Good Night

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Good Night"
Canção de The Beatles
do álbum The Beatles
Lançamento 22 de novembro de 1968
Gravação Abbey Road Studios
18 de junho, 2 de julho, 22 de julho de 1968
Gênero(s) Música Clássica, cantiga de ninar
Duração 3:11
Gravadora(s) Apple Records
Composição Lennon/McCartney
Produção George Martin
Faixas de The Beatles
Lado um
  1. "Back in the U.S.S.R."
  2. "Dear Prudence"
  3. "Glass Onion"
  4. "Ob-La-Di, Ob-La-Da"
  5. "Wild Honey Pie"
  6. "The Continuing Story of Bungalow Bill"
  7. "While My Guitar Gently Weeps"
  8. "Happiness Is a Warm Gun"

Lado dois

  1. "Martha My Dear"
  2. "I'm So Tired"
  3. "Blackbird"
  4. "Piggies"
  5. "Rocky Raccoon"
  6. "Don't Pass Me By"
  7. "Why Don't We Do It in the Road?"
  8. "I Will"
  9. "Julia"

Lado três

  1. "Birthday"
  2. "Yer Blues"
  3. "Mother Nature's Son"
  4. "Everybody's Got Something to Hide Except Me and My Monkey"
  5. "Sexy Sadie"
  6. "Helter Skelter"
  7. "Long, Long, Long"

Lado quatro

  1. "Revolution 1"
  2. "Honey Pie"
  3. "Savoy Truffle"
  4. "Cry Baby Cry"
  5. "Revolution 9"
  6. "Good Night"

Good Night é uma canção da banda britânica The Beatles. Foi composta por John Lennon, creditada a dupla Lennon/McCartney, e lançada no álbum The Beatles (ou Álbum Branco), de 1968.

A canção ganhou distintas regravações de The Carpenters, Kenny Loggins, Cyril Stapleton, The Manhattan Transfer, Micky Dolenz e Vera Lynn, além de uma versão ao vivo da banda Coldplay.

Na versão dos Beatles, a canção é cantada pelo baterista Ringo Starr.

Criação[editar | editar código-fonte]

John Lennon escreveu esta música como uma canção de ninar para seu filho, Julian Lennon.

Além de servir como uma espécie de antídoto para a canção anterior, Revolution 9, Good Night encerra o disco com grandeza, seguindo a linha dos últimos álbuns, encerrados por Tomorrow Never Knows, A Day In The Life e All You Need Is Love, compostas todas por Lennon.

Há quem diga que Lennon deixou os vocais a cargo de Ringo Starr para não passar a imagem de "papai bonzinho".

Em entrevista de 1980 para a Playboy, Lennon disse:

'Good Night' foi escrita para Julian assim como 'Beautiful Boy' foi escrita para Sean, mas dado a Ringo, se tornou mais açucarada.

Paul McCartney traz suas lembranças na autobiografia Many Years From Now de Barry Miles:

Eu acho que John sentiu que não faria bem pra sua imagem cantá-la, mas foi fabuloso o ouvir cantar e ele cantou muito bem. Ouvimos John cantar uma vez, enquanto ensinava a letra para Ringo e ele a cantou com muita ternura. John raramente mostrava seu lado terno, mas minhas memórias me dizem que, quando ele mostrava, era o que permanecia pra mim. Aquele lado gentil e generoso de uma pessoa amável. Eu sempre cito essa canção como o lado não superficial do que víamos apenas ocasionalmente… Eu não acho que a versão de Lennon chegou a ser gravada.

Starr também fez suas declarações sobre a canção ainda em 1968:

Todos pensam que foi Paul quem escreveu 'Good Night' para que eu cantasse, mas foi John quem a escreveu. A canção tem muita alma, John a tem.

Os arranjos de George Martin são excessivamente "açucarados" e foi feito intencionalmente assim. Lennon disse que queria algo bem "água com açúcar" como um número hollywoodiano de Gordon Jenkins, ou como canções dos filmes de Walt Disney.

Letra[editar | editar código-fonte]

A letra é simples como uma canção de ninar dizendo que é hora de dizer boa noite, enquanto a luz do sol vai embora e deseja bons sonhos para todos.

Na segunda estrofe ele diz para fechar os olhos enquanto a luz do luar começa a brilhar. A letra finaliza com Ringo Starr dizendo em sussurros, Boa noite a todos em todo lugar.

Gravação[editar | editar código-fonte]

O grupo começou as gravações de Good Night na noite de 28 de junho de 1968. 5 takes foram gravados, com Starr nos vocais e Lennon no violão. Também nesse mesmo dia foi gravado um ensaio com Lennon no piano. Essa versão está no Anthology 3 com parte da trilha feita por George Martin.

Ringo gravou seu vocal em 2 de julho e os vocais de apoio foram adicionados. Depois, Martin fez uma cópia da faixa e começou a trabalhar na trilha musical.

Todas as gravações feitas anteriores a 22 de julho foram descartadas e feitas novamente. A orquestra foi a primeira e levou 12 takes para sair perfeita.

Após isso, 4 homens e 4 mulheres do grupo de cantores Mike Sammes Singers fizeram sua parte. A última parte foi Ringo que gravou os vocais entre 23h50min e 01h40min da manhã.

Ringo Starr foi o único Beatle a participar da canção. No projeto The Beatles Anthology, Ringo diz:

Eu fui escutar a canção pronta pela primeira vez em anos e não acho nem um pouco ruim, embora, pela minha voz eu parecesse soar muito nervoso. Foi uma responsabilidade que eu carreguei sozinho.

Músicos[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Turner, Steve. A Hard Day's Write: The Stories Behind Every Beatles' Song, Harper, New York: 1994, ISBN 0-06-095065-X
  • Lewisohn, Mark. The Complete Beatles Recording Sessions: The Official Story of the Abbey Road Years, Hamlyn Publishing Group Limited, London: 1988, ISBN 0-600-55798-7

Ligações externas[editar | editar código-fonte]