George Clinton (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
George Clinton
4º vice-presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Período de governo 4 de março de 1805
a 20 de abril de 1812
Presidente Thomas Jefferson (1805–1809)
James Madison (1809–1812)
Antecessor(a) Aaron Burr
Sucessor(a) Elbridge Gerry
3º governador de Nova Iorque Flag of New York (1778-1901).svg
Período de governo 1º de abril de 1801
a 30 de junho de 1804
Vice-governador Jeremiah Van Rensselaer
Antecessor(a) John Jay
Sucessor(a) Morgan Lewis
1º governador de Nova Iorque Flag of New York (1778-1901).svg
Período de governo 30 de abril de 1777
a 30 de junho de 1795
Vice-governador Pierre Van Cortlandt
Sucessor(a) John Jay
Vida
Nascimento 26 de abril de 1739
Little Britain, Nova Iorque,
América Britânica
Morte 20 de abril de 1812 (72 anos)
Washington, D.C.,
 Estados Unidos
Dados pessoais
Esposa Sarah Cornelia Tappen (1770–1812)
Partido Democrata-Republicano
Religião Presbiterianismo
Assinatura Assinatura de George Clinton (político)
Serviço militar
Serviço/ramo Exército Britânico
Milícia Americana
Graduação Tenente (exército)
General de Brigada (milícia)
Batalhas/guerras Guerra Franco-Indígena
Guerra da Independência dos Estados Unidos

George Clinton (Little Britain, 26 de Julho de 1739Washington, D.C., 20 de Abril de 1812) foi um político e militar estadunidense.

Foi vice-presidente dos Estados Unidos e Governador de Nova Iorque[1] .

Vice-presidência[editar | editar código-fonte]

As eleições presidenciais de 1804 foram as primeiras depois da aprovação da Emenda à Constituição dos Estados Unidos que modificou o sistema de eleição do presidente e do vice-presidente.

De acordo com a nova norma, os candidatos a Presidente eram distintos dos candidatos a vice-presidente, e cada eleitor votava por um só candidato a presidente e por um candidato distinto para vice-presidente, separando assim as eleições e simplificando o sistema (evitando que houvesse um presidente de um partido e um vice-presidente de outro).

Devido à desconfiança que sentia por Aaron Burr, o presidente Thomas Jefferson desejava prescindir dele; uma decisão que se viu reforçada pelos escândalos nos quais se viu envolvido o vice-presidente. Assim que Jefferson fez com que o seu partido não apoiasse uma possível reeleição de Burr, e que em seu lugar apontasse outro candidato a vice-presidente, o escolhido foi George Clinton.

Jefferson era o candidato a presidente (aspirando à reeleição) e Clinton candidato a vice-presidente dos democratas-republicanos, e enfrentaram os candidatos federalistas.

A equipa Jefferson-Clinton obteve uma retumbante vitória nas eleições de Novembro de 1804; conseguiram os votos de 162 eleitores contra apenas 14 dos candidatos federalistas. Dos votos populares, que as leis de alguns estados permitiram participar na eleição dos grandes eleitores, Jefferson e Clinton obtiveram 72,8%.

Desta maneira Clinton converteu-se em vice-presidente eleito, e tomou posse em 4 de Março de 1805, sendo a quarta pessoa a ocupar o cargo.

Dupla candidatura a presidente e reeleição como vice-presidente[editar | editar código-fonte]

Quando se aproximaram as eleições presidenciais de 1808 o caucus democrata-republicano no Congresso dos Estados Unidos (o grupo formado por todos os senadores e representantes que tinha o partido no Congresso) reuniu-se para eleger o candidato presidencial do partido. Clinton considerou que tinha direito a ser nomeado, já que historicamente o vice-presidente era o próximo presidente (fora assim com Adams e Jefferson); mas em 23 de Janeiro de 1808 o caucus elegeu o Secretário de Estado James Madison como candidato à presidência. Ao mesmo tempo elegeram George Clinton como candidato do partido a vice-presidente, apoiando a sua reeleição para um segundo mandato vice-presidencial.

No entanto, uma ala do Partido Democrata-Republicano, descontente com o candidato Madison, decidiu apoiar a candidatura presidencial de George Clinton.

Logo que Clinton foi dado como candidato a presidente dos Estados Unidos por este grupo de democratas-republicanos dissidentes, ao mesmo tempo que era candidato a vice-presidente pelo sector oficial e maioritário do partido, as esperanças de Clinton (e de James Monroe, outro dissidente com a linha oficial) eram concentrar-se nos seus bastiões regionais para impedir que Madison tivesse a maioria absoluta exigida legalmente para ser presidente.

Quando chegaram as eleições, Madison obteve os votos de 122 grandes eleitores; o candidato federalista Charles C. Pinckney obteve o apoio de 47, e apenas 6 votaram em George Clinton para presidente. Esses 6 eleitores eram todos do estado de Nova Iorque, o estado natal de Clinton e do qual tinha sido governador durante muitos anos; e, ainda assim, os outros 13 eleitores de Nova Iorque votaram em Madison e não em Clinton. Quanto a votos populares, nos estados cujas leis lhes permitiam tomar parte na eleição presidencial, todos se repartiram entre Madison e Pinckney.

Em relação à candidatura a vice-presidente, tudo foi bem diferente; Clinton obteve os votos de 113 eleitores, contra 47 votos para o candidato federalista a vice-presidente, Rufus King, havendo ainda outros 3 eleitores que votaram em Monroe para vice-presidente e 3 que o fizeram em Madison para o mesmo cargo. Assim, Clinton foi reeleito vice-presidente para um segundo período consecutivo.

Em 4 de Março de 1809 Clinton tomou posse e iniciou formalmente o seu segundo período como vice-presidente dos Estados Unidos. No mesmo dia, Madison tomava posses como presidente. Clinton foi, em conjunto com John C. Calhoun, um dos dois únicos vice-presidentes de dois presidentes distintos (no caso de Clinton com Jefferson e com Madison).

Morte no cargo[editar | editar código-fonte]

Clinton foi o primeiro vice-presidente que morreu durante o exercício do cargo. Faleceu de ataque cardíaco em 20 de Abril de 1812 em Washington, DC; como a Constituição ainda não tinha previsto como suprir a falta absoluta de um vice-presidente (fá-lo-ia mais de 150 anos depois com uma emenda constitucional) o cargo ficou vago até às seguintes eleições presidenciais e vice-presidenciais.

Clinton foi enterrado em Kingston, Estado de Nova Iorque.

O seu sobrinho DeWitt Clinton foi prefeito de Nova Iorque e também Governador de Nova Iorque durante muitos anos, continuando assim o que já era uma dinastia política regional.

Referências

  1. "The George Clinton Bridge" acesso em 22 de março de 2012
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre George Clinton (político)