Af segundo Köppen).[4] A cidade pertencente à mesorregião do Centro Amazonense e microrregião de Manaus, localizando-se na confluência dos rios Negro e Solimões.[5]

Ocupa uma área de 11.401 km², representando 0.7258 % do estado do Amazonas, 0.2959 % da Região Norte e 0.1342 % de todo o território brasileiro.[1] Desse total 229,5040 km² estão em perímetro urbano.[2] Sua população foi estimada em 2011 pelo IBGE em 1 832 426 habitantes,[6] sendo assim o 7º município mais populoso do Brasil.

É sede da Região Metropolitana de Manaus, a maior região metropolitana do norte do país, com 101.474 km² [7] e 2 106 866 habitantes, sendo a 11ª mais populosa da federação.[8]

É a maior cidade da Região Norte do Brasil,[2] ocupando uma área de 11.401,058 km² e resultando em uma densidade de 152,50 hab./km².[9] Várias ilhas, arquipélagos e áreas ecológicas são encontrados próximos à cidade, tendo destaque para o arquipélago de Anavilhanas, situado nas divisas com Novo Airão,[10] e o Encontro das Águas, famoso cartão-postal da cidade.[11] Limita-se com os municípios de Presidente Figueiredo, Careiro, Iranduba, Rio Preto da Eva, Itacoatiara e Novo Airão.[12]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo do município é semelhante ao de municípios vizinhos. Caracteriza-se por planícies, baixos planaltos, igapós e terras firmes, com uma altitude média inferior a 100 metros.[3] As planícies são constituídas por sedimentos recentes da Era Antropozóica; tornam-se bastante visíveis nas proximidades dos rios.[3] Apesar de estar situada em uma área de inúmeras elevações, as elevações de Manaus são encontradas apenas nos limites com Roraima e Venezuela, onde encontramos as serras de Itapirapecó, Imeri, Urucuzeiro e Cupim, sendo esta última a de maior proporção.[3]

Clima[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados de chuva em 24 horas
registrados em Manaus por meses
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 155 mm 15/01/1996 Julho 61,6 mm 26/07/1975
Fevereiro 145,6 mm 28/02/1988 Agosto 79,8 mm 01/08/2000
Março 168,3 mm 08/03/1968 Setembro 97,5 mm 29/09/2000
Abril 180,8 mm 08/04/1967 Outubro 135,2 mm 21/10/1979
Maio 113,7 mm 13/05/1961 Novembro 131,8 mm 01/11/1986
Junho 66,5 mm 04/06/1966 Dezembro 132,5 mm 21/12/2010
Fonte: Rede de dados do INMET. Período: 1961 a 2013.[13]

O clima de Manaus é considerado tropical úmido de monções (tipo Am segundo Köppen),[14] com temperatura média anual de 26,7 °C[15] e umidade do ar relativamente elevada durante o ano, com médias mensais entre 79 % e 88 %.[16] A sua proximidade da Linha do Equador faz com que o calor seja uma constante do clima local.[17] São quase inexistentes os dias de frio no inverno, e raramente massas de ar polar muito intensas no centro-sul do país e sudoeste amazônico têm algum efeito sobre a cidade, como ocorreu em agosto de 1955.[17] A proximidade com a floresta normalmente evita extremos de calor e torna a cidade úmida.[17]

A precipitação média anual é de 2 307,4 milímetros (mm), sendo agosto o mês mais seco, quando ocorrem apenas 47,3 mm.[17] Em março, o mês mais chuvoso, a média fica em 335,4 mm.[18] As estações do ano são relativamente bem definidas no que diz respeito à chuva: o inverno é relativamente seco, e o verão chuvoso.[17] Já houve ocorrências pontuais de chuva de granizo na cidade.[19]

No dia 26 de novembro de 2009, foi registrado um caso de chuva ácida em Manaus.[20] A poluição do ar, causada em grande parte pelo acúmulo de fumaça de queimadas, associada ao dióxido de carbono emitido por carros, provocou chuva ácida na cidade.[20] Apesar de a incidência de chuva ácida ser comum em algumas capitais brasileiras onde há grande concentração de carros, em Manaus e em outras cidade do Amazonas a situação se agrava com o período prolongado de estiagem com a fumaça das queimadas.[20]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 2013, a menor temperatura registrada em Manaus foi de 8,4 °C em 16 de setembro de 1991, seguido pelos 12,1 ºC em 9 de julho de 1989,[21] e a maior atingiu 38,3 °C em 30 de setembro de 2010, superando os 38,2 ºC em 12 de novembro de 1982.[22] O maior acumulado de chuva em 24 horas foi de 180,8 mm em 8 de abril de 1967. Outros grandes acumulados foram 168,3 mm em 8 de março de 1968, 155 mm em 15 de janeiro de 1996, 154,4 mm em 20 de abril de 2000, 151 mm em 20 de março de 1983 e 150,8 mm milímetros em 8 de março de 1978.[13] Em março de 1968 foi registrado o maior volume total de chuva em um mês, de 632,8 mm.[23] O menor índice de umidade do ar foi de 31 %, em 6 de dezembro de 1993.[24]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Manaus Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 36,4 36,1 36,2 35,1 34,7 34,9 35,7 37,6 38,3 38,1 38,2 37,3 38,3
Temperatura máxima média (°C) 30,5 30,4 30,6 30,7 30,6 31 31,3 32,6 32,9 32,8 32,1 31,3 31,4
Temperatura média (°C) 26,1 25,9 26 26,2 26,2 26,4 26,5 27,3 27,7 27,7 27,2 26,6 26,7
Temperatura mínima média (°C) 23,1 23,1 23,2 23,3 23,3 23 22,7 23 23,5 23,7 23,7 23,5 23,3
Temperatura mínima registrada (°C) 18,5 18 19 18,5 14,3 17 12,1 18 8,4 19,4 18,3 19 8,4
Chuva (mm) 264,2 289,5 335,4 311,2 279,2 115,4 85,4 47,3 73,7 112,6 173,8 219,6 2 307,4
Dias com chuva (≥ 1 mm) 19 18 20 18 17 11 8 6 6 9 12 16 160
Umidade relativa (%) 86 87 88 87 87 83 80 77 77 79 81 85 83,1
Horas de sol 114,3 87,7 98,5 111,9 148,6 184,8 214,2 225 200,5 171,2 140,9 130,9 1 828,5
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (médias climatológicas de 1961 a 1990;[15] [25] [26] [27] [28] [29] [16] recordes de temperatura de 1961 a 2013).[22] [21]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os rios que passam por Manaus são o Negro e o Solimões e, ao se encontrarem, formam o grande rio Amazonas. O Rio Negro é o maior afluente da margem esquerda do Rio Amazonas, o mais extenso rio de água negra do mundo e o segundo maior em volume de água — atrás somente do Amazonas.[30] Tem sua origem entre as bacias do rio Orinoco e Amazônica e também conecta-se com o Orinoco através do Canal do Cassiquiare.[30] Na Colômbia, onde tem a sua nascente, é chamado de rio Guainia.[30] Seus principais afluentes são o Rio Branco e o rio Vaupés, que disputa ser o começo do rio Orinoco junto com o rio Guaviare, drena a região leste dos Andes na Colômbia. Após passar por Manaus, une-se ao rio Solimões e passa a chamar-se rio Amazonas.[30] O rio Solimões começa no Peru e, ao entrar no Brasil, no município de Tabatinga, recebe o nome de Solimões.[31]

O rio Amazonas é o maior rio da Terra, tanto em volume d'água quanto em comprimento (6.992,06 km de extensão).[32] Tem sua origem na nascente do rio Apurímac (alto da parte ocidental da cordilheira dos Andes), no sul do Peru, e deságua no oceano Atlântico, junto ao rio Tocantins.[32]

Fauna e flora[editar | editar código-fonte]

Manaus é tida como a "Capital Ambiental do Brasil",[33] pelo seu extraordinário recurso natural. Cerca de 98 % dos 11.401,058 km² da área do município está intacta.[33]

A vegetação da capital é densa, e tipicamente coberta pela floresta Amazônica.[3] Com uma flora diversificada, abriga vários tipos de plantas, além da vitória-régia, uma espécie aquática ornamental.[3] Existem plantas bem próximas umas das outras, o que torna a vegetação úmida e impenetrável. Há espécies com folhas permanentes, encarregadas de deixar a floresta com um verde intenso o ano todo.[3] Em algumas regiões ao longo do Rio Amazonas, floresce a planta Vitória-régia, cujas folhas circulares chegam a mais de um metro de diâmetro.[34]

Vitória-régia, a maior flor da Amazônia.

Toda a fauna da floresta tropical úmida presente na Amazônia também se encontra na cidade. Nas áreas rurais do município, há inúmeras espécies de plantas e pássaros, inúmeros anfíbios e milhões de insetos.[35] Os grandes mamíferos da água, como o peixe-boi e o boto, são encontrados principalmente em regiões sem muita movimentação do Rio Negro, em lagos encontrados no bairro Tarumã e também em alguns reservatórios da cidade, como o Instituto Nacional de Proteção da Amazônia (INPA).[36] Algumas árvores de origem amazônica, como a Andiroba e Mafumeira (também conhecida como Sumaúma), são encontradas em parques da cidade como o Parque do Mindu e Parque Estadual Sumaúma.[36] Este último recebe este nome em razão da grande quantidade de árvores mafumeiras que possui e atualmente é um parque estadual.[36] Répteis como tartarugas, caimões e víboras também ali habitam. Há pássaros e peixes de todas as espécies, plumagens e peles.

Parques e espaços públicos[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com importantes parques e reservas ecológicas, como o Parque do Mindu, o Parque Estadual Sumaúma, o Parque Ponte dos Bilhares e o Jardim Botânico Adolpho Ducke - o maior jardim botânico do mundo.[37] - entre outros

Área verde na Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus.

O Parque do Mindu localiza-se na Zona Centro-Sul de Manaus, no bairro Parque 10. O parque é hoje um dos maiores e mais visitados parques municipais do Amazonas.[38] Foi criado em 1989, através de um manifesto popular iniciado pelos moradores do bairro Parque 10.[38] Com 33 hectares de biodiversidade, é uma das quatro Unidades de Conservação, vitrine das espécies de flora, fauna e outros elementos do ecossistema amazônico.[38] O objetivo do Parque é promover e desenvolver atividades ambientais e culturais com a finalidade de propiciar momentos de integração comunitária, permitindo despertar os habitantes do entorno e os visitantes para questões sócio-ambientais e culturais no que diz respeito à valorização do meio ambiente. Abriga uma considerável população de Soim-de-coleira,[39] um pequeno símio que existe apenas na região de Manaus.[39] O soim-de-coleira possui pelos castanhos no corpo e pelos brancos no pescoço, o que faz com que pareça usar uma coleira. Apesar de pequeno, o macaco possui garras extremamente afiadas, que o ajuda a subir e descer das árvores. O Parque do Mindu possui ainda um orquidário, um canteiro de ervas com propriedades terapêuticas e aromáticas e trilhas suspensas.[39]

O Parque Ponte dos Bilhares localiza-se na Zona Centro-Sul de Manaus, no bairro da Chapada.[40] É uma das menores áreas verdes do espaço urbano do município, porém é referência em sua estrutura. Possui bares, lanchonetes, anfiteatro, biblioteca, áreas desportivas e turísticas. O Jardim Botânico Adolpho Ducke possui mais de 100 km² de sua reserva florestal em Manaus.[41] No parque há um monumento, que representa os diferentes tipos de madeira encontrados na Amazônia e um viveiro de mudas com as plantas nativas do lugar.[41] Há também uma biblioteca especializada em literatura sobre botânica e meio ambiente, além de um pavilhão para a realização de eventos e palestras sobre a natureza.[41] As trilhas existentes no parque somam mais de três quilômetros. O parque abriga inúmeras espécies de animais em extinção, como araras, tucanos, tatus e onças-pintadas.[41]

O Parque Estadual Sumaúma foi criado através do decreto nº23.721 de 5 de setembro de 2003,[42] com uma área de 51 hectares. O parque é a primeira Unidade de Conservação Estadual localizada na cidade de Manaus.[42] Localiza-se no bairro Cidade nova, na zona norte da cidade.[43] É o menor parque estadual do Amazonas[43] e é aberto a visitações todos os dias, exceto aos domingos. Possui estrutura estável, sendo regido pela Secretaria de Meio Ambiente do Amazonas em parceria com o Conselho do Parque Sumaúma, formado por associações comunitárias de bairros próximos e entidades da sociedade civil.[42]

Poluição ambiental[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de Manaus.

A poluição do ar na cidade é intensa, devido principalmente à enorme quantidade de automóveis que circulam diariamente na cidade e às indústrias pertecentes ao Polo Industrial de Manaus.[44]

Além da poluição atmosférica a cidade sofre também com o aumento poluição hídrica em seus dois principais rios, o Rio Negro e o Rio Solimões.[45] Atualmente o rio Negro passa por um programa de despoluição que dura alguns meses.[45] Esse programa, realizado pelo poder público, é chamado de Prosamim, e também serve como modelo para despoluir rios em países sul-americanos, como a Argentina.[45] O processo de expansão urbana nas últimas décadas aliou especulação imobiliária, esvaziamento das áreas centrais e precariedade nos novos loteamentos; desta forma, devido à dificuldade de aceder à terra urbana qualificada em áreas centrais, milhares de famílias viram-se obrigadas a ocuparem regiões ambientalmente frágeis - como as de mananciais.[45]

O problema do abastecimento equilibrado de água para a cidade - e para a metrópole, de uma forma geral - também se configura como questão preocupante: apesar de possuir muitas fontes de água em seu próprio perímetro, Manaus sofre com a falta de água para a população da zona leste.[46] O problema da poluição da água também é agravado pela ocupação irregular das áreas de mananciais, ocasionada pela expansão urbana.[46]

Referências

  1. a b Confederação Nacional dos Municípios (CMN). Dados gerais do município de Manaus - AM. Página visitada em 07 de outubro de 2010.
  2. a b c d Amazonas Embrapa Monitoramento por Satélite. Página visitada em 07 de outubro de 2010.
  3. a b c d e f g h Relevo ManausOnline.com (15 de abril de 2010).
  4. a b Cidade de Manaus Sua pesquisa (6 de setembro).
  5. Manaus Portal Amazônia (11 de agosto de 2010).
  6. Estimativas da população para 1º de agosto de 2011 (PDF) Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 3 de setembro de 2011.
  7. IBGE Cidades
  8. Estimativas populacionais 2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2008). Página visitada em 1 de setembro de 2008.
  9. Manaus-AM Cidades (6 de setembro de 2010).
  10. Arquipélago de Anavilhanas Portal Amazônia (6 de setembro de 2010).
  11. Encontro das águas do rio Negro com Solimões Portal Amazônia (6 de setembro de 2010).
  12. Geografia de Manaus Ache Tudo (6 de setembro de 2010).
  13. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Manaus Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  14. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Weatherbase_ManausAM
  15. a b Temperatura Média Compensada (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  16. a b Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%) Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  17. a b c d e ESTUDOS DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA A CIDADE DE MANAUS IX Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído - Foz do Iguaçú - PR, 7 a 10 de maio de 2002 (6 de setembro).
  18. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Clima
  19. Temporal causa destruição em Manaus Portal Amazônia (6 de setembro).
  20. a b c Instituto de meteorologia registra chuva ácida em Manaus PortalAmazônia (6 de setembro de 2010).
  21. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Manaus Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  22. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC) - Manaus Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  23. BDMEP - Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm) - Manaus Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 11 de abril de 2014.
  24. BDMEP - Série Histórica - Dados Horários - Umidade Relativa (%) - Manaus Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 24 de agosto de 2014.
  25. Temperatura Máxima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  26. Temperatura Mínima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  27. Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  28. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias) Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  29. Insolação Total (horas) Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  30. a b c d Rio Negro PortalAmazônia (6 de setembro de 2010).
  31. Rio Solimões PortalAmazônia (6 de setembro de 2010).
  32. a b Rio Amazonas PortalAmazônia (6 de setembro de 2010).
  33. a b " Manaus - Capital ambiental do Brasil Ministério do Turismo (abril de 2010).
  34. Vitória régia Canal Kids (6 de setembro de 2010).
  35. Fauna & Flora da Amazônia Portal EmDiv (6 de setembro de 2010).
  36. a b c Revista Eletrônica Aboré - Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Manaus Edição 03/2007
  37. Jardim Botânico Adolpho Ducke Portal Brasileiro do Turismo - Ministério do Turismo (15 de abril de 2010).
  38. a b c " Parque Municipal do Mindú Portal Amazônia.com (5 de maio de 2010).
  39. a b c Parques e Museus em Manaus Brazil.ru (27 de abril de 2010).
  40. Parque dos Bilhares Manaus Mais.
  41. a b c d Parques e Museus em Manaus Brazil.ru (27 de abril de 2010).
  42. a b c Parque Estadual Sumaúma tem programação especial nesta quarta-feira Portal Amazônia (6 de agosto de 2010).
  43. a b Parque Estadual Sumaúma (PDF) Universidade do Estado do Amazonas (6 de agosto de 2010).
  44. Pesquisa faz levantamento da poluição atmosférica em Manaus Observatório de Políticas Públicas Ambientais da América Latina e Caribe (17 de abril de 2008).
  45. a b c d PROSAMIM servirá de modelo na Argentina Amazonas Notícias (6 de setembro de 2010).
  46. a b Proama vai acabar com falta d`água em Manaus JusBrasil (6 de setembro de 2010).