Giovanni Bórgia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giovanni Borgia (Juan de Borja y Cattanei)
Duque de Gandia
II Duque de Gandia
1488-1497
Descendência
Juan de Borja y Enriquez, III Duque de Gandia

Isabel de Borja y Enriquez, abadessa de Santa Clara Gandia

Nobreza Bórgia
Pai Papa Alexandre VI
Mãe Vannozza dei Cattanei
Nascimento 1475[1]
Itália, provavelmente Roma
Morte 14 de junho de 1497 (22 anos)
Roma
Brasão

Giovanni Bórgia, Juan de Borja y Cattanei ou Juan Borgia (em catalão: Joan, em espanhol: Juan), II Duque de Gandía (1474-1497) foi filho do Papa Alexandre VI e irmão de Cesar Bórgia, Gioffre Bórgia e Lucrécia Bórgia. Giovanni, também conhecido como Juan ou Joan, era o mais velho dos quatro do filhos do Papa com Vannozza dei Cattanei.[2] [3] Devido a uma série de bulas papais emitidas após seu assassinato, não fica claro se Giovanni nasceu em 1476 ou 1477, mas muitos acreditam que ele era o filho mais velho ao invés de Cesar.

Giovanni Borgia nasceu provavelmente em Roma com Rodrigo Borgia então cardeal, mais tarde se tornou o papa Alexandre VI, e sua amante Vannozza dei Cattanei, que era casada com Domenico da Rignano. Giovanni se casou com Maria Enriquez de Luna, a noiva espanhola de seu falecido meio-irmão mais velho, Pedro Luis, em setembro de 1493. Foi feito II Duque de Gandía, Duque de Sessa, Grande Condestável de Nápoles, governador de São Pedro, e Gonfaloneiro e Capitão-geral da Igreja.

Foi assassinado na noite de 14 de junho de 1497 próximo do que posteriormente se tornou a Piazza della Giudecca no Gueto Romano. Seu pai aflito lançou uma investigação intensa sobre o assassinato, apenas para acabar com ela abruptamente uma semana depois. Embora a família Orsini tivesse motivos de sobra para matar Giovanni, mais tarde houve rumores de que seu irmão Cesare Bórgia teria cometido o assassinado. [carece de fontes?] No entanto, há um outro rumor que seu irmão mais novo Gioffre Bórgia o assassinou devido a relação de Giovanni com Sancha de Aragão, a esposa de Gioffre.[carece de fontes?]. Seu corpo ricamente vestido foi retirado do Rio Tibre, com 30 ducados de ouro intactos na bolsa em seu cinto. Para a tristeza imensa do papa, este ato ocasionou o epigrama de Jacopo Sannazaro sobre o papa como "pescador de homens". Todavia, o assistente dos Bórgias também foi morto, por isso não houve testemunhas conhecidas. [4]

Giovanni e Maria tiveram dois filhos: Juan de Borja y Enríquez (conhecido como Juan Borgia)[5] , que se tornou o III Duque de Gandía, e Francisca de Jesus Borja, que se tornou uma freira de um convento em Valladolid. Este segundo Juan foi o pai de São Francisco de Borja.

Referências

  1. Maxwell-Stuart, P.G., Chronicle of the Popes, London, Thames and Hudson, 1997, page 158, ISBN 0-500-01798-0
  2. Christopher Hibbert: The Borgias and their enemies. Harcourt, Inc. 2008, p. 30
  3. Sarah Bradford: Cesare Borgia. His Life and Times. London 1876, p. 17
  4. Sabatini, II.4.
  5. Salazar y Acha 2010, p. 16

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Maxwell-Stuart, P.G.. Chronicle of the popes: the reign-by-reign record of the papacy from St. Peter to the present (em ). Nueva York: Thames and Hudson (ed.), 1997. ISBN 9780500017982.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]