Gerardo Matos Rodríguez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uruguai 1897-1948


Gerardo Matos Rodríguez (Montevidéu, 28 de março de 1897 – Montevidéu, 25 de abril de 1948) foi um compositor uruguaio.

Matos Rodríguez é o compositor do tango mais conhecido e difundido do mundo: La cumparsita. Filho de Emilio Matos, dono do cabaré "Moulin Rouge", que funcionava na rua Andes de Montevidéu. No ano 1916 ele compôs uma música de tango para que um grupo da Federação de Estudantes do Uruguay, que desfilaria no carnaval de 1917. A partitura foi levada ate o notável pianista argentino Roberto Firpo, que estava se apresentando no "Cafe La Giralda" da "Plaza Independencia" de Montevidéu, ele fez algum arranjo e essa noite tocou "La Cumparsita" repitindo tres vezes dado seu êxito, levando logo ao disco no qual obteve um êxito inaudito.

Partitura de La Cumparsita, 1917


Muitos consideram esse o primeiro tango pela influência que exerceria nas futuras composições de um gênero que ainda buscava afirmação. La cumparsita (a foliã que participa de uma comparsa) atravessou todas as fronteiras e se tornou um dos hinos do tango. La cumparsita ganhou uma letra composta por Pascual Contursi e Enrique Maroni, em 1924, e gravada logo por Carlos Gardel (que começava a obter uma grande popularidade), essa letra que recebeu o título de Si supieras, gerou uma controvérsia com Matos Rodríguez, que não tinha autorizado a inserção de uma letra em seu tango.


Gardel regravaria esse tango em 1927 e Tito Schipa fez uma gravação em meados dos anos 1930. Matos Rodríguez ainda foi o compositor de outros tangos como Che papusa oí, Mocosita, Te fuiste ja ja, La muchacha del circo e El rosal, todas gravadas por Carlos Gardel.



Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GRÜNEWALD, José Lino; Gardel, Lunfardo e tango, editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1994.
Ícone de esboço Este artigo sobre um compositor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.