Gilmar Rinaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gilmar Luís Rinaldi)
Ir para: navegação, pesquisa
Gilmar
Gilmar
Na apresentação como o novo coordenador técnico
de Seleções da CBF. Foto: Tomaz Silva/ABr.
Informações pessoais
Nome completo Gilmar Luís Rinaldi
Data de nasc. 13 de janeiro de 1959 (55 anos)
Local de nasc.  Brasil
Informações profissionais
Clube atual Brasil Brasil
Posição Coordenador-geral de Seleções
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1978–1985
1985–1991
1991–1994
1995–1999
Brasil Internacional
Brasil São Paulo
Brasil Flamengo
Japão Cerezo Osaka
0025 0000(0)
0253 0000(0)
0239 0000(0)
0103 0000(0)
Seleção nacional
1986–1995 Brasil Brasil 0009 0000(0)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Los Angeles 1984 Futebol

Gilmar Luís Rinaldi (Erechim, 13 de janeiro de 1959) é um ex-futebolista brasileiro, que jogava na posição de goleiro. Após encerrar a carreira de atleta, foi empresário de outros jogadores e trabalhou para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Durante sua carreira como jogador, destacou-se no Internacional, no São Paulo e no Flamengo.

Em 17 de julho de 2014, foi anunciado como novo coordenador-geral de Seleções da CBF como parte da reformulação feita após a participação na Copa do Mundo de 2014.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Gilmar iniciou sua carreira no Internacional, em 1978, tendo feito parte do elenco colorado, tetra-campeão gaúcho de 1981 a 1984.

Em 1985, transferiu-se para o São Paulo FC, aonde logo se firmou na posição de goleiro titular. Naquele mesmo ano, sagrou-se campeão paulista e, um ano mais tarde, conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro, em uma final emocionante, contra o Guarani, decidida na disputa de pênaltis.

De 1987 a 1990, continuou a colecionar títulos pelo São Paulo, todavia, sua condição de titular havia sido perdida, primeiro para o goleiro chileno Rojas e, em seguida, para Zetti.

Então, já aos 32 anos de idade, Gilmar vislumbrou uma nova oportunidade de voltar a atuar, como titular, quando surgiu o interesse do Flamengo. Assim, retomou sua melhor forma e, em ótima fase, foi um dos destaques daquela equipe rubro-negra, que conquistou o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992.

Novamente em evidência, graças as suas boas atuações no Flamengo, Gilmar acabou sendo convocado por Carlos Alberto Parreira, como terceiro goleiro, para a disputa da Copa do Mundo de 1994.

Após a conquista do tetracampeonato mundial, nos Estados Unidos, com a Seleção Brasileira, Gilmar deixou o Flamengo e foi encerrar sua carreira no Cerezo Osaka, do Japão.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Durante sua carreira, Gilmar amealhou os seguintes títulos como goleiro[2] :

Internacional
São Paulo
Flamengo
Seleção Brasileira

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Empresário e "cartola"[editar | editar código-fonte]

Depois que parou de jogar, Gilmar retornou ao Flamengo, em 1999, como superintendente de futebol. Exerceu este cargo por dois anos seguidos e depois passou a dedicar-se à função de empresário de jogadores.

Sua empresa, voltada à gestão da carreira de jogadores de futebol, já teve como cliente jogadores como Adriano "Imperador", Juan, Fábio Simplício, Danilo e Washington Stecanela[3] .

Referências

  1. Gazeta Esportiva. Marin apresenta ex-goleiro Gilmar Rinaldi como coordenador de seleções 17 de julho de 2014. Visitado em 17 de julho de 2014.
  2. www.ogol.com.br. Ficha de Gilmar Rinaldi em www.OGol.com.br. Visitado em 18 de julho de 2014.
  3. Juca Kfouri. A incógnita Gilmar Rinaldi 18 de julho de 2014. Visitado em 18 de julho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]