Globo Rural (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Globo Rural é uma publicação mensal da Editora Globo que começou a circular a partir de 1985. Criada tendo como base o programa Globo Rural, da Rede Globo, é uma publicação que aborda assuntos ligados ao mundo agropecuário e ao Brasil do interior. Entre os temas abordados estão produção agrícola, o mundo da pecuária, tecnologias, cultura popular, lazer, entretenimento, receitas culinárias, além de uma série de reportagens feitas com ênfase na prestação de serviços para o produtor rural.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira edição da revista Globo Rural saiu em outubro de 1985. Na capa, um imponente touro nelore e um peão, que apresentavam a principal reportagem, sobre a principal raça bovina criada no Brasil. A matéria contava a história de Davi, o peão que foi um dos melhores selecionadores de touros de raças zebuínas na região de Uberaba, MG. Foi o início da publicação, cujo idealizador e criador foi o jornalista mineiro Humberto Pereira, seu primeiro diretor de redação. Pereira é também diretor-geral do programa de TV Globo Rural, exibido pela Rede Globo desde janeiro de 1980. Outro grande nome por trás da revista é o de José Hamilton Ribeiro, um dos maiores jornalistas que o país já conheceu, que foi o primeiro editor-chefe. O primeiro número da publicação trazia um editorial assinado por Roberto Marinho, à época o presidente das Organizações Globo.

A publicação foi um tremendo sucesso editorial, num país que via crescer de maneira acentuada a sua produção agropecuária e que até então estava carente de publicações com destaque para a produção rural. Um ano depois, durante o período do Plano Cruzado, todo o mercado editorial cresceu de maneira assustadora – como quase todos os setores da economia – e a Globo Rural chegou a vender 400 mil exemplares. É nessa época que a Globo Rural mandou uma equipe à China para fazer uma reportagem sobre a produção agrícola local. Foi a primeira vez que uma revista brasileira mandava uma equipe aquele país para fazer uma ampla cobertura jornalística do setor agropecuário.

Durante todos esses anos em atividade, a Globo Rural ganhou muitos prêmios, de renome nacional e internacional. Entre os destaques, dois prêmios Esso, um prêmio Fiat Allys e uma premiação internacional, da FNPI – Fundação Nuevo Periodismo Iberoamericano, cujo troféu foi entregue pelo escritor Gabriel Garcia Marquez aos jornalistas Claudio Cerri e Ernesto de Souza.

Desde o início, uma preocupação sempre foi marcante da Globo Rural e norteou os caminhos dos profissionais que trabalham na revista: as reportagens que mostram o Brasil real. São milhares de histórias de profissionais que movimentam essa importantíssima área da economia.

Depois de tanto tempo no mercado, nada mais do que natural que a revista ter gerado alguns “filhotes”. As edições especiais já se tornaram uma tradição na Globo Rural. Revistas especialmente criadas com receitas, com técnicas de plantio, ensinamentos de criação, e que tiram as dúvidas dos produtores rurais. É o caso da “Cozinha da Fazenda”, “Como Plantar”, “Como Criar”, “Globo Rural Responde – 150 Soluções”. Outra cria é mais voltada ao mundo dos empresários rurais. Desde 2005 a revista prestigia companhias do setor agropecuário com a premiação “Anuário do Agronegócio”. Por meio de dados contabilizados por profissionais específicos, são escolhidos 30 empresas de 30 segmentos específicos do setor rural.

Tiragem[editar | editar código-fonte]

A tiragem da Globo Rural oscila em torno de 150 mil exemplares[carece de fontes?] e a circulação é nacional. O papel empregado na capa é o couché 130 e, no miolo, o LWC 60 gr.

Seções[editar | editar código-fonte]

  • Globo Rural Responde – Uma das seções mais antigas e com maior grau de interatividade com os leitores. Os leitores perguntam e a revista tira as dúvidas sobre os mais variados assuntos desde plantio, criação, técnicas, informações científicas e outras.
  • Como Plantar – Informações sobre cultivo de produtos agrícolas específicos, com destaque para hortaliças e frutas. Onde comprar mudas e sementes, saiba evitar doenças e pragas e dicas de comercialização.
  • Como Criar – Guia para quem quer criar animais e aumentar sua remuneração mensal. Onde comprar filhotes, ração, como fazer galpões, tudo sobre doenças que mais atacam tais espécies.
  • Como Fazer – Idéias de tecnologias e equipamentos, como silos, caixas d'água, pulverizadores, aparelhos de irrigação, todos que o produtor pode fazer por conta própria.
  • Receita – Saborosos pratos da culinária caipira, ensinados por mestres no assunto, com histórias emocionantes e deliciosas.
  • Balaio – Campeão de audiência da revista, é a seção que literalmente mostra a cara do leitor. Fotos curiosas, engraçadas e com cenas do cotidiano do Brasil rural, enviadas pelos leitores.
  • Varanda – “Causos”, histórias curiosas, dicas de plantio e seção de perguntas e respostas sobre os mercados agrícola e pecuário.
  • Produtos & Mercados – Informações sobre o agronegócio, no Brasil e no mundo, com tendências para os próximos meses no setor de commodities agrícolas.
  • Campo Aberto – Notas curiosas, engraçadas, polêmicas, alarmantes, informativas sobre o mundo rural.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]