Ging chaat goo si

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Ging chaat goo si / Police Story
Police Story - A Guerra das Drogas (BR)
 Hong Kong
1985 • cor • 101 min 
Direção Jackie Chan
Produção Raymond Chow
Leonard Ho
Roteiro Jackie Chan
Edward Tang
Elenco Jackie Chan
Brigitte Lin
Maggie Cheung
Charlie Cho
Género ação, comédia
Idioma cantonês
Cronologia
Último
Último
Police Story 2
Próximo
Próximo

Police Story (cantonês: Ging chaat goo si, chinês tradicional: 警察故事, pinyin: Jǐngchá Gùshì, br: Police Story - A Guerra das Drogas) é um filme de Hong Kong lançado em 1985, dos gêneros ação/comédia, dirigido e estrelado por Jackie Chan.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Jackie Chan é o policial Ka Kui, que consegue botar atrás das grades um grande traficante de drogas de Hong Kong praticamente sozinho, após um tiroteiro e uma impressionante perseguição dentro de uma favela. Agora, ele deve proteger a secretária do chefão, Selina (Brigitte Lin), que testemunhará contra o gângster no tribunal. Ela, porém, tem outros planos, engana Ka Kui - que ainda tem que limpar sua barra com sua ciumenta namorada (Maggie Cheung) - e foge, garantindo assim a liberdade do criminoso, que parte para vingar-se de Ka Kui incriminando-o pela morte de um colega policial. A única alternativa que resta para Ka Kui é capturar o bandido novamente, nem que para isso ele tenha que enfrentar toda sua gangue.

Machucados[editar | editar código-fonte]

COSTAS: Jackie Chan machucou as costas durante a cena onde escorrega nas luzes de natal do shopping. Ele teve muita sorte de sair "ileso". Nesta cena ele quase quebrou a sétima e a oitava vértebra, o que resultaria na paralisia dos membros inferiores.

Premiações[editar | editar código-fonte]

"Melhor fotografia", "Melhor cena de ação", "Melhor ator" e "Melhor diretor" no Hong Kong Film Awards, 1985.

Jackie Chan diz...[editar | editar código-fonte]

"Alguns dizem que este é o melhor filme de ação de todos os tempos, mas mesmo eu sendo humilde e dizendo que eu discordo, é certamente o meu filme de ação preferido. Foi também um estouro nas bilheterias - tão grande, que eu já fiz quatro seqüências... até agora. Eu faço um policial de Hong Kong que é recrutado para combater o crime organizado. Ao tentar condenar um podereso chefão do crime, sou injustamente acusado de matar um parceiro da policia. Eu tenho que limpar o meu nome e salvar uma testemunha que foi seqüestrada pelos capangas para não testemunhar a meu favor - uma colega do chefão, protagonizada por Brigitte Lin Ching-Hsia. Infelizmente, todos esses fatos colocam meu relacionamento com minha namorada em risco. Quem fez minha namorada foi a atriz Maggie Cheung, que virou minha grande amiga depois desse filme; trabalhar com ela foi como trabalhar com minha família. Eu sempre me impressiono quando assisto esse filme; alcancei um novo nível em termos de cenas de dublê e coreografias de luta, e mesmo fazendo vários filmes depois deste, acho que nenhum se compara. Foi também a primeira vez que eu fiz um herói completo, com uma personalidade complexa, uma vida privada, e até um relacionamento romântico. Eu fui até nomeado ao prêmio de "Melhor ator" no Hong Kong Movie Awards desse ano - uma verdadeira conquista, dado que todos meus prêmios anteriores eram de "Melhor ação". Mas o sucesso desse filme custou caro. A incrível cena de perseguição de carros na favela custou 500 mil para ser filmado, e deixou 4 dublês gravemente feridos; um com a orelha cortada, um com o pé rasgado, um com o tornozelo torcido e um com duas costelas quebradas. E quando eu fiz a cena final em que eu escorrego num poste cheio de luzes de natal, eu queimei toda minha mão. Depois eu descobri que o eletricista não ligou as luzes numa voltagem baixa de bateria de carro, como ele deveria ter feito. Ele ligou direto na tomada! Recebi o dobro de voltagem, eu poderia ter morrido eletrocutado! Esse foi também o primeiro filme em que eu usei o Bill Tung, que depois aparece em vários filmes meus. Acho que esse filme impressionou os atores de ação americanos: Sylvester Stallone copiou a cena do ônibus no filme "Tango & Cash - Os Vingadores" (Tango & Cash). E Brandon Lee - filho de Bruce Lee, que morreu tragicamente enquanto filmava "O Corvo" (The Crow) - copiou a cena da moto no shopping no filme "Rajada de Fogo" (Rapid Fire)."

Ligações externas[editar | editar código-fonte]