Giovanni de Morrovalle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giovanni de Morrovalle, O.F.M.
Cardeal da Santa Igreja Romana
Deão do Sagrado Colégio dos Cardeais

Título

Cardeal-bispo de Porto e Santa Rufina
Ordenação e Nomeação
Ordenação Presbiteral 1289
Ordenação Episcopal 1303 ?
Cardinalato
Criação 15 de dezembro de 1302, pelo Papa Bonifácio VIII
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento Morrovalle
1250
Falecimento Reino de França Avinhão
agosto de 1312 (62 anos)[1]
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Giovanni Minio da Morrovalle, O.F.M. (1250 - agosto de 1312) foi um cardeal italiano, Deão do Sagrado Colégio dos Cardeais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Morrovalle, também é listado como Johannes de Murro, e seu sobrenome como de Murro, Mincius, Minus e Murovalle; Minio pode não ser um sobrenome, mas uma corruptela ou Minus, que remete para a sua ordem religiosa[1] .

Entrou na Ordem dos Frades Menores na província de Marche. Foi para Paris em 1280 para completar a sua formação teológica e em 1289, o Papa Nicolau IV promoveu-o a Magister.[1] . Ministro Provincial em Marche. Regente do Studium de Paris, de 1289-1290. Professor de teologia. Lector no Studium da cidade, onde a cúria papal ficou sediada em 1289. Também foi Lector da teologia do Sagrado Palácio, em 1291. Ele se tornou um renomado teólogo. Eleito 14.º Ministro Geral da sua ordem em Anagni em 16 maio de 1296; após sua promoção ao cardinalato, o capítulo foi presidido pelo Papa Bonifácio VIII, mas ele continuou a reger a ordem, como vigário-geral até que o capítulo geral fosse celebrado em Assis em 1304[1] .

Ele encomendou a Giotto a pintura dos murais da igreja de São Francisco de Assis em 1296, que retratam a vida do santo. Em janeiro de 1299, com o padre Niccolò Bocassini, mestre geral dos dominicanos, foi nomeado núncio para mediar a conclusão da paz entre França, Inglaterra e Flandres[1] .

Foi criado cardeal-bispo no consistório de 15 de dezembro de 1302, recebendo a sé suburbicária de Porto e Santa Rufina[1] . Na cúria papal, ele examinou numerosas eleições de bispos e abades. Nomeado protetor da Ordem dos Frades Menores em 18 de setembro de 1307[1] . Foi nomeado Decano do Colégio dos Cardeais, em 1311.

Participou do Concílio de Viena em 1311-1312. Ele corajosamente defendeu a memória do Papa Bonifácio VIII contra os ataques do rei Filipe IV da França[1] .

Morreu em agosto de 1312, em Avinhão e foi sepultado na igreja dos Franciscanos, na mesma cidade[1] .

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Raymond de Gaufredi
Francescocoa.png
Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores

12961304
Sucedido por
Gonsalvus Hispanus
Precedido por
Matteo d’Acquasparta, O.F.M.
Cardeal
Cardeal-bispo de Porto e Santa Rufina

13021312
Sucedido por
Jacques Duèze
Precedido por
Leonardo Patrasso
Cardeal
Deão do Sacro Colégio dos Cardeais

13111312
Sucedido por
Niccolò Albertini, O.P.