Go-go dancing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gogoboy)
Ir para: navegação, pesquisa
Go-go dancers na Tailândia

Go-go dancers são dançarinos que trabalham no entretenimento de festas e clubes noturnos. [1] Go-go dancing originou-se em meados dos anos de 1960 quando mulheres no Peppermint Lounge em New York City começaram a subir nas mesas e dançar no estilo twist.[2] A partir daí os donos de clubes noturnos começaram a organizar as danças para entretenimento do público.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete go-go.

O termo go-go deriva da frase anglófona "go-go-go" que significa uma pessoa empolgada, enérgica, [3] que foi influenciada pela expressão francesa à gogo, que significa "em abundância ",[4] que por contrapartida vem do francês antigo la gogue; "alegria, felicidade ".[5]

Go-go dancing nos anos sessenta[editar | editar código-fonte]

Em 19 de junho de 1964, Carol Doda começou a dançar go-go dancing fazendo topless (após realizar uma cirurgia de implante de silicone nos seios) no Condor Club na Broadway e Columbus em North Beach, San Francisco. Ela tornou-se a mais famosa go-go dancer do mundo, apresentando-se no Condor por mais de 22 anos.

Go-go dancers começaram a ser contratados regularmente no Whisky a Go Go na Sunset Strip em West Hollywood na região de Los Angeles em julho de 1965. Whisky a Go Go também foi o primeiro clube a possuir gaiolas suspensas no teto (elas estavam lá desde o inicio de 65).

A frase go-go foi adotada nos bares na década de sessenta em Tokyo, Japão. O movimento foi visto como algo de baixa reputação, sendo banido dos clubes maiores e sendo adotado pelos estabelecimentos burlescos e de striptease, que tornaram-se go-go bars. Durante a Guerra do Vietnã, havia diversos go-go bares em Saigon, no Vietnã do Sul, para entreter as tropes americanas. O sinônimo usado no Vietnã para go-go dancing era “Table Dancing”.

Em clubes gays[editar | editar código-fonte]

Go-go boys na Parada Gay de Chicago de 2008

Nesse período, o go-go dancing era um atividade exclusivamente feminina, mas com a popularização de clubes gays, começaram a surgir os go-go boys, especificamente entre 1965 e 1968. Após isso, poucos clubes gays tinham dançarinos até 1988, quando os go-go boys voltaram a ser moda, embora a atividade pudesse ser vista pelo viés do Gay-For-Pay. [6]

Go-go dancing nos anos setenta e depois[editar | editar código-fonte]

Havia muitos go-go bares na Tailândia durante a Guerra do Vietnã e eles continuaram (em uma escala menor), após o fim da guerra. Na década de 1980, a Tailândia foi um dos principais centros para a indústria do sexo, e essa indústria tornou-se uma atração turística da Tailândia para muitos homens.

Não muitas discotecas tinham go-go dancers em 1970. No entanto, no final de 1970, houve uma boate no mesmo local onde a Peppermint Lounge tinha sido, em Manhattan, chamado G.G. Barnum's Room frequentado principalmente por gays, onde havia homens go-go dancers que dançavam em trapézios sobre a pista de dança [7] [8] Em 1978, o Xenon, uma boate em Manhattan, tornou-se o primeiro clube a criar um espaço para go-go dancers amadores se apresentarem, [9] fazendo aparecer um grande numero de pessoas interessadas.

No início de 1980, o go-go dancing novamente tornou-se popular em clubes de Nova York inspirados pela música da cantora Madonna. Madonna incluía go-go dancers em seus video clipes para a MTV americana. Hoje, a go-go dancing também encontrou uma saída na mídia de massa. Horrorpops, uma banda dinamarquesa, é conhecida por mostrar go-go dancers em suas performances ao vivo e em vídeos de suas músicas. O vídeo da música Horrorbeach foi dedicado inteiramente aos seus go-go dancers.

Performance art dancers[editar | editar código-fonte]

Go-go dancers que são contratados para executar em boates, festas especiais, festivais, e circuitos de raves são chamados de “Performance art dancers” ou “dançarinos de arte performática”. [10] Suas atuações incluem de fantasias e acessórios luminosos, até a bastões de fogo ou cobras. No início ou em meados década de 1980, o dançarino de arte performática John Sex, que dançava junto com uma cobra python, desempenhou um papel importante na tomada do go-go dancing junto dos clubes gays e bissexuais junto com seu parceiro Sebastian Kwok.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Mish, Frederic C., Editor in Chief Webster's Ninth New Collegiate Dictionary Springfield, Massachuetts, U.S.A.:1984--Merriam-Webster Page 525
  2. Video, The Twist (A film by Ron Mann) 1993
  3. alphaDictionary: agog
  4. Merriam-Webster: gogo
  5. Le Petit Robert: GOGO (À), 1440; de l'a. fr. gogue "réjouissance"
  6. "Going to a Go Go: Up Close with the Dancers and the Dance" Bay Area Reporter May 2, 1991 "Arts and Entertainment" section Page 29
  7. Miezitis, Vida Night Dancin' New York:1980 Ballantine (Photography by Bill Bernstein) "G.G. Barnum's Room" Pages 94-102--Has pictures of male go-go dancers go-go dancing on trapezes above a net over the dance floor
  8. History of Gay Clubs in New York, with pictures of the outsides of the clubs:
  9. Anthony Haden-Guest The Last Party: Studio 54, Disco, and the Culture of the Night New York:1997 William Morrow Co. See numerous references to Xenon in the index
  10. "A Revival of Go-Go Dancers" San Francisco Chronicle July 12,1991 People section Page B3

Ligações externas[editar | editar código-fonte]