Gestão de frotas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Administração.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde março de 2011.

Roger Fenton's waggon.jpg

A frota de veículos é utilizada para efectuar o fornecimento de produtos de um armazém a retalhistas. Esta frota tem uma capacidade limitada (Bramel, 1997, p. 5).

A gestão da frota de veículos está relacionada com veículos comprados ou alugados normalmente por empresas ou agências governamentais. Exemplos típicos são: empresas de aluguel de veículos, empresas de taxis, serviços públicos, departamentos de polícia.

História[editar | editar código-fonte]

A gestão da frota de veículos surgiu quando as empresas precisavam de vários veículos para fazer entregas, viajar para falar com clientes, transporte de equipamentos, etc. Grande parte dos clientes localizam-se em diferentes pontos do globo. Para os produtores convinha-lhes gerir bem o transporte de modo a reduzir os custos, os deperdícios e aumentar os lucros (Clemente, [2008a]).

Os principais tipos de transporte têm as suas vantagens e as suas desvantagens, eles são:

  • Terrestre - São conhecidos por serem rápidos, apesar de terem associados custos variáveis como a mudança do preço do petróleo e as condições das vias.
  • Ferroviário - Tem um custo baixo, é relativamente lento, mas também se restringe a zonas que possuam linhas ferroviárias.
  • Marítimo - Trata-se do transporte mais lento de todos, no entanto é o mais barato. São limitados a zonas que possuam vias navegáveis ou portos.
  • Aéreo - São os mais caros, mas também oferecem mais segurança e rapidez. Também se restringem a zonas que possuam aeroportos (Clemente, [2008b]).

Gestão[editar | editar código-fonte]

A gestão de frotas consiste na utilização de certos métodos, técnicas e ferramentas, nomeadamente, software informático, que permitem às empresas eliminar os riscos inerentes ao investimento dos seus veículos, aumentar a produtividade e eficiência das suas operações.

Para uma boa gestão da frota de veículos temos de pensar em certas questões das quais:

  • Que veículos obter, tendo em conta o tipo de carga que se vai transportar.
  • Escolha do equipamento dos veículos (ar condicionado, rádio, entre outros).
  • Verificar se é possível adquirir vários tipos de veículos do mesmo fabricante (é mais económico)
  • Solicitar uma reunião com o gestor do fabricante, o gestor(a) terá mais conhecimento sobre certas promoções ou programas do que um simples vendedor da marca.
  • Ter uma noção de quantas milhas se vai fazer por ano, certos programas de aluguer permitem ao veículo realizar entre 12.000 e 15000 milhas por ano, após exceder, paga-se uma taxa por cada milha acumulada.
  • Comparar preços de aluguer e de compra (Term, [2009]).

Existem empresas específicas que tratam do ensinamento de uma boa gestão da frota de veículos, onde os programas que incluem focam-se principalmente:

  • Transporte - Sistemas de transporte, gerenciamento de transportes.
  • Manutenção da frota - Objectivos, importância, sistemas, manutenção correctiva e manutenção preventiva.
  • Planejamento das frotas - Avaliação da condição técnica do veículo, dimensionamento da frota, abastecimento do veículo.
  • Gestão dos pneus/importância do pneu para redução dos custos - Estrutura dos pneus, ferramentas para gestão dos pneus, desgaste dos pneus, análise de pneus (TTE, [2009a]).
Animação de sistema de transporte.

Outro exemplo de programa é:

  • Plano de contas - Como apropriar as despesas com as actividades de transporte.
  • Tesouraria - Manutenção em terceiros, peças e componentes comprados pela empresa.
  • Despesas calculadas - Licenciamentos, seguros, motoristas e ajudantes, leasing.
  • Taxa Homem-Hora - Como calcular a taxa homem-hora.
  • Tráfego - Como são usados os dados da frota no cálculo do custo operacional.
  • Renovação da frota - estabelecer critérios, observando a vida útil económica e o ponto económico de substituição.
  • Manutenção da frota - Reforma dos equipamentos de transporte da frota, manutenção preventiva, corrigir os defeitos aleatórios (TTE, [2009b]).

Software[editar | editar código-fonte]

Hoje em dia existem variados softwares de gestão de frota de veículos que permitem às empresas realizarem uma série de tarefas específicas na gestão das frotas. Essas tarefas abrangem todas as operações desde a aquisição, manutenção e eliminação.

Tem como função recolher, armazenar, processar e controlar os dados externos como por exemplo:

Temas abordados nos Softwares
Informações sobre a carta de condução do condutor
Bomba do combustível
Centros de inspecções de veículos
Direcção geral de cobrança de impostos
Direcção geral dos impostos
Fornecedor de horizonte electrónico
Dados sobre o seguro do veículo

Recentemente a Prefeitura Municipal de Fortaleza disponibilizou seu Sistema de Gestão de Frotas - SGF no Portal do Software Público Brasileiro do Ministério do Planejamento.

A solução pode ser acessada diretamente pelo endereço http://www.softwarepublico.gov.br/ver-comunidade?community_id=23369799. Aqueles que não estão cadastrados precisam se registrar no Portal SPB.

O Sistema de Gestão de Frotas-SGF otimiza o controle de frota em um ambiente único baseado em Software Livre. O sistema foi elaborado visando a transparência, agilidade no acesso às informações, diminuição dos gastos públicos e a construção de uma alternativa ecologicamente viável ao uso do papel.

Dentre o as funcionalidades que um Sistema de Frota tem, as do SGF:

= > Sistematizar e controlar todo o processo de abastecimento, utilização da frota, veículos nas oficinas e abastecimento de combustível;

= > Reduzir o consumo de papel, visto que todas a autorizações de abastecimento, troca de lubrificante, lavagem, etc são feitas em blocos de papel com mais de 1 via;

= > Reduzir os atrasos no resgate das informações, geralmente os relatorios gerencias de uma frota são coletados por fichas e planilhas descentralizadas, com um sistema de informação este resgaste se torna mais rápido e dinâmico;

= > Melhorar o controle de utilização dos recursos da frota, tornar este processo mais ágil, normalmente um chefe de transporte ou similar controla os carros manualmente, às vezes ocorrendo uma má gestão dos veículos.

(Clemente, [2008c])

Problemas[editar | editar código-fonte]

Na gestão da frota de veículos também surgem certos problemas, como por exemplo: custos de transporte elevado, concorrência de outras empresas, roubos, entre outros.

Os custos relativos às frotas de veículos são: pagamentos aos condutores, seguros dos veículos, taxas de circulação, preços dos combustíveis, manutenção, pagamento de portagens, depreciação dos veículos, entre outros custos (Clemente, [2008d]).

Outro problema associado à gestão da frota de veículos é que os condutores não tratam os veículos das empresas da mesma maneira que tratariam os seus, levando isto a um aumento do desgaste natural do veículo. Por vezes os veículos são utilizados quase 24 horas seguidas, com cargas excessivas e acumulam centenas de milhares de quilómetros (Clemente, [2008e]).

As empresas tentam reduzir estes custos da seguinte forma: Minimizando o número de veículos utilizados, reduzindo a distância total percorrida e reduzindo os custos administrativos (Clemente, [2008d]).

Existem certos problemas relacionados com o transporte marítimo como por exemplo: a pouca flexibilidade da carga, a baixa velocidade de transporte, estragos ou perdas de cargas (Carvalho, 2002, p. 194).

Curiosidades Tecnológicas[editar | editar código-fonte]

"Alta tecnologia faz um banco mais confortável" - A multimilionária marca Volvo cria o topo de gama dos bancos. Chama-se De Luxe e tem cerca de 750 componentes integrados, a novidade é que este banco possuí:

  • Almofadas moldadas numa só peça - Dentro do molde foram colocados painéis de reforço em espuma, possui almofadas de formas variadas mais espessas e macias para um maior conforto.
  • Ventilação adaptada - O banco possuí duas ventoínhas, uma no assento e outra nas costas, para o condutor nunca transpirar durante a condução. O banco possuí orifíos do tamanho duma moeda de 1 euro.
  • Ajuste da potência - Cabe ao condutor ajustar a potência e as várias opções de conforto do banco numa caixa de botões situada do lado esquerdo do banco do lado da porta.
  • Memória inesquecível - O banco possuí um processador que memoriza as definições que o condutor tinha antes das novas. Podem-se guardar até 3 regulações diferentes premindo-se o botão de memória durante alguns segundos. É uma funcionalidade prática se o veículo for utilizado por mais do que um motorista.

A Volvo está também a apostar na segurança rodoviária, lidera um importante projecto de segurança da UE. Criou o "camião com segurança integrada". Este possuí:

Características do camião
Detector de faixas de rodagem
Sistema de câmaras de apoio ao condutor
Integração de dispositivos
Painel de instrumentos ajustável
Ecrã no pára-brisas
Fornecedor de horizonte electrónico
Radar de curto alcance
Radar de longo alcance

Sendo:

  • Detector de faixas de rodagem - Se o condutor estiver a olhar para a estrada e se desviar da sua faixa de rodagem o volante emitirá uma vibração, se ele não estiver a olhar para a estrada o camião emitirá um tom sonoro de aviso que está prestes a sair da sua faixa de rodagem.
  • Sistema de câmaras de apoio ao condutor - O camião possuí duas câmaras que avaliam os movimentos da cabeça e dos olhos do condutor, até mesmo o grau de abertura destes (cansaço).
  • Integração de dispositivos - O camião vem equipado com um sistema de bluetooth. Com um comando é possível realizar chamadas, isto para os condutores não se distraírem à procura do telemóvel.
  • Painel de instrumentos ajustável - O painel casual de instrumentos foi substituído por um painel electrónico, onde é possível visualizar os vários tipos de informação (ajustável a cada condutor).
  • Ecrã no pára-brisas - Existe um ecrã virtual projectado mesmo por cima do painel de instrumentos, que faz com que o condutor não disperse o olhar da estrada.
  • Fornecedor de horizonte electrónico - Trata-se de um mapa electrónico que pode ser utilizado para avisar o condutor de uma curva apertada ou de uma passafem para peões.
  • Radar de curto alcance - Podemos dizer que "vê" a uma curta distância, isto é, se existir algum obstáculo à frente do camião, este não arranca.
  • Radar de longo alcance - "Vê" a uma distância maior relativamente ao radar de curto alcance, até cerca de 150 metros. Serve para avisar o condutor caso exista um obstáculo no meio da via, evitando desta maneira colisões.

Outro sistema que vem revolucionar o mercado das frotas tem como nome Dynafleet. Uma das funções mais importantes deste sistema é o relatório de consumo de combustíveis e os dados do motorista.

Com este sistema é possível receber a qualquer altura do dia no e-mail, no escritório os relatórios que fornecem informação sobre o consumo de combustível, o tempo que este circulou em ponto morto, entre outras informações importantes.

Per-Anders Grösfjeld gestor da Dynafleet afirma que a ideia é poder levar estes valores para a próxima sessão de formação de motoristas. “Em conjunto com a formação dos motoristas, podemos ligar estes valores, por exemplo, a qualquer tipo de concurso entre motoristas, de forma a conseguirmos reduzir ainda mais o consumo de combustível.

"A Torrestir, empresa sediada em Braga, adquiriu mais de 90 camiões equipados com o sistema Dynafleet. O responsável Romeu Torres, refere: "Utilizamo-lo sobretudo para conferir os mapas de viagem dos motoristas, bem como para tirar algumas dúvidas relativamente ao consumo do combustível". Reforça: "Estamos satisfeitos!". A empresa espera no futuro adquirir mais unidades equipadas com Dynafleet para o transporte nacional e internacional.

O grupo foi recentemente premiado com o galardão máximo, The Bizz Awards 2007, entregue pela World Conferation (Volvo, [2007]).

Em Portugal, a empresa líder em produção, desenvolvimento e comercialização de sistemas de localização GPS para gestão de frotas, é a Inosat. Esta empresa desenvolveu um produto chamado Inofrota, um serviço inovador de Gestão de Frotas via Internet, concebido para empresas com necessidades específicas na área da administração operacional e técnica de frotas e para gestores que exijam trabalhar com informação credível e formatada.

Trata-se de um sistema baseado em tecnologia GPS e GSM, capaz de gerir, em tempo real, informação relevante que permite o exacto planeamento das actividades da empresa, tendo em vista a rentabilização e optimização de recursos. O modo de transmissão de dados entre os veículos e a central onde se encontra instalada a aplicação é efectuado por GPRS, facultando assim uma actualização de dados informativos, constante e imediata. A aplicação é acedida via Internet, permitindo assim total mobilidade por parte dos seus utilizadores.

O produto é destinado a todos os utilizadores de frotas em que a complexidade das operações é considerável, e em que os métodos convencionais de gestão de frotas podem ser complementados por esta ferramenta informática. Deste modo, as empresas têm acesso a preciosos indicadores de gestão que irão permitir uma redução efectiva dos custos operacionais.

O sistema Inofrota garante o aumento da produtividade, uma vez que permite ao gestor de frotas medir os tempos de paragem indevidos da frota, e posteriormente tomar as medidas necessárias para a sua redução. Possibilita a optimização das rotas, através de um sistema de navegação que apresenta a rota mais eficaz e rápida, o que resulta numa maior rentabilização do tempo e redução dos custos. Garante o aumento da segurança, através da constante localização e monitorização da velocidade do veículo, evitando deste modo sinistros e possíveis roubos. Este sistema possibilita ainda o aumento da qualidade do serviço e da satisfação dos clientes. Através da localização GPS, o gestor de frota pode informar com exactidão o cliente sobre a chegada do mesmo, ou indicar a viatura mais próxima de um serviço inesperado, aumentando a capacidade e rapidez de resposta ao cliente.

Algumas empresas[editar | editar código-fonte]

Transporte Aéreo[editar | editar código-fonte]

Relativamente ao transporte aéreo, a líder em Portugal é a TAP. Em 2007, a TAP Portugal transportou cerca de 8 milhões de passageiros e cerca de 74 mil toneladas de carga e correio. Voando para 58 destinos na Europa, África, América do Norte, Central e Sul (TAP, [2009a]).

Foi considerada a décima companhia aérea mais segura do mundo pela edição japonesa da Newsweek (TAP, [2009b]).

Frota da TAP:

Modelo de avião A310 A319 A320 A321 A330 A340
Número de aviões 6 17 15 3 3 4

(Rodrigues, [2008?])

A TAP adquiriu o sistema COMPASS (Crew and Operational Management, Planning and Aircraft Scheduling System), trata-se de um software que vai permitir o planeamento operacional da frota, tripulações e horários.

Com este sistema, a Companhia vai poder melhorar a sua produtividade, um exemplo das funcionalidades deste sistema é: se um indivíduo da tripulação não se apresentar ao serviço, este sistema encontra um que esteja disponível em pouco tempo. Outro exemplo prático: se um avião não poder realizar o serviço, o COMPASS tem como objectivo encontrar um avião que substitua o outro de maneira a minimizar os custos e os inconvenientes causados aos passageiros.

Manuel Machado (consultor de negócio da TAP) afirma: "É importante para o negócio e para os clientes os benefícios reais que este novo sistema nos proporciona. Com o COMPASS nós esperamos reduzir os atrasos nos voos, assim como gerir a nossa tripulação de voo de uma forma mais eficaz. Ao procurarmos uma Empresa que tivesse a flexibilidade de entregar uma solução que respondesse aos nossos requisitos específicos, a Fujitsu com a experiência provada nas linhas aéreas sul africanas, convenceu-nos que poderia fazer o trabalho" (Compass, [2009]).

A seguinte tabela demonstra a frota da TAP:

Avião Total Passageiros
(TOP Executive/Económica)
Destinos Notas
Airbus A319-100
*A319-111
*A319-112
19
*16
*3
132 Domésticos e Europeus
Airbus A320-200
*A320-211
*A320-214
15
(6 pedidos leasing)
*4
*11
156 Domésticos e Europeus CS-TNP, com a pintura alusiva à Star Alliance

A TAP tem uma das frotas mais novas da Europa com uma idade média de 8 anos

Airbus A321-200
*A321-211
3
*3
194 Domésticos e Europeus
Airbus A330-200
*A330-223
*A330-202
12
*7
*5
263 (24/239) ou 268 (24/244) América do Sul e do Norte, Açores. CS-TOH, com a pintura alusiva à Star Alliance
Airbus A340-300
*A340-312
4
*4
274 (36/238) África, América do Sul e do Norte
Airbus A350-800 XWB (8 pedidos)
(3 de opção)
287 Intercontinentais
Airbus A350-900 XWB (4 pedidos) 314 Intercontinentais
Embraer ERJ-145 8 45 Domésticos e Europeus Operado pela Portugália
Fokker 100 6 97 Domésticos e Europeus Operado pela Portugália
Beechcraft 1900 2 19 Espanha Operado pela PGA Express
Vapor de água.

Como todas as actividades que envolvem combustão, a circulação de aviões causa efeito de estufa quando o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso entram na atmosfera. Existem impactos ambientais específicos para a aviação.

Quando há circulação de aviões em elevadas altitudes perto da estratosfera, são emitidos aerossóis e é deixado um rasto no céu podendo causar chuvas ácidas.

Transporte Ferroviário[editar | editar código-fonte]

Relativamente ao transporte ferroviário, a Fertagus é uma empresa do Grupo Barraqueiro.

Comboio Fertagus na Estação do Fogueteiro.

Realiza diariamente o transporte de cerca de 80 mil passageiros. Uma das causas mais fortes pelo que os utentes da ponte trocaram o automóvel pelo comboio foi porque passaram a ter menos stress, o tempo de ligação entre as duas estações da margem (Pragal/Campolide) é de 9 minutos, até na hora de ponta (Fertagus, [2009]).

Em Portugal, a empresa pública responsável pelo transporte ferroviário de passageiros e mercadorias, é a CP (Comboios de Portugal).

A CP transporta cerca de 178 milhões de passageiros e 9,3 milhões de toneladas de mercadorias por ano. Existem diferentes sub-empresas que representam unidades de negócio diferentes.

Unidades da CP
CP Regional
CP Suburbanos do Porto
CP Suburbanos de Lisboa
CP Longo Curso
CP Frota
CP Serviços
CP Carga

A CP Carga é uma unidade da CP (Comboios de Portugal) é responsável pelo transporte de mercadorias em Portugal e na Europa.

Tem como visão ser reconhecido pelo mercado como de alta qualidade e tem como missão satisfazer as necessidades dos seus clientes a nível de qualidade e segurança.

A CP Carga baseia-se nalguns valores, dos quais:

  • Segurança - baixa sinistralidade e aumento da segurança pessoal
  • Qualidade - pontualidade, frequência e higiene
  • Ambiente - meio de transporte pouco poluente
  • Serviço - actividade orientada e direccionada para o Cliente
  • Profissionalismo - espírito de equipa e rigor
  • Ética - verdade, honestidade e transparência
  • Iniciativa - inovação e dinamismo (CP, [2009]).

A CP Carga possuí um serviço porta a porta juntamente com outros meios de transporte através de parcerias estratégicas juntamente com empresas de logística e rodoviárias (CP, [2009]).

Transporte Terrestre[editar | editar código-fonte]

Relativamente ao transporte terrestre, o Grupo Luís Simões lidera em Portugal, devido a plataformas em toda a Península Ibérica é disponibilizado um serviço diário de distribuição com altos níveis de serviços e prazos muito reduzidos.

Existem algumas vantagens na utilização dos serviços do Grupo Luís Simões:

  • Rápida cobertura de todo o território ibérico.
  • Elimina a necessidade de criar stocks descentralizados.
  • Flexibilidade nas urgências através da gestão de um stock avançado.
  • Comunicação embarcada nas viaturas.
  • Equipa técnica altamente especializada e com grande experiência (LS, [2009a]).

Os transportes Luís Simões teêm uma estratégia que passa pelas seguintes premissas:

  • Introdução de inovação tecnológica e técnicas de gestão para lidar com as várias cadeias de abastecimento.
  • Valorizar cada vez mais os serviços logísticos (transporte, armazenagem e gestão).
  • Alargar geograficamente a prestação de serviços, criando redes de centros de operações logísticas e de transporte que optimizem a relação com o cliente.
  • Investimento em tecnologias de informação e telecomunicações para obter um traçado completo de todos os produtos desde o local onde são produzidos até ao local onde são consumidos (LS, [2009b]).

Transporte Marítimo[editar | editar código-fonte]

Os transportes marítimos movimentam cerca de 90% do comércio da Europa e aproximadamente 40% do comércio interno da União Europeia.

O comércio marítimo cresceu quetro vezes nos últimos 40 anos, e espera-se que triplique até 2020. O que leva a este aumento é este tipo de transporte ser económico e ambiental, visto consumir um décimo do combustível por tonelada-milha consumido pelo transporte terrestre.

Maior número de navios e de maiores dimensões estão a congestionar o trânsito marítimo, as soluções dependem de certos regulamentos e de políticas relacionadas com o ambiente, dependem também do planeamento e investimento e até de novos desenvolvimentos na área da logística e navegação (TM, [2009a]).

Um navio cargueiro em Elliot Bay, Seattle, Washington.
2005 Registo do mercado marítimo.

Os Navios porta-contentores são navios que transportam a sua carga em contentores. São normalmente movidos por grandes motores a diesel e uma tripulação que pode variar de 10 a 30 pessoas.

A maioria da carga do mundo é transportada através destes navios.

O apoio direccionado para a investigação do transporte marítimo pode provocar inovações tecnológicas que mantêm o custo de renovação de rotas reduzido através de normas de segurança e ambiente mais apertado, levam ao desenvolvimento da União Europeia de embarcações de lazer especializadas (TM, [2009b]).

Estas são duas das companhias marítimas portuguesas:

  • Portline
  • Porto Santo Line

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Logística é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.