Gibiteria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exemplo de gibiteria em Istambul na Turquia.

Gibiteria é um neologismo utilizado para designar um tipo de estabelecimento comercial onde vende, compra ou troca revistas em quadrinhos (ou gibi).[1] Sejam novos ou usados. Nas cidades, por vezes gibis em quadrinhos usados (antigos ou não) são vendidos em sebos (alfarrabista em Portugal), feiras, barracas, mercado de pulgas[2] , etc. É relativamente recente o uso do vocábulo. Esse tipo de loja começou a surgir com o crescimento do mercado de gibis no Brasil. Por vezes, é utilizado expressões do inglês como "comic shop"[3] ou "comic store". Muitos desses estabelecimentos também vendem RPGs e jogos de cartas colecionáveis[4] .

Já o termo gibiteca ou bedeteca (em Portugal) seria uma espécie de biblioteca só que para gibis, hqs. Ou seja uma coleção de gibis (de preferência com um acervo significativo e variado) para serem lidos e apreciados.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Os gibis no mundo dos sebos virtuais - parte 2 (em português) Universo HQ (15/12/2004). Visitado em 15/05/2010.
  2. Marcelo Naranjo sobre o press release (10/09/09). Segunda edição do Mercado de Pulgas em São Paulo Universo HQ.
  3. Érico Borgo (23 de Janeiro de 2002). Omelete turismo: Comic Shops de Nova York Omelete.
  4. Mark Forbeck. (Setembro 1996). "Big Bang!". Wizard Brasil (2). Editora Globo. ISSN 1413-6802.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gibiteria
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.