Georges Braque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Georges Braque
Georges Braque, 1908, fotografia publicada, Os homens selvagens de Paris, Architectural Record, maio de 1910.
Nome completo Georges Braque
Nascimento 13 de maio de 1882
Argenteuil
Morte 31 de agosto de 1963 (81 anos)
Paris
Nacionalidade  França
Ocupação Pintor
Prêmios Prêmio Antonio Feltrinelli (1958)
Movimento estético Cubismo

Georges Braque (Argenteuil, 13 de maio de 1882Paris, 31 de agosto de 1963) foi um pintor e escultor francês, que fundou o cubismo juntamente com Pablo Picasso.

Braque iniciou a sua ligação às cores na empresa de pintura decorativa de seu pai. A maior parte da sua adolescência foi passada em Le Havre, mas no ano de 1899, mudou-se para Paris onde, em 1906, no Salão dos Independentes, expôs as suas primeiras obras no estilo de formas simples e de cores puras (fauvismo).

No Outono de 1907, conheceu Picasso com quem se deu quase diariamente até que em 1914, devido à Grande Guerra se separaram.

Braque foi ferido na cabeça em 1915, tendo sido agraciado com a Cruz de Guerra e da Legião de Honra. Durante dois anos, devido ao ferimento esteve afastado da pintura, tendo retornado em 1917 focando-se em naturezas-mortas e pinturas figurativas, sempre dentro de uma formulação cubista[1] .

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1910 - A Amiga da Avó.7
  • 1906 - O Porto de Anvers
  • 1906 - O Porto de L'Estaque
  • 1906 - O Porto de Anvers (O Mastro)
  • 1906 - Paisagem de L'Estaque (3 obras)
  • 1907 - Nu sentado visto de costas
  • 1907 , 1908 - Gande nu (Grande banhista)
  • 1907 - O Viaduto de L'Estaque
  • 1908 - Casas de L'estaque
  • 1908 - Paisagem de L'Estaque
  • 1908 - O Viaduto de L'Estaque
  • 1909 - Jarro, Garrafa e Limão
  • 1909 - Porto da Normandia
  • 1910 - Nature Morte au Violon (Violino e Jarro)
  • 1910 - Le Sacré-Couer
  • 1910 - Mulher com bandolim
  • 1911 - O Português
  • 1911 - O Violino
  • 1911 - A Palmatória
  • 1912 - O Violino, Mozart, Kubelick
  • 1912 - Bodegón com uvas
  • 1912 - A guitarra
  • 1912, 1913 - Ária de Bach
  • 1913 - Statue d'Epouvante
  • 1913 - Bodegón com vaso e jornal
  • 1914 - Copo, Garrafa e Cachimbo numa Mesa
  • 1914 - O Ás de Copas
  • 1914 - Bodegón com Mesa
  • 1918 - Guitarra e Clarinete
  • 1918 - Bodegón com Uvas
  • 1918 - Vaso e Pêra
  • 1920 - O Aparador
  • 1922 - O Velador
  • 1923 - A Chaminé
  • 1925 - A Mesa de Mármore
  • 1927 - Bodegón do Clarinete
  • 1929 - O Velador
  • 1929 - As Três Barcas
  • 1929 - A mesinha redonda
  • 1931 - Nu Encostado e Velador
  • 1933 - briga de galo
  • 1934 - Bodegón com Mantel vermelho
  • 1937 - Mulher do Bandolim
  • 1938 - O Velador
  • 1939 - O Pintor e seu Modelo
  • 1940, 1941 - Os Dois Salmonetes
  • 1941 - Garrafa e Peixes
  • 1941, 1945 - Bodegón com Caveira
  • 1941, 1960 - A Minha Bicicleta
  • 1942 - Chaleira e Uvas
  • 1942 - A Paciência
  • 1942, 1961 - O Homem da Guitarra
  • 1944 - O Salão
  • 1945 - O Bilhar
  • 1946 - A Jarra de Lilases
  • 1947, 1960 - A Cadeira de Jardim Malva
  • 1948, 1950 - Bodegón da Lagosta
  • 1949 - Atelier II
  • 1949, 1951 - Atelier III
  • 1951 - A Noite
  • 1952, 1953 - O Pássaro Quadriculado
  • 1952, 1953, 1956 - Atelier IX
  • 1955 - Paisagem com Arado
  • 1956, 1957 - Os Pássaros Negros
  • 1956, 1957 - O Campo de Colza
  • 1958 - Ninho na Fronde
  • 1959 - Paisagem
  • 1960 - Os Pássaros
  • 1961 - Pássaro na Fronde
  • 1962 - O Arado Metálico
  • 1962 - Zé Pelé

Referências

  1. LAMBERT, Rosemary - Cambridge Introduction to the history of art: The twentieth century. Cambridge University Press, 1981, p. 81.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Georges Braque