George Koval

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

George Abramovich Koval (Russo: Жорж (Георгий) Абрамович Коваль; IPA: [ʐorʂ ɐˈbramɐvʲʨ kɐˈvalʲ] ( ouvir), Zhorzh Abramovich Koval, 25 de dezembro de 1913 - 31 de janeiro de 2006) foi um espião soviético. De acordo com fontes russas, a infiltração de Koval no Projeto Manhattan como um agente do Departamento Central de Inteligência (Glavnoye Razvedyvatel'noye Upravleniye - GRU) "reduziu drasticamente a quantidade de tempo necessário para a Rússia desenvolver armas nucleares".[1]

Koval nasceu de imigrantes judeus em Sioux City, Iowa, Estados Unidos. Pouco depois de atingir a idade adulta, viajou com os pais para a União Soviética para se estabelecer no Oblast Autônomo Judaico, perto da fronteira com a China. Koval foi recrutado pelo principal serviço de inteligência soviético, treinado e designado pelo codinome Delmar. Retornou para os Estados Unidos em 1940 e foi convocado para o Exército dos Estados Unidos no início de 1943. Koval trabalhou em laboratórios de pesquisa atômica e, de acordo com o governo russo, retransmitia para a União Soviética informações sobre os processos de produção e volumes de polônio, plutônio e urânio utilizado em armamento atômico estadunidense, e as descrições dos locais de produção de armas. Em 1948, Koval partiu em férias pela Europa, porém nunca mais voltou para os Estados Unidos. Em 2007, o presidente russo, Vladimir Putin condecorou postumamente Koval como Herói da Federação Russa por "sua coragem e heroísmo no desempenho de missões especiais".[2]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Chervonnaya, citando fontes russas.
  2. Moscow Kremlin.

Referências[editar | editar código-fonte]