Gifu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo é sobre a província de Gifu no Japão. Sobre a cidade com o mesmo nome, veja Gifu (cidade).

Província de Gifu
(岐阜県 Gifu-ken)
Mapa
Mapa do Japão com Gifu destacado
Informação
Capital Gifu (cidade)
Região Chubu
Ilha Honshu
Área 10 598,18 km² (7.º)
 - % água 0,2%
População (1 de Outubro de 2000)
 - Total 2 107 687 (18.º)
 - Densidade populacional 199 hab/km²
Distritos 15
Municípios 99
ISO 3166-2 JP-21
Website www.pref.gifu.jp/
index_e.htm
Símbolos
Flor Astrágalo chinês (Astragalus sinicus)
Árvore Teixo (Taxus cuspidata)
Ave Lagópode branco
(Lagopus mutus)

Gifu (岐阜県, Gifu-ken?) é uma província do Japão. A capital da província é a cidade homónima de Gifu.

Está situada na região de Chubu. Tem fronteiras com as províncias de Nagano, Aichi, Mie, Shiga, Fukui, Ishikawa e Toyama, não tem fronteiras com o mar. Alguns de seus principais rios são: Kisogawa, Nagaragawa e Ibigawa. Algumas de suas principais montanhas são: Norikuradake e Noguchiigourodake.

Localizada no centro do Japão, exerceu um importante papel conectando o leste ao oese através de rotas como a de Nakasendo. Durante o Período Sengoku, muitas pessoas se referem a Gifu como controle Gifu e você controlará o Japão.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A região onde hoje está a província de Gifu tornou-se parte da Corte de Yamato por volta de meados do século IV. Visto que ela está no meio da ilha de Honshu, ela foi o lugar de muitas batalhas decisivas ao longo da história do Japão, sendo que a mais antiga foi a Guerra Jinshin, em 672, que levou ao trono o Imperador Tenmu como o 40° imperador do país.

A região da província de Gifu consiste das antigas províncias de Hida, Mino, bem como partes menores de Echizen e Shinano.[2] O nome da província deriva de sua capital, Gifu, que foi assim nomeada por Oda Nobunaga durante sua campanha para unificar todo o Japão em 1567.[3] O primeiro caractere usado vem de Qishan (山), uma montanha lendária de onde a maior parte da China foi unificada, enquanto o segundo caractere vem de Qufu (曲), o lugar de nascumento de Confúcio.[4] Nobunaga escolheu esse caracteres porque ele queria unificar todo o Japão e ser visto como um homem inteligente.

Historicamente, a província serviu como centro da forjaria de todo o Japão, sendo que Seki (Gifu) era conhecida por fazer as melhores espadas do país. Mais recentemente, a sua economia tem como atividades fortes a moda (principalmente na cidade de Gifu) e a engenharia aeroespacial (Kakamigahara).

Em 28 de outubro de 1891, o lugar onde hoje se localiza a cidade Motosu (Gifu) foi o epicentro do Terremoto Mino-Owari de 1891, o segundo mais forte da história do país.[5] O terremoto, estimado em 8 graus na escala Richter, deixou uma grande fenda no terreno que pode ser vista ainda hoje.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Mapa da província de Gifu

Uma das poucas províncias do Japão sem acesso ao mar no Japão, Gifu faz fronteira com outras sete províncias: Aichi, Fukui, Ishikawa, Mie, Nagano, Shiga e Toyama. O código postal do Japão sempre começa com três dígitos, indo de 001 a 999. Parte do território de Gifu tem o prefixo 500, o que reflete sua localização no centro do Japão.

O centro populacional japonês é atualmente localizado na cidade de Seki (Gifu). O centro populacional é um ponto imaginário onde o país é perfeitamente balanceado assumindo que cada habitante tem um peso uniforme. O ponto foi calculado usando o censo de 2005.

Regiões[editar | editar código-fonte]

Gifu possui cinco regiões não oficiais, o que permite às municipalidades locais trabalharem juntos para promover o desenvolvimento da região. As cinco regiões são Seino[6] , Gifu[7] , Tono[8] , e Hida.[9] . As fronteiras entre as regiões são vagamente definidas, mas são bem delimitadas entre as cidades maiores.

Topografia[editar | editar código-fonte]

A região norte de Hida é dominada por montanhas altas, incluindo partes dos Alpes japoneses. A região sul de Mino engloba grande parte das férteis Planícies de Nobi. A maior parte da população da província vive mais ao sul, perto da cidade de Nagoya, Aichi.

A região montanhosa de Hida contém as Montanhas de Hida, que são conhecidas como os Alpes do norte e as Montanhas de Kiso, que são conhecidas como os Alpes centrais. As Montanhas de Ryohaku também são localizadas na região de Hida. Outras grandes áreas incluem as Montanhas de Ibuku e as Montanhas de Yoro.

A maior parte da região de Mino é constituída da planície aluvial dos Três Rios de Kiso, que são os rios de Ibi, Kiso e Nagara. A nascente dos três rios está localizada na província de Nagano, e eles correm através das províncias de Aichi e Mie antes de desaguar na Baía de Ise. Outros grandes rios da província incluem os rios Jinzu, Takahara, Sho, Shonai, Yahagi e Itoshiro.

Clima[editar | editar código-fonte]

Como a região de Mino é cercada por montanhas baixas, a temperatura varia durante o ano, com verões quentes e invernos frios. A cidade de Tajimi, que fica a leste, frequentemente atinge as temperaturas mais altas do Japão no ano. Em 16 de agosto de 2007, ela registrou o dia mais quente da história do Japão, com 40,9° Celsius.[10] Os verões são muito quentes, tendo em vista que as regiões sem acesso ao mar tornam-se ilhas de calor, e a temperatura sobe ainda mais quando ventos quentes e secos vêm sobre as Montanhas de Ibuki da região de Kansai. A região de Higa, com sua grande altitude, é geralmente mais fria que a região de Mino, apesar de existirem alguns dias quentes também. Shokawa, parte da cidade de Takayama, é localizada nas montanhas, e sua localização levou a cidade a ser chamada de o lugar mais frio de Honshu.

Cidades[editar | editar código-fonte]

Casa tradicional em Shirakawa-go

Em negrito, a capital da prefeitura.

Distritos[editar | editar código-fonte]

Fusões[editar | editar código-fonte]

Expansão de Nakatsugawa[editar | editar código-fonte]

A 13 de Fevereiro de 2005 seis localidades e aldeias do antigo Distrito de Ena (desta forma dissolvido) fundiram-se à cidade expandida de Nakatsugawa. As localidades e aldeias envolvidas foram Fukuoka, Hirukawa, Kashimo, Kawaue, Sakashita e Tsukechi.

Expansão de Seki[editar | editar código-fonte]

A 7 de Fevereiro de 2005 cinco localidades e aldeias do antigo Distrito de Mugi (dissolvido a partir desse momento) fundiram-se à cidade expandida de Seki. As localidades e aldeias envolvidas nesta fusão foram Horado, Itadori, Kaminoho, Mugegawa, e Mugi.

Expansão de Takayama[editar | editar código-fonte]

A 1 de Fevereiro de 2005 nove localidades do Distrito de Ono e do antigo distrito de Yoshiki (dissolvido a partir deste momento) fundiram-se na cidade expandida de Takayama. As localidades que participaram desta fusão foram: do distrito de Ono, Asahi, Kiyomi, Kuguno, Miya, Nyukawa, Shokawa, e Takane e, do distrito de Yoshiki, Kamitakara e Kokufu.

Vista do Castelo de Gifu

Expansão de Ibigawa[editar | editar código-fonte]

A 31 de Janeiro de 2005 cinco aldeias do Distrito de Ibi fundiram-se na cidade xpandida de Ibigawa. As aldeias envolvidas nesta fusão foram Fujihashi, Kasuga, Kuze, Sakauchi, e Tanigumi.

Expansão de Kakamigahara[editar | editar código-fonte]

A 1 de Novembro de 2004 a antiga localidade de Kawashima do distrito de Hashima fundiu-se à cidade expandida de Kakamigahara.

Expansão de Ena[editar | editar código-fonte]

A 25 de Outubro de 2004 cinco localidades do distrito de Ena fundiram-se na cidade expandida de Ena. Eram elas: Akechi, Iwamura, Kamiyahagi, Kushihara, e Yamaoka.

Fusão de Gero[editar | editar código-fonte]

A 1 de Março de 2004 as quatro vilas e aldeia do distrito de Mashita (dissolvido a partir deste momento) fundiram-se, formando a cidade de Gero. As vilas e aldeias eram Gero, Hagiwara, Kanayama, Kosaka, e Maze.

Fusão de Gujo[editar | editar código-fonte]

A 1 de Março de 2004 as localidades do distrito de Gujo (dissolvido a partir deste momento) merged, fundiram-se formando a cidade de Gujo. Foram elas: Hachiman, Meihou, Minami, Shitori, Takasu, Wara, e Yamato.

Fusão de Yamagata[editar | editar código-fonte]

A 1 de Abril de 2003 as vilas e aldeias do Distrito de Yamagata (dissolvido a partir desta altura) fundiram-se, formando a cidade de Yamagata. Foram elas: Ijira, Miyama e Takatomi.

Economia[editar | editar código-fonte]

As indústrias tradicionais, tais como a de celulose e agricultura, são encontradas em Gifu, mas sua economia é dominada pela indústria aeroespacial e automotiva, com complexos industriais que chegam até a região de Nagoya. Também existem indústrias de pequenos componentes, como máquinas de precisão, tintura, fabricação de moldes e de plástico.

Indústrias tradicionais[editar | editar código-fonte]

A região de Mino foi por muito tempo conhecida pelo papel de alta qualidade chamado Mino washi, que é mais forte e fino que quase todos os outros papéis no Japão, sendo usada campanha militar do Japão na Segunda Guerra Mundial.[11] Outros produtos feitos de papel incluem as lanternas e guarda-chuvas de Gifu, feitos na capital da província. Outros produtos tradicionais são a cerâmica mino-yaki de Tajimi, Toki e Mizunami, talheres de Seki e artigos de laca de Takayama.

Como Gifu tem planícies amplas e aráveis, a agricultura também é um setor importante da província. As florestas ao norte fornecem materiais para trabalhos com madeira e para a construção de barcos usados na Pesca do Ayu, no rio Nagaragawa. É produzido sake com as águas límpidas dos rios.

Indústrias modernas[editar | editar código-fonte]

Kakamigahara exerce um papel importante nas indústrias modernas da província. Ela sedia grandes indústrias aeroespaciais de empresas como a Kawasaki e a Mitsubushi, bem como indústrias metalúrgicas e manufatureiras.

O setor de tecnologia da informação também marca presença na província, com algumas empresas sediadas em Ogaki e Kakamigahara. A capital Gifu também sedia algumas empresas do setor.

Ciências[editar | editar código-fonte]

A região de Kamioka, na cidade de Hida, sedia os experimentos de Super-Kamiokande e KamLAND, que são observatórios de neutrino e antineutrino, respectivamente. Localizada mil metros abaixo da Mina de Kamioka e da Mina de Mozumi, o detector procura por neutrinos (e antineutrinos) da alta atmosfera, do Sol e de supernovas, enquanto o KamLAND trabalha com reatores nucleares da região. O Super-Kamiokande consiste de um tanque de aço inox cilíndrico com 41,4 metros de altura e 39,3 metros de diâmetro que comporta 50 mil toneladas de água pura. O mesmo observatório também possui o CLIO, um protótipo de detector de ondas gravitacionais.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população da província era de 2 101 969 em 1 de setembro de 2007, com aproximadamente 1,8 milhões de habitantes nas cidades e o resto no interior.[12] A porcentagem de homens e mulheres são 48,4% e 51,6%, respectivamente.[12] 14,4% da população não tem mais do que 14 anos, com 22,1% da população mais velha do que 65 anos.[12]


Turismo[editar | editar código-fonte]

Gifu tem muitas atrações turísticas populares, trazendo visitantes para todas as partes da província. Os lugares mais populares são Gifu, Gero, Takayama e a vila de Shirakawa. Gifu é famosa pela pesca com o cormorão no Rio Nagaragawa, que tem uma história de 1 300 anos por ser a residência de Oda Nobunaga e Saito Dosan.

Gero é conhecida por suas relaxantes fontes termais (onsen), que atrai visitantes o ano todo.

As vilas históricas de Shirakawa-go e Gokayama são Patrimônios da Humanidade, segundo a UNESCO.

Takayama é famosa por manter sua aparência original e é frequentemente chamada de Pequena Quioto.

Além dos turistas estrangeiros, Gifu também sedia muitos eventos internacionais. O Complexo Mundial de Eventos e Convenções de Gifu sedia muitos tipos diferentes de evento. Outras regiões de Gifu também abrigam eventos internacionais. O Campeonato Mundial de Remo de 2005 foi sediado na cidade de Kaizu, Gifu. A Copa do Mundo de Snowboard foi sediada na cidade de Gujo, Gifu, em 2008. O Encontro Ministerial de 2010 no Japão da APEC (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico) foi sediado na cidade de Gifu.

Pesca com cormorão no rio Nagaragawa
Evento de dança em Gujo, em agosto

Símbolos provinciais[editar | editar código-fonte]

O símbolo de Gifu vem do primeiro caractere gi (岐) de seu nome em japonês, escrito de um jeito estilizado, cercado por um círculo, que representa a paz e a harmonia dos cidadãos da província. Foi escolhido por concurso em 1932.[13]

O logo da província expande do ponto vermelho no centro para as duas linhas de fora e, finalmente, para o fundo amarelo. Esse símbolo foi escolhido em 1991 pelo desenvolvimento e expansão da província.[13]

A província também tem duas plantas (o Astragalus e o Taxus cuspidata e dois animais (o Lagópode-branco e o Ayu) como símbolos. O astagalus foi escolhido em 1954, pois a província é muito conhecida por sua abundância de astragalus florescendo na primavera. O Taxus cuspidata foi escolhido em 1966, pois é a árvore usada para fazer ornamentos para o Imperador, e que tem em grande quantidade no distrito de Hida. O Lagópode-branco foi escolhido em 1961, tendo em vista que o pássaro vive nos Alpes japoneses e é uma espécie nacionalmente protegida. O Ayu foi escolhido em 1989, porque esse peixe é encontrado em muitos rios da província e é conhecido por seu gosto doce.[13]

Referências

  1. Instant Gifu. Gifu International Center, 1995.
  2. Nussbaum, "Provinces and prefectures" em Japan Encyclopedia, p. 780 (em inglês)
  3. Livro em pedra em frente ao Santuário de Kashimori. Erigido pelo Santuário de Kashimori.
  4. Gifu tour guide - Outline of Gifu Prefecture. Gifu Prefecture Tourist Federation. Accessed September 9, 2007. (em inglês)
  5. Terremoto Mino. Tokyo Science Museum. Acessado em 5 de julho de 2007. (em japonês)
  6. Portal de Nishi Mino. Ginet. Acessado em 24 de junho de 2008. (em japonês)
  7. Centro Promocional da Região de Gifu. Província de Gifu. Acessado em 24 de junho de 2008. (em japonês)
  8. Escritório Promocional de Tōnō. Província de Gifu. Acessado em 24 de junho de 2008. (em japonês)
  9. Escritório Promocional de Hida. Província de GifuAcessado em 24 de junho de 2008. (em japonês)
  10. Gifu Prefecture sees highest temperature ever recorded in Japan - 40.9 - Japan News Review (em inglês)
  11. The Fire Balloons. Greg Goebel. Acessado em 23 de novembro de 2007. (em inglês)
  12. a b c Divisão de Estatística da Província de Gifu. Província de Gifu. Acessado em 2 de novembro de 2007. (em japonês)
  13. a b c Um Guia Estatístico da Província de Gifu 2007. Província de Gifu. Acessado em 2 de novembro de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gifu
Província de Gifu
Cidades
Ena | Gero | Gifu (Capital) | Gujo | Hashima | Hida | Kakamigahara | Kaizu | Kani | Mino | Minokamo | Mizuho | Mizunami | Motosu | Nakatsugawa | Ogaki | Seki | Tajimi | Takayama | Toki | Yamagata
Distritos
Anpachi | Fuwa | Hashima | Ibi | Kamo | Kani | Motosu | Ono | Yoro