Gira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gira (umbanda))
Ir para: navegação, pesquisa

Gira ou Jira (no idioma quimbundo nijra, caminho)[1] , na Umbanda, é a reunião, o agrupamento de vários espíritos de uma determinada categoria, que se manifestam através da incorporação nos médiuns. A gira pode ser festiva, de trabalho ou de treinamento.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Normalmente, antes do início dos trabalhos, são feitas preces, defumação, saudações. Após isso, saudam-se as linhas e começa o trabalho. Após o trabalho, são contados os pontos para subida, ou desencoporação dos médiuns. O tipo de ritual conduzido e os pontos cantados dependem da linha que cada casa segue, por isso se vê rituais diferentes em casas diferentes. O branco é sempre a cor mais usada, embora algumas casas admitam cores como o vermelho e o preto nos trabalhos de esquerda. O termo também é usado para as sessões de desenvolvimento dos médiuns novos, quando as entidades preparadas para esse fim o fazem "girar", facilitando assim a incorporação de seus guias nas primeiras vezes.

Tipos de giras[editar | editar código-fonte]

Existem giras para as determinadas linha da umbanda, podendo ela ser uma gira aberta, onde se atende a população, conhecidas como assistências, e as giras de estudo e desenvolvimentos conhecida como gira fechada, onde são fechadas ao público.[3] [4] As giras mais comuns em terreiros de umbanda são:

  • Preto Velho - São cultuados os pretos e pretas velhas, geralmente são os negros mais velhos
  • Caboclo- Quando vem os cablocos, podem vim diversos, tais como os Baianos, boiadeiros, marinheiros e etc..
  • Cigano
  • Erê - São as crianças, geralmente vem em dia de São Cosme e Damião
  • Baiano
  • Boiadeiro
  • Malandro
  • Marinheiro
  • Esquerda - Nessa gira são cultuados as pombas giras, os exus e eventualmente exús mirins.
  • Gira de Cura

Orixás[editar | editar código-fonte]

Yemanjá - Rainha dos mares.
Oxum - Reina sobre as águas dos rios, esse orixá é muita vaidosa, amorosa.
Ogum - Orixá das batalhas.
Iansã - Orixá feminino e tem poder sobre os ventos. Filhos de iansã são como ela, livres e independentes. Na igreja católica é a Santa Barbara.
Oxossi - Rei das matas.
Xangô - Orixá da justiça e sabedoria e tem pedreiras como símbolo natural.
Oxalá - É o maior orixá da Umbanda, na igreja católica é Jesus. Sua cor é o branco, representando a paz, o amor, a bondade, a limpeza, a pureza espiritual, enfim, tudo aquilo que possa indicar positividade. Os domínios de Oxalá são todas as pessoas e todos os lugares. Seu reino é o nosso mundo.

Referências

  1. Ademir Barbosa Júnior (2014). Novo dicionário de Umbanda. Universo dos Livros Editora. p. 116. ISBN 978-85-7930-789-8.
  2. Paulo Newton de Almeida (2003). Umbanda: a caminho da luz. Pallas. p. 195. ISBN 978-85-347-0357-4.
  3. Centro espírita Umbanda, união e fé>
  4. Planeta umbanda