Georges Ribemont-Dessaignes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Georges Ribemont-Dessaignes (19 de Junho de 1884 - 9 de Julho de 1974), nascido na cidade de Montpellier foi um escritor e artista francês associado ao movimento dadaísta.

Além de inúmeras pinturas, Ribemont-Dessaignes escreveu peças, poesias, manifestos e livretos de ópera. Ele contribuía com o periódico dadaísta (e depois, surrealista) Litterature.

Entre os trabalhos de Ribemont-Dessaignes para o teatro, estão as peças "O Imperador da China" (1919) e "O Canário Mudo" (1919), e o livreto de ópera "The Knife's Tears" (1926) com músicas compostas por Bohuslav Martinu. Suas Novelas incluem L'Autruche aux yeux clos (1924), Ariane (1925), Le Bar du lendemain (1927), Céleste Ugolin (1928) e Monsieur Jean ou l'Amour absolu (1934).

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Dada Performance. Mel Gordon (ed.). PAJ Publications; Nova York, 1987.
  • Les Larmes Du Couteau. Gravação em CD da ópera de Martinu. Comentários de Ales Brezina. Supraphon, 1999.
  • The French Literature Companion.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]