Gilberto Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Gilberto Carvalho
Foto:Antônio Cruz/ABr
Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência do  Brasil
Mandato 1 de janeiro de 2011
até atualidade
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Luiz Dulci
Sucessor(a)
Vida
Nascimento 21 de janeiro de 1951 (63 anos)
Londrina, PR
linkWP:PPO#Brasil

Gilberto Carvalho (Londrina, 21 de janeiro de 1951) é um político brasileiro. É o atual ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Graduado em filosofia pela Universidade Federal do Paraná, cursou alguns anos de teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná[1] e fez especialização em gerenciamento público, em instituições de Venezuela, México e Espanha. Ele foi ligado à Pastoral Operária (movimento da Igreja Católica) e desempenhou diversas funções no Partido dos Trabalhadores (PT). Exerceu cargos na prefeitura municipal de Santo André e, antes da posição atual, foi o chefe de gabinete da campanha vitoriosa do candidato Lula à Presidência da República.

Assessor e conselheiro do Presidente Lula, sendo por vezes chamado de "o novo Golbery" ou de "o novo Chalaça", remetendo-se aos tempos do presidente Ernesto Geisel e do imperador Dom Pedro I.[2]

Celso Daniel[editar | editar código-fonte]

Ele foi acusado pelos irmãos de Celso Daniel de participar de esquema de arrecadação de propina no ABC Paulista: "Os irmãos do prefeito dizem que Carvalho chegou a confessar que certa vez levou no seu Chevrolet Corsa preto uma mala com 1,2 milhão de reais para o então presidente do PT, José Dirceu".[3]

Governo Dilma Rousseff[editar | editar código-fonte]

Em 3 de dezembro de 2010, foi anunciado pela equipe de transição da presidente eleita Dilma Rousseff como o futuro ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência.[4] Em sua primeira entrevista, disse que sua primeira meta seria enviar ao Congresso um projeto de lei para criar o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, cujo propósito é flexibiizar repasses de verbas para ONGs. Sua função como secretário-geral da presidência é negociar com organizações sociais da sociedade civil, bem como negociar reajustes de salário de diferentes categorias trabalhistas.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Londrina.pr.gov.br
  2. Amigo de Lula há 30 anos, Carvalho é confirmado na Secretaria Geral (em português). G1 (3 de dezembro de 2010). Página visitada em 7 de dezembro de 2010.
  3. Escândalos do Governo Lula: Quem é quem (em português). Veja on-line. Página visitada em 4 de dezembro de 2010.
  4. Equipe de transição anuncia mais três ministros do governo Dilma (em português). G1 (3 de dezembro de 2010). Página visitada em 4 de dezembro de 2010.
  5. Passarinho, Nathalia (3 de dezembro de 2010). Carvalho diz que primeira missão será flexibilizar repasses a ONGs (em português). G1. Página visitada em 7 de dezembro de 2010.