Giampaolo Pazzini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

{{Info/Futebolista |nome = Giampaolo Pazzini |imagem = Giampaolo Pazzini 4.jpg |imagem_tamanho = |imagem_legenda = |nomecompleto = Giampaolo Pazzini |datadenascimento = 2 de Agosto de 1984 (29 anos) |cidadenatal = Pescia |paisnatal =  Itália |altura = 1,80 m[1] |peso = 74 kg[1] |pé = Destro |apelido = Il Pazzo, Pazzo Pazzini, Giampi |actualclube = Itália Milan |clubenumero = 11 |posição = Atacante |site = |jovemanos = 1999-2003 |jovemclubes = Itália Atalanta |ano = 2003–2005
2005–2009
2009–2011
2011–2012
2012– |clubes = Itália Atalanta
Itália Fiorentina
Itália Sampdoria
Itália Internazionale
Itália Milan |jogos(golos) = 0051 000(12)
0108 000(25)
0075 000(36)
0050 000(16)
0046(19) Giampaolo Pazzini (Pescia, 2 de agosto de 1984)[2] é um futebolista italiano que atua como atacante. Atualmente, joga pelo Milan.[3] [4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Mais um produto das categorias de base da Atalanta, Pazzini chegou em Bérgamo aos 14 anos para treinar no clube e morar num abrigo para garotos de outras regiões. Na Primavera nerazzurra, fez uma parceria de sucesso com seu amigo Montolivo. Aliás, Foi de Pazzini o passe para o primeiro gol de Montolivo na categoria. Nos profissionais, subiram juntos, como titulares. No ataque oróbico, marcou nove gols em 39 jogos da Serie B e chamou a atenção de alguns times da Serie A, para onde voltou com a Atalanta. Continuou seis meses em nerazzurro, até ser contratado pela Fiorentina, que pagou 6 milhões de euros por ele em janeiro de 2005.

Fiorentina[editar | editar código-fonte]

Em sua meia temporada de estreia, marcou três gols, um deles num empate inesperado contra a Juventus em 3 a 3. Com a opção de Cesare Prandelli por um esquema com um só atacante, Luca Toni, Pazzini acabou com pouco espaço entre os titulares, mas ainda assim deixou seus gols. Em dois anos, foram 12 nas poucas partidas como titular, o que lhe rendeu a expectativa de ser o herdeiro natural de Toni.

Sem o camisa 30, que havia se transferido para o Bayern de Munique em 2007, Pazzini assumiu a titularidade e participou diretamente de mais de 20% dos gols da Fiorentina no campeonato, mas viu seu espaço diminuir com a contratação de Gilardino, em 2008.

Sampdoria[editar | editar código-fonte]

Depois da chegada do ex-milanista, Pazzini só começou três partidas como titular até dezembro e acabou negociado com a Sampdoria, que pagou 9 milhões de euros para tê-lo como acompanhante de Cassano no ataque blucerchiato. Cassano lhe recomendou a camisa 10, Pazzini aceitou.

Em seus primeiros sete jogos, fez seis gols. Logo no primeiro semestre como referência ofensiva da equipe, mostrou grande entrosamento com Cassano e marcou contra Juventus, Milan, Inter e Roma. Na temporada 2009-10, na qual jogou com uma máscara em várias partidas, foi ainda melhor e fez 19 gols, inclusive o que decidiu a vaga na UEFA Champions League para a Samp, na última rodada, contra o bom time do Napoli.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Em 28 de janeiro de 2011, foi contratado pela Inter num contrato de quatro anos e meio. Os valores revelados dizem que a negociação girou em torno de 12 milhões de euros, mais o passe do francês Jonathan Biabiany, que foi para a Sampdoria como parte do pagamento. Recebeu a camisa de número 7 dos nerazzurri.[5]

Somente dois dias depois, em 30 de janeiro, Pazzini estreou com a camisa da Inter. E não poderia ter sido melhor. Pazzini marcou dois gols e ainda sofreu o pênalti que culminou no terceiro da vitória de virada contra o Palermo, salvando o time milanês da derrota em pleno Estádio Giuseppe Meazza. Em seu segundo jogo, desta vez contra o Bari, marcou mais um e chegou ao terceiro gol em dois jogos pela Inter. Continuou sua boa temporada de estreia pela Inter marcando gols em vários jogos e, em 30 de abril, salvou a equipe de mais uma derrota na partida contra o Cesena. A Inter perdia por 1 a 0 até o final do tempo regulamentar, quando Pazzini marcou dois gols, o primeiro aos 46 e o segundo aos 50 minutos do segundo tempo da partida, decretando a vitória de virada.[6]

Milan[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de agosto de 2012, Pazzini foi anunciado como novo jogador do Milan, numa troca com a maior arquirrival Internazionale envolvendo o ex-atacante do rossonero Antonio Cassano, que foi para a Inter.[3] [3] Além disso, a negociação envolveu também um pagamento de 7 milhões de euros do Milan a Internazionale, pelo valor de Pazzini ser maior.[7] Pazzini vestiu a camisa de número 11, usada antes por Zlatan Ibrahimovic, que transferiu-se ao PSG. Fez dois gols contra a Lazio em 2 de março, pelo campeonato italiano vencendo o jogo de goleada por 3 a 0 dentro de casa.[8] Marcou mais um gol pelo Milan em 8 de março, contra o Genoa vencendo a partida por 2 a 0.[9] [10] Fez dois gols contra o Catania em 29 de abril, na vitória de sua equipe por 4 a 2 de virada se mantendo em 3º lugar do campeonato italiano.[11]

Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

Pazzini jogou em todas as seleções italianas de base e atingiu seu auge no Europeu Sub-19, em que venceu marcando gol na final contra Portugal. Pelo Sub-21, Pazzini ficou marcado por deixar sua marca na inauguração do Novo Wembley, com uma tripletta contra a Inglaterra Sub-21.

Sua primeira convocação pela seleção principal veio em 2009, durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo do ano seguinte, o então treinador Marcello Lippi o convocou. Em 28 de março, durante um jogo contra Montenegro, estreou marcando seu primeiro gol pela seleção. Quatro dias depois, novamente pelas eliminatórias, iniciou como titular a partida contra a Irlanda. Ao contrário da estreia, essa partida foi frustrante para Pazzini, que foi expulso no segundo minuto de jogo após uma cotovelada sobre John O'Shea, e passou então a deter o recorde de expulsão mais rápida na história da seleção italiana.

Sua primeira competição pela seleção principal foi exatamente a Copa do Mundo de 2010, onde foi reserva. A verdade é que Pazzini ainda não teve muitas chances pela Azzurra, porém, com sua transferência para a Inter e suas excelentes primeiras partidas pelo clube, foi promovido a titular em algumas ocasiões sob o comando do novo treinador Cesare Prandelli, com quem já havia trabalhado na Fiorentina.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de julho de 2011 se casa com Silvia Slitti, com quem Pazzini namorava há 10 anos. Em 21 de dezembro, do mesmo ano, nasce o primeiro filho do casal, chamado Tommaso Pazzini.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 21 de agosto de 2012.

Clubes[editar | editar código-fonte]

[12]

Clube Temporada Liga Copa Competições
europeias
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Atalanta
200304 39 9 - - - - 39 9
200405 12 3 - - - - 12 3
Total 51 12 - - - - 51 12
Fiorentina
200405 14 3 0 0 - - 14 3
200506 27 5 0 0 - - 27 5
200607 24 7 0 0 - - 24 7
200708 31 9 0 0 10 0 41 9
200809 12 1 0 0 4 0 16 1
Total 108 25 0 0 14 0 122 25
Sampdoria
200809 19 11 4 4 - - 23 15
200910 37 19 2 2 - - 38 21
201011 19 6 1 1 5 5 25 12
Total 75 36 7 7 5 5 87 48
Internazionale
2010-11 17 11 3 0 0 0 20 11
2011-12 33 5 1 0 6 3 40 8
Total 50 16 4 0 6 3 60 19
AC Milan
2012-13 30 15 2 1 5 0 37 16
2013-14 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 30 15 2 1 5 0 37 16
Total na carreira 314 104 30 19 30 8 374 131

Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

[13]

Ano
Jogos Gols
2009 5 1
2010 8 0
2011 9 3
2012 2 0
Total 23 4
Gols marcados
# Data Local Adversário Placar Resultado Competição
1. 28 de março de 2009 Podgorica, Montenegro Flag of Montenegro.svg Montenegro 0–2 0–2 Elim. Copa do Mundo de 2010
2. 3 de junho de 2011 Modena, Itália Flag of Estonia.svg Estónia 3–0 3–0 Elim. Euro 2012
3. 6 de setembro de 2011 Florença, Itália Flag of Slovenia.svg Eslovénia 1–0 1–0 Elim. Euro 2012
4. 11 de novembro de 2011 Wrocław, Polônia Flag of Poland.svg Polónia 0–2 0–2 Amistoso

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internazionale

Referências

  1. a b Perfil em ogol.com.br
  2. La Gazzetta dello Sport. Giampaolo Pazzini (em Italiano). Página visitada em 4 de junho de 2010.
  3. a b c Giampaolo Pazzini is now officially a Milan player (em inglês). acmilan.com (22 de agosto de 2012). Página visitada em 22 de agosto de 2012.
  4. Milan e Inter oficializam troca de Cassano por Pazzini. trivela.uol.com.br (22 de agosto de 2012). Página visitada em 22 de agosto de 2012.
  5. http://www.inter.it/aas/squadra/player4?codgioc=G0872&STAG=2011/12
  6. Inter vira com dois gols de Pazzini nos acréscimos. GloboEsporte.com (30 de abril de 2011).
  7. AC Milan and Inter agree terms over Pazzini-Cassano swap (em inglês). goal.com (22 de agosto de 2012). Página visitada em 22 de agosto de 2012.
  8. Com sobras, Milan bate Lazio por 3 a 0 e toma a terceira posição do rival. Página visitada em 2 de Março de 2013.
  9. Milan supera Genoa e se mantém em terceiro no Italiano. Página visitada em 8 de março de 2013.
  10. Campeonato Italiano: Milan vence Genoa e segura o terceiro lugar. Página visitada em 9 de março de 2013.
  11. Com 2 de Pazzini, Milan vira sobre Catania e permanece em 3º lugar, no italiano. Página visitada em 29 de abril de 2013.
  12. Football : Giampaolo Pazzini (em inglês). FootballDatabase.eu. Página visitada em 21 de agosto de 2012.
  13. Player - Giampaolo Pazzini (em inglês). National Football Teams. Página visitada em 21 de agosto de 2012.
Bandeira de ItáliaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas italianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.