Georges Charpak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Georges Charpak Medalha Nobel
Física
Nacionalidade França Francês
Nascimento 1 de Agosto de 1924
Local Dabrovica
Morte 29 de Setembro de 2010 (86 anos)
Local Paris
Atividade
Campo(s) Física
Instituições CERN
Conhecido(a) por Inventor da câmara proporcional multifios
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1992)

Georges Charpak (Dabrovica, 1 de Agosto de 1924Paris, 29 de Setembro 2010) [1] foi um físico francês nascido em Dabrowica, Polônia, hoje Doubrovytsia Ucrânia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Georges Charpak tinha 7 anos quando a sua família polonesa emigrou para a França. Ele entrou na Resistência interior francesa em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. Desde os 15 anos de idade, tornou-se um militante antefascista, aderindo à juventude comunista.

Em 1943, foi preso e internado no Centro de detenção de Eysses, antes de ser deportado no campo de concentração de Dachau, na Alemanha, onde ficou um ano. Explicou haver sido liberado por ser poliglota.

Adquiriu a nacionalidade francesa em 1946.

Após estudar no Liceu Joffre, em Montpellier, e depois em classes preparatórias para as grandes écoles no Lycée Saint-Louis de Paris, entrou na École nationale supérieure des mines de Paris, diplomando-se em 1947. Foi aluno de Frédéric Joliot-Curie no Collège de France.

Em 1948 tornou-se pesquisador do CERN, no laboratório de física nuclear do Colégio de França, dirigido por Frédéric Joliot-Curie, obtendo o doutourado de ciências em 1955.

Em 1980, foi nomeado professor associado da ‘’Escola superior de física e de química industriais de Paris’’ (laboratório de eletricidade).Foi também titular da cadeira Joliot-Curie durante um ano, em 1984, na mesma escola>Hommage de l'ESPCI ParisTech à Georges Charpak</ref>,participando da criação de numerosas start-up de imagens biomédicas, entre as quais Molecular Engines Laboratories[2] , Biospace Instruments[3] e SuperSonic Imagine com Mathias Fink[4] . Foi eleito Membro da “Académie des sciences” (Academia das ciências) em 20 de maio de 1985.

Em 1995 com mais dois outros físicos - Pierre Léna e Yves Quéré - lança em França o programa "La main à la pâte" [5] , um método que havia descoberto nos EUA e que tem como objectivo, com a experimentação e a autonomia dos alunos, inicia-los à ciência. Posteriormente a iniciativa espalhou-sse pelo mundo. [1]

Combatente da energia nuclear, ele propôs em 2001 uma nova unidade de medida da radioatividade, o DARI (Dose Anual devida as Irradiações Internas), correspondendo aproximadamente a 0,25 milli-Sievert[6] .

Principais trabalhos[editar | editar código-fonte]

A obra de Georges Charpak foi dedicada à física nuclear, depois à física das partículas de alta energia, para as quais os detetores que ele inventou substituíram todos que existiam até então.

Seus principais trabalhos foram os seguintes:

Estes métodos permitiram aplicações nas radiografias com doses de radiações ionizantes muito inferiores às utilizadas anteriormente.

Prêmios e condecorações[editar | editar código-fonte]

Georges Charpak foi até hoje o único Prêmio Nobel francês nos domínios da física nuclear e da fisica das partículas elementares, depois da Segunda Guerra Mundial.

A Escola Nacional de Ensino Superior das Minas de Saint Etienne abriu, em 2008, um campo de formação de engenharia eletrônica e informática industrial em Gardanne, (cidade perto de Aix-en-Provence) [7] . A inauguração contou com a presença de Georges Charpak.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pierre-Gilles de Gennes
Nobel de Física
1992
Sucedido por
Russell Alan Hulse e Joseph Hooton Taylor Jr.


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.