Get Yer Ya-Ya's Out! The Rolling Stones in Concert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
'Get Yer Ya-Ya's Out!' The Rolling Stones in Concert
Álbum ao vivo de The Rolling Stones
Lançamento 4 de setembro de 1970
Gravação 26 de Novembro de 1969 a 28 de Novembro de 1969
Gênero(s) Rock, Blues Rock
Duração 47:36
Gravadora(s) London (USA) Decca (UK)
Produção The Rolling Stones, Glyn Johns
Cronologia de The Rolling Stones
Último
Último
Got Live If You Want It!
(1966)
Love You Live
(1977)
Próximo
Próximo


'Get Yer Ya-Ya's Out!' The Rolling Stones in Concert é um álbum ao vivo dos Rolling Stones, lançado em 4 de setembro de 1970 pela Gravadora Decca no Reino Unido e pela Gravadora London nos EUA. Ele foi gravado em Nova York e Maryland, em novembro de 1969, pouco antes do lançamento de Let It Bleed. Foi o primeiro álbum ao vivo a alcançar o primeiro lugar de vendas no Reino Unido.

O Grande sucesso do álbum,aliado ao auge musical da banda tanto em relação às suas apresentações ao vivo, quanto a maestria de suas músicas, em um momento em que os Beatles já não existiam mais, levou a muitos adeptos do Rock reconhcerem os Rolling Stones como a maior banda de Rock do Mundo.


Gravação[editar | editar código-fonte]

Uma razão para lançar um álbum ao vivo foi para combater o lançamento de Live'r Than You'll Ever Be, uma gravação pirata de uma performance Oakland na mesma turnê, a qual andava fazendo muito sucesso entre o público.

Estando sem fazer turnês desde abril de 1967, os Rolling Stones estavam ansiosos para pegar a estrada em 1969. Com seus dois álbuns mais recentes, Beggars Banquet e Through the Past, Darkly(Big Hits Vol. 2) sendo muito elogiados, as audiências estavam antecipando seu retorno aos palcos. Sua Turnê Americana de 1969, durante novembro e dezembro, teve a participação de BB King (substituído em algumas datas por Chuck Berry), Ike e Tina Turner e Terry Reid, tocando para casas lotadas. A turnê foi a primeira de Mick Taylor com os Stones, pois Brian Jones havia sido substituído pouco antes de sua morte, em julho. As performances apresentaram a interação da guitarra de Taylor com Keith Richards. Embora tenha participado da gravação de apenas duas faixas de Let It Bleed, foi nesse álbum em que as habilidades de Taylor foram plenamente demonstradas.

Ao contrário do formato usualmente utilizado hoje em dia, no qual se registra o show completo, sem cortes e na sequência da apresentação, na época, o usual era se colocar nos discos faixas independentes, fora da ordem de execução, se priorizando as músicas com melhor execução e resultado ao vivo, até porque, a capacidade de armazenamento dos antigos LP's era bem mais limitada que o das mídias digitais posteriores. Live at Leeds, o clássico álbum ao vivo do The Who, também teve as faixas editadas da mesma forma.

A faixa "Love in Vain" foi gravado em Baltimore, Maryland, em 26 de novembro de 1969. As demais faixas foram gravadas nos dois dias seguintes, no Madison Square Garden em Nova York. No primeiro show foram gravadas 'Jumpin' Jack Flash' e 'Honky Tonk Women' ainda na noite de 27 de novembro e 'Carol', 'Stray Cat Blues', 'Sympathy for The Devil', 'Little Queenie' e 'Street Fighting Man' já na madrugada de 28 de novembro de 1969. Por fim, no segundo show, naquela mesma noite do dia 28, foram gravados 'Midnight Rambler' e 'Live With Me'. As gravações foram trabalhadas durante Janeiro e Fevereiro de 1970, no Olympic Studios de Londres. O produto final contou com vocais novos em meia às faixas, e backing vocais adicionados por Richards em várias outras.

O título do álbum foi adaptado a partir da música "Get Yer Yas Yas Out" por Blind Boy Fuller, mais especificamente do verso ""get your yas yas out the door"". A foto da capa foi tirada no início de fevereiro de 1970, tendo Charlie Watts com guitarras e bumbos penduradas no pescoço de um burro. Foi inspirada na letra da música "Visions of Johanna", composta por Bob Dylan (embora essa letra se refira a uma mula).

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

Na revisão do álbum para a revista Rolling Stone , o crítico Lester Bangs disse: "Eu não tenho dúvida de que é o melhor concerto de rock já registrado."

"Get Yer Ya-Ya's Out" foi lançado em setembro de 1970, bem nas sessões para o seu próximo álbum de estúdio, Sticky Fingers, sendo muito bem recebido por crítica e público, produzindo enorme sucesso comercial, atingindo por fim o 1º lugar entre os mais vendidos no Reino Unido e 6º lugar nos EUA, onde foi platina. Com exceção de compilações, foi o último álbum que a banda lançou através da Decca Records ou da London Records. A Partir de então, lançariam seus novos discos pela sua própria Rolling Stones Records.

Em novembro de 2009, o álbum foi relançado em uma versão comemorativa pelo 40º aniversário de estréia, trazendo gravações inéditas dos Rolling Stones que ficaram de fora do álbum original, além de músicas cantadas por BB King e Ike & Tina Turner na abertura dos shows.


Faixas[editar | editar código-fonte]

Faixas da versão original[editar | editar código-fonte]

Lado A
N.º Título Duração
1. "Jumpin' Jack Flash"   4:02
2. "Carol"   3:47
3. "Stray Cat Blues"   3:41
4. "Love in Vain"   4:57
5. "Midnight Rambler"   9:05
Lado B
N.º Título Duração
6. "Simpathy For The Devil"   6:52
7. "Live With Me"   3:03
8. "Little Queenie"   4:33
9. "Honky Tonk Women"   3:35
10. "Street Fighting Man"   4:03

Faixas da versão de luxo comemorativa de 40 anos[editar | editar código-fonte]

Disco 1 - faixas originais

N.º Título Duração
1. "Jumpin' Jack Flash"   4:02
2. "Carol"   3:47
3. "Stray Cat Blues"   3:41
4. "Love in Vain"   4:57
5. "Midnight Rambler"   9:05
6. "Simpathy For The Devil"   6:52
7. "Live With Me"   3:03
8. "Little Queenie"   4:33
9. "Honky Tonk Women"   3:35
10. "Street Fighting Man"   4:03

Disco 2 - Faixas inéditas

N.º Título Duração
1. "Prodigal Son"   4:04
2. "You Gotta Move"   2:18
3. "Uner My Thumb"   3:38
4. "I'm Free"   2:47
5. "(I Can't Get No) Satisfaction"   5:38

Disco 3 - BB King e Ike & Tina Turner ao vivo

N.º Título Duração
1. ""Everyday I Have the Blues" por BB King"   2:27
2. ""How Blue Can You Get" por BB King"   5:30
3. ""That's Wrong Little Mama" por BB King"   4:11
4. ""Why I Sing The Blues" por BB King"   5:16
5. ""Please Accept My Love" por BB King"   4:52
6. ""Gimme Some Loving" por Ike & Tina Turner"   0:49
7. ""Sweet Soul Music" por Ike & Tina Turner"   1:16
8. ""Son Of A Preacher Man" por Ike & Tina Turner"   2:49
9. "Proud Mary por Ike & Tina Turner"   3:07
10. ""I've Been Loving You Too Long" por Ike & Tina Turner"   5:40
11. ""Come Together" por Ike & Tina Turner"   3:36
12. ""Land Of A Thousand Dances" por Ike & Tina Turner"   2:40

DVD Bonus[editar | editar código-fonte]

N.º Título Duração
1. "Introduction (Madison Square Garden show)"    
2. "Prodigal Son"   2:40
3. "You Gotta Move"   1:58
4. "Sessão de fotos da capa do álbum"   3:30
5. "Keith no estúdio"   1:40
6. "Under My Thumb / I'm Free / gravações com Jimi Hendrix"   6:09
7. "(I Can't Get No) Satisfaction / pessoas esperando por transporte"   10:45
8. "Créditos"    

Créditos[editar | editar código-fonte]

The Rolling Stones
  • Mick Jagger – vocal e gaita em "Midnight Rambler"
  • Keith Richards – guitarra base, guitarra solo, backing vocais e guitarra ressonadora em "You Gotta Move" e "Prodigal Son"
  • Mick Taylor – guitarra base, guitarra solo e guitarra slide
  • Charlie Watts – bateria e percussão
  • Bill Wyman – contra-baixo
Equipe de apoio
Staff de estúdio e mixagem
  • Engenheiro de mixagem e gravação - Glyn Johns
  • Gravado por Wally Heider Studios
  • David Bailey - Fotografia de capa


Paradas[editar | editar código-fonte]

Ano Parada Posição
1970 UK Albums Chart 1
1970 Billboard Pop Albums 6

Certificação[editar | editar código-fonte]

País Certificação Vendas
Estados Unidos Platina 1 000 000


Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.