Ginevra Molly Weasley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ginevra Molly Weasley Potter
Ginevra Molly Weasley
Ginny Weasley.jpg
Dados pessoais
Sexo Feminino
Nascimento 11 de agosto de 1981
Cabelo Ruivo
Olhos Castanho
Sangue Puro
Família Weasley e Potter
Dados biográficos
Casa Blason Gryffondor.svg Gryffindor
Organizações as
quais pertence
Equipe de Quadribol da Grifinória, Armada de Dumbledore, Clube do Slugue, Harpias de Holyhead e Profeta Diário
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e a Pedra Filosofal
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e a Pedra Filosofal
Intérprete Bonnie Wright
Personagem da série Harry Potter

Ginevra Molly Potter (Ginevra Weasley, quando solteira), mais conhecida como Gina Weasley, é uma personagem fictícia da série Harry Potter.

Irmã mais nova de Rony Weasley e filha caçula de Arthur Weasley e Molly Weasley, é a sétima filha do casal, e a primeira menina nascida na família Weasley em sete gerações. Irmã de outros seis rapazes, além de Rony, sendo eles: Gui, Carlinhos, Percy, Fred e Jorge. Descrita como pequena, com cabelos ruivos muito vivos (como todos os Weasley) e olhos castanhos claros. Muitos de seus movimentos são percebidos por Harry, como se fossem um pouco felinos. Mantém uma amizade íntima com Luna Lovegood e Hermione Granger.

Por trás do nome[editar | editar código-fonte]

Ginevra é a versão italiana do nome "Gwinever" que, na mitologia celta, é a rainha de Camelot e esposa do Rei Arthur. Todos os membros da família Weasley tem seus nomes ligados à lenda arthuriana. O significado do nome é "aquela que tem a pele clara". Ginevra também é o nome italiano para a cidade Suíça de Genebra. Conclui-se também que ela é muito poderosa, já que 7 é o número mágico. Seu nome tem sete letras, é a sétima filha em uma família de garotos, seu sobrenome também tem sete letras, foi a primeira mulher Weasley em 7 gerações, assim como foi a sétima integrante da equipe de Quadribol no quinto livro.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Harry Potter e a Pedra Filosofal[editar | editar código-fonte]

Gina é apresentada no primeiro livro da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal, embora faça apenas duas curtas aparições, ambas na estação de King's Cross, em Londres, primeiro quando vai se despedir dos irmãos que estão embarcando para Hogwarts, e no final do livro, quando eles retornam de lá.

Harry Potter e a Câmara Secreta[editar | editar código-fonte]

Ela se envolve mais no enredo a partir do segundo livro, Harry Potter e a Câmara Secreta. Descobrimos a afeição dela por Harry quando ele vai visitar os Weasley, e a menina, que nas palavras do irmão Rony, "nunca fica quieta", não consegue falar nada quando Harry está por perto, e esse sentimento gera diversas situações cômicas. Depois do verão, os garotos retornam a Hogwarts e Gina é selecionada para a Grifinória, como todos os Weasley. Ao longo da história, a garota se torna o personagem-chave do mistério que ronda a escola, quando vários alunos começam a ser atacados pelo olhar do Basilisco quando refletido é petrificante(é refletido pela água, por espelhos e até mesmo por uma câmera fotográfica, ou qualquer outro meio de reflecção) . Harry acaba por descobrir que um diário mágico que já pertenceu a Tom Riddle (o jovem Voldemort) possuiu Gina, se aproveitando de sua insegurança, e forçando-a a abrir a Câmara Secreta, liberando um monstro, o Basilisco, para atacar os alunos. Harry desce até a Câmara Secreta onde, com a ajuda da Fênix, Fawkes, e do Chapéu Seletor, consegue matar o Basilisco e, com o dente desta criatura, destrói o diário de Riddle, salvando a vida de Gina.

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

Nos dois livros seguintes, a presença de Gina diminui, exceto por poucas aparições. Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, ela é terrivelmente afetada pela presença dos Dementadores (porém não tão fortemente como o Harry), graças às suas experiências prévias a Câmara Secreta.

Harry Potter e o Cálice de Fogo[editar | editar código-fonte]

Em Harry Potter e o Cálice de Fogo ela vai ao Baile de Inverno acompanhada de Neville Longbottom, apesar de ainda se mostrar interessada em Harry. Mais tarde descobrimos que ela conhece no baile, Miguel Corner um aluno da Corvinal, e logo depois começam um namoro que dura mais ou menos um ano.

Harry Potter e a Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Gina começa a mostrar sua verdadeira personalidade em Harry Potter e a Ordem da Fênix. Aparentando ter deixado de lado sua paixão por Harry e emergindo como uma pessoa de personalidade forte e com uma considerável habilidade mágica, um senso de humor provocativo, parecido com o dos gêmeos (Fred e Jorge), e um grande talento para o Quadribol. Gina ainda parece ser uma das poucas personagens capazes de ativamente confrontar Harry durante suas crises de mau humor. Quando Dolores Umbridge expulsa Harry do time de Quadribol, Gina assume seu lugar como apanhadora da Grifinória. Ela também se torna um dos membros da Armada de Dumbledore. Gina é um dos seis membros da Armada (juntamente com Harry, Rony, Hermione, Luna e Neville) a invadir o Departamento dos Mistérios e enfrentar os Comensais da Morte, quebrando o tornozelo durante a luta. No final do quinto livro, Gina tendo terminado com Miguel (por causa de um jogo de Quadribol), começa a sair com um colega da Grifinória Dino Thomas.

Harry Potter e o Enigma do Príncipe[editar | editar código-fonte]

Em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, Harry descobre-se fortemente atraído por Gina (que agora namora Dino Thomas) mas não tem muitas esperanças por ela já ter namorado e por não saber se Rony o apoiaria na tentativa de conquistar sua irmã. A relação de Gina e Dino começa a se desgastar no decorrer do ano letivo, terminando no mesmo dia que Harry toma a poção Felix Felicis (que se diz ser a "sorte líquida"). Mas apesar deste namoro, acaba se descobrindo que Gina nunca havia deixado seus sentimentos por Harry de lado pois na comemoração da vitória de Grifinória contra a Corvinal (na qual Harry não pode ir graças a uma detenção de Severo Snape), Harry fica sabendo que Grifinória ganhou a Taça de Quadribol graças a Gina e a beija na frente de toda a Sala Comunal e os dois passam a namorar, mas após a batalha no final do ano, Harry termina com Gina tendo a intenção de protegê-la de Voldemort, uma vez que teme que o Lord das Trevas faça algum mal à garota com a intenção de atingi-lo.

Harry Potter e as Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

No último livro, Harry Potter e as Relíquias da Morte, Gina aparece pouco, apesar de ser bastante citada, tendo seu relacionamento terminado com Harry por causa de Voldemort. Ela é a dama de honra do casamento de Gui Weasley e Fleur Delacour, junto a irmã da noiva, Gabrielle. Depois dá um beijo em Harry de aniversário como despedida para ele sempre lembrar dela durante sua viagem de busca às Horcruxes. Gina então retorna a Hogwarts depois do Natal. Em Hogwarts, ela se torna líder da AD e tenta junto com Neville e Luna recuperar a espada de Godric Gryffindor para ajudar Harry, mas eles acabam sendo capturados pelo novo diretor, Snape e pegando detenção. Harry revê Gina algumas vezes em sua jornada tendo muita vontade de se aproximar dela, mas resistindo pensando no bem dela. No final do livro, Gina luta na batalha final contra Voldemort e os Comensais da Morte e é quase morta por Bellatrix Lestrange. No epílogo, dezenove anos depois da batalha final contra Voldermort, descobre-se que ela e Harry se casaram e ela se torna uma famosa jogadora de Quadribol até o nascimento de seus filhos: Tiago Sirius, Alvo Severo e Lílian Luna , depois de trabalhar por um tempo como jogadora célebre do Harpias Holyhead (Holyhead Harpies) se tornou Correspondente Sênior de Quadribol no Profeta Diário.

Árvore Genalógica[editar | editar código-fonte]


Dados Biográficos[editar | editar código-fonte]

J.K. Rowling fala sobre Gina[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal Harry Potter

Durante um chat em Março de 2001, antes do lançamento do quinto e do sexto livro J. K. Rowling respondeu a seguinte pergunta sobre Gina:

"Glynnis L - Harry algum dia irá notar a eterna sofredora Gina Weasley?

JK Rowling - Veremos… pobre Gina, é?"

Em uma entrevista de 2005 com os responsáveis dos sites The Leaky Cauldron e MuggleNet, J. K. Rowling comentou sobre a Gina como personagem e também no seu relacionamento com Harry.

"O plano, que eu realmente espero ter cumprido, era que o leitor, assim como Harry, descobrisse gradualmente Gina como a menina ideal para Harry. Ela é durona, não de um modo desagradável, mas ela é corajosa. Ele precisa estar com alguém que possa "aguentar o tranco" de estar com Harry Potter, porque ele é um namorado assustador de muitos modos. Ele é um garoto marcado. Eu acho que ela é engraçada, e que ela é bem calorosa e passional. Essas são todas as coisas que o Harry requer na mulher ideal dele. Mas, eu sentia — e eu estou falando de anos atrás, quando tudo isso foi planejado — que, inicialmente, ela estava apavorada pela imagem dele. Quer dizer, ele é meio que um deus do rock para ela quando ela o viu pela primeira vez, aos 10 ou 11 anos, e ele é um menino famoso. Por isso Gina também teve que passar por uma jornada… Eu sinto que Gina e Harry, neste livro, são totalmente iguais. Eles merecem um ao outro. Ambos passaram por uma grande jornada emocional, e eles realmente superaram muitas desilusões, para usar sua palavra, juntos. Assim, eu gostei de escrever isso. Eu realmente gosto de Gina como um personagem".