Gleno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gleno
Gleno
—  Cidade  —
Localização de Gleno no Subdistrito de Ermera
Localização de Gleno no Subdistrito de Ermera
Gleno está localizado em: Timor-Leste
Gleno
Localização de Gleno em Timor-Leste
6° 12' S 106° 48' E
País Timor-Leste
Distrito Ermera
Subdistrito Ermera
Suco Riheu
Administração
 - Chefe de Suco Ildefonso das Neves Pereira Soares
Área
 - Total 6 59 (total do suco de Riheu) km²
Altitude 882 m (2 894 pés)
População (2010)[1]
 - Total 8,133
Fuso horário JST (UTC+9)
Código de área +670

Gleno é uma cidade de Timor-Leste, 58 km a sudoeste de Díli, a capital do país. Gleno é a capital do distrito de Ermera. É o centro comercial do distrito. O Subdistrito de Ermera possui 33 262 habitantes, mas a cidade de Gleno possui apenas 8 133 habitantes [2] .

Geografia[editar | editar código-fonte]

Gleno se localiza no suco de Riheu, a duas horas de carro de Díli. Em linha reta, a distância entre a capital do país e Gleno é de 25 km, mas como há uma cadeia de montanhas no caminho, a distância duplica.


História[editar | editar código-fonte]

No início de 1979, cerca de cem homens do exército indonésio de ocupação da antiga capital de distrito de Ermera e do suco de Ponilala vieram ao lugar onde hoje está a cidade de Gleno. Os militares indonésios forçaram os homens a limpar a área anteriormente desabitada, e em um campo limpo a nova cidade foi construída. Houve uma série de trabalhos forçados para a construção da cidade, e muitos trabalhadores que adoeciam eram mortos pelos soldados. A construção da cidade foi terminada em 1983, ainda com os militares no poder. As famílias dos operários foram também forçadas a mudar para Gleno. Por falta de serviços básicos, houve muitas mortes por fome. Até 1985, os moradores não podiam foram autorizados a circular livremente pela cidade. [3] Gleno sofreu muito durante os tumultos que aconteceram antes e depois do referendo da independência em 1999. Houve danos graves. [4] Também ali aconteceu o incidente mais grave do país durante a votação. Alemães observadores eleitorais relataram que milicianos pró-indonésios dispararam para o ar e atiraram pedras contra os eleitores. Duas pessoas ficaram feridas.[5]

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade está localizada na área produtora de café de Timor-Leste. Também há plantação de coqueiros e criação de peixes.

Instalações Públicas[editar | editar código-fonte]

Na cidade existe uma escola primária (Escola Primária de Riheu), uma escola pré-secundária e duas escolas secundárias, a Nino Konis Santana Ensino Médio e a Escola Secundaria Gleno. Além disso, há uma delegacia de polícia, um heliporto, um centro de saúde comunitário [6] [7] e um pequeno orfanato[8]

Outros[editar | editar código-fonte]

Alfredo Reinado, que participou no Atentado de 11 de fevereiro de 2008 em Díli, cresceu em Gleno

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. [1]
  2. http://dne.mof.gov.tl/published/Census%20Preliminary%20Results%202010/English%20Census%20Preliminary%20Results%202010.pdf
  3. CAVR Chega Files: Part 7.3: Forced Displacement and Famine
  4. Bericht von amnesty international (englisch)
  5. Bericht vom Tag des Unabhängigkeitsreferendums
  6. UNMIT: Timor-Leste District Atlas version02, August 2008
  7. Liste der Wahllokale zu den Parlamentswahlen in Osttimor 2007 (PDF-Datei; 118 kB)
  8. Hope Waisenhaus in Gleno


Distritos e Cidades de Timor-Leste Bandeira de Timor-Leste
Distritos:

Aileu | Ainaro | Baucau | Bobonaro | Cova Lima | Díli | Ermera | Lautém | Liquiçá | Manatuto | Manufahi | Oecusse | Viqueque

Cidades: Aileu | Ainaro | Baucau | Díli | Gleno | Liquiçá | Lospalos | Maliana | Manatuto | Pante Macassar | Same | Suai | Viqueque