Glauce Rocha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Junho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Glauce Rocha
Nascimento 16 de Agosto de 1930
Campo Grande, MS
Morte 12 de outubro de 1971 (41 anos)
São Paulo, SP
IMDb: (inglês)


Glauce Rocha (Campo Grande, 16 de agosto de 1930São Paulo, 12 de outubro de 1971) foi uma atriz brasileira.

Segundo sua sobrinha, Leonora Rocha, a data de seu nascimento é discutida: "Há uma história de que minha avó teria modificado a data de nascimento para que Glauce pudesse entrar mais cedo na escola".

Seus pais eram Leopoldino de Araújo Rocha, soldado que veio de Alagoas muito jovem, e Edelweiss Ilgenfritz Rocha, gaúcha que foi criada em Campo Grande. Se casaram em Campo Grande e tiveram cinco filhos, dois homens e três mulheres, sendo Glauce a caçula. No colégio Júlio de Castilhos teve como colega de sala o futuro ator Walmor Chagas. No Conservatório Nacional de Teatro teve aulas com Ester Leão, Maria Clara Machado e Luísa Barreto Leite. Começou apresentando peças teatrais infantis. No início, entre 1950 e 1951, era uma das integrantes do Grupo Os Fabulosos. Sua primeira aparição profissional no teatro foi com a Companhia de Teatro de Alda Garrido, em 1952, no Rio de Janeiro. Interpretou Rosinha na peça Madame Sans Gene. O filme Rio, 40 graus, de Nelson Pereira dos Santos(1955), do qual ela participou, foi proibido em todo o território nacional pelo conteúdo "comunista". E ficou gravada uma frase de Glauce, dita ao coronel Meneses Cortes, responsável pela proibição do filme:

- "Olha, o Sr. me dá licença de acreditar na natureza humana?".

Sua preocupação constante com a saúde tornou-se mais acentuada após a morte da mãe, menos de um ano antes da sua. Glauce passou a colecionar tudo o que falasse sobre enfarte do miocárdio. E esse foi o mal que a levou precocemente, aos 40 anos. Ou 38, como alguns afirmam. Seu último trabalho foi na novela O hospital, na TV Tupi, que ela não chegou a concluir. Faleceu às 17h15 do dia 12 de outubro de 1971, na Unidade Cardiológica da Alameda Santos, em São Paulo. Os jornais deram como causa da morte o excesso de trabalho. O corpo de Glauce foi velado em São Paulo mas sepultado em Campo Grande, conforme seu desejo.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Uma Ponte Sobre O Pântano- 1971
  • O Exercício- 1969
  • Um Uísque Para o Rei Saul- 1968- Prêmio Moliére de melhor Atriz
  • A Agonia do Rei-1968
  • Amor por Anexis- 1967
  • Perto do Coração Selvagem- 1965
  • Electra- 1965
  • Terror e Miséria no III Reich- 1963
  • Doce Pássaro da Juventude- 1960
  • As Três Irmãs- 1960
  • A Beata Maria do Egito- 1959
  • A Cantora Careca- 1958
  • A Lição-1958

Referências

  1. Cinemateca Brasileira, Aviso aos navegantes [em linha]
  2. Cinemateca Brasileira, Rua Sem Sol [em linha]
  3. SILVA, Jane Pessoa da. Ibsen no Brasil. Historiografia, seleção de textos críticos e Catálogo Bibliográfico. São Paulo: USP, 2007. p. 616

Ligações externas[editar | editar código-fonte]