Gestão baseada em custeio por atividade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O ABM (do inglês Activity Based Management) ou Gestão baseada em custeio por atividade é o modelo de gestão que utiliza o Custeio por Atividade (ABC – Activity Based Costing) para gerenciar a organização e a produção.

Já o ABC é um método de rastrear os custos de um negócio ou departamento para as atividades realizadas e de verificar como estas atividades estão relacionadas para a geração de receitas e consumo dos recursos.

O ABC avalia o valor que cada atividade agrega para a performance do negócio ou departamento.

Enquanto o ABC é o processo técnico para levantamento das atividades, rastreamento dos custos para as atividades e condução dessas atividades para os produtos e clientes, o ABM é um processo que utiliza as informações geradas pelo ABC para gerenciar uma empresa ou um negócio.

Princípios do ABM[editar | editar código-fonte]

  • Os custos não são incorridos, ou seja, eles não ocorrem espontaneamente; eles são causados;
  • As atividades é que são gerenciadas, não os recursos e os custos (enfoque nas atividades);
  • O foco está nos fatores geradores dos custos e nas atitudes para redução ou eliminação destes fatores geradores. A redução nos custos será conseqüência;
  • Enfoque nas atividades direcionadas aos clientes em vez de atividades direcionadas ao interior da organização;
  • As atividades devem ser ágeis (menor tempo do ciclo operacional), de menor custo e de maior qualidade;
  • Foco na redução ou eliminação das atividades que não agregam valor, desnecessárias, duplicadas e as re-trabalhadas;
  • Melhoria contínua das atividades;
  • Preocupação em fazer a atividade correta em vez de fazer a atividade do jeito certo.

Visões proporcionadas pelo ABM[editar | editar código-fonte]

O ABM fornece novas fontes de informações e proporciona novas formas de análise da empresa. Essas novas visões do negócio desenvolvem e permitem uma melhor compreensão do comportamento dos custos melhorando o controle sobre eles.

Visão de análise de linhas de produtos ou serviços[editar | editar código-fonte]

O ABM reconhece a complexidade dos produtos e serviços e das relações entre as diversas atividades desencadeadas para a sua produção ou execução.

Os custos são relacionados aos produtos segundo a quantidade de recursos consumidos pelas atividades necessárias para a fabricação de cada produto.

O ABM muda a forma como os custos indiretos são alocados aos produtos, permitindo identificar as causas do consumo dos recursos e detectar oportunidades para economia, além de oferecer subsídios para as decisões de preço.

Visão da análise de clientes[editar | editar código-fonte]

O ABM permite identificar negócios não rentáveis com clientes, canais de distribuição não rentáveis e o custo da demanda por produtos customizados e serviços extras demandados pelos clientes.

Visão da análise organizacional[editar | editar código-fonte]

O ABM permite, dentro da análise organizacional:

  • Retratar os custos funcionalmente;
  • Aprimorar a capacidade de criar e agregar valor;
  • Buscar oportunidades de melhoria de custos;
  • Eliminar ou reduzir ineficiências;
  • Identificar os fatores geradores de custos e a forma de influenciá-los;
  • Identificar atividades que não agregam valor.

A análise organizacional baseada no ABM tem os seguintes estágios:

  • Análise das atividades;
  • Análise do valor das atividades;

Visão da análise de processo do negócio[editar | editar código-fonte]

A análise do processo do negócio através do ABM possibilita a melhoria da qualidade para o cliente final, a melhoria da eficácia e criação de vantagem competitiva.

Passos para implantação do ABM[editar | editar código-fonte]

Definição do escopo de análise[editar | editar código-fonte]

Por que deve se definir um escopo para a análise?

  • Deve ocorrer uma focalização dos recursos escassos nas áreas mais importantes do negócio;
  • A análise pode continuar indefinidamente;
  • Deve haver um controle para determinar quando o escopo estará terminado e se deverá iniciar nova fase ou um projeto novo.

Como se define o escopo de análise?

  • Treinamento geral e conscientização sobre o assunto;
  • Definição dos objetivos estratégicos da empresa;
  • Seleção do escopo da análise (de acordo com os objetivos estratégicos).

Levantamento das atividades e criação do mapa de atividades[editar | editar código-fonte]

Nesta fase, deve ser elaborada uma lista de atividades com os gerentes de cada área e suas equipes, criando posteriormente um relatório onde conste não somente as atividades, mas também suas definições (dicionário de atividades).

Após deve ser criado um mapa de atividades, que nada mais é do que a lista de atividades de cada área funcional da empresa.

Cálculo do custo da atividade[editar | editar código-fonte]

Neste passo, deve-se estabelecer o custo de cada atividade tendo por base as despesas de cada área e a lista de atividades.

O conceito pode ser ampliado para identificação do resultado por atividade, utilizando a metodologia GECON, que permite identificar a receita (via preço de transferencia) os custos diretos (identificados exclusivamente com a atividade), e a margem de contribuição desta atividade para a formação do resultado economico da empresa

Definição da medida de saída da atividade[editar | editar código-fonte]

Medida de saída da atividade é o parâmetro através do qual são identificados e medidos os recursos gastos na realização de uma atividade, geralmente representados pelo número de ocorrências de cada atividade.

Podem ser:

Medida de saída de duração
Considera a extensão de tempo despendido para realizar uma atividade.
Medida de saída de transação
Considera o número de vezes que uma atividade é realizada.
Medida de saída de simplicidade ou homogeneidade
Considera que toda atividade é simples ou homogênea quando a saída é do mesmo tipo que outros e exige similar esforço.

Rastreamento do custo da atividade e determinação do objeto de custo[editar | editar código-fonte]

Rastreamento é o processo de identificação de atividades específicas e de determinação de quanto do custo de cada atividade cabe ao objeto de custo.

Objeto de custo é a finalidade para a qual a informação sobre o custo é necessária. Os principais objetos de custo são:

  • Produto;
  • Cliente;
  • Setor de mercado ou canal de distribuição;
  • Fornecedor;
  • Infra-estrutura.

Classificação das atividades[editar | editar código-fonte]

As atividades devem ser classificadas em:

NVA – Valor não agregado
Não agregam valor e devem ser reduzidas ou eliminadas.
VA – Valor agregado
Agregam valor e devem ser otimizadas.
SEC – Secundárias
Devem ser reduzidas pois não agregam valor mas são imprescindíveis.

Determinação do fator gerador de custo[editar | editar código-fonte]

A análise do fator gerador de custo ressalta a relação causa-efeito-custo.

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

CHING, Hong Yuh. Gestão baseada em custeio por atividades: Activity Based Management. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.