Goodfellas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Goodfellas
Tudo Bons Rapazes (PT)
Os Bons Companheiros (BR)
Pôster de divulgação
 Estados Unidos
1990 • cor • 145 min 
Direção Martin Scorsese
Produção Irwin Winkler
Produção executiva Barbara De Fina
Roteiro Nicholas Pileggi
Martin Scorsese
Narração Ray Liotta
Elenco Ray Liotta
Robert De Niro
Joe Pesci
Lorraine Bracco
Paul Sorvino
Género Crime
Drama
Idioma Inglês
Direção de fotografia Michael Ballhaus
Edição Thelma Schoonmaker
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 19 de setembro de 1990
Portugal 23 de novembro de 1990
Orçamento US$ 25 000 000
Receita US$ 46 836 394
Página no IMDb (em inglês)

Goodfellas (no Brasil, Os Bons Companheiros; em Portugal, Tudo Bons Rapazes) é um filme estado-unidense de 1990 dirigido por Martin Scorsese, baseado no livro de não-ficção Wiseguy, escrito por Nicholas Pileggi, que co-escreveu o roteiro para o filme com Scorsese. O filme segue a ascensão e a queda de três gângsters, ao longo de três décadas. O filme é estrelado por Robert De Niro, Ray Liotta e Joe Pesci.

O título do livro de Pileggi já tinha sido utilizada em uma série de televisão, e para uma comédia de Brian De Palma em 1986; assim Pileggi e Scorsese mudaram o nome do filme para Goodfellas. Para se preparar para seus papéis no filme, De Niro, Pesci e Liotta falaram muitas vezes com Pileggi, que compartilhou com os atores o material de pesquisa que tinha sido utilizado ao escrever o livro. Segundo Pesci, a improvisação e o ad-libbing teria vindo de ensaios em que Scorsese deu a liberdade de atores para fazer o que quisessem. O diretor fez as transcrições dessas sessões, colocou a linha de atuação em que os atores se saíram melhor, e os colocou em um roteiro para o elenco trabalhar na fotografia principal.

Goodfellas teve um bom desempenho nas bilheterias, arrecadando 46,8 milhões de dólares só nos Estados Unidos, bem acima de seu orçamento de US$ 25 milhões. Ele também recebeu críticas positivas dos críticos. Foi indicado para seis Oscars em 1991, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor (Scorsese, vencendo na categoria de Melhor Ator Coadjuvante para Joe Pesci). O filme também ganhou cinco prêmios BAFTAs (incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor), e foi eleito o melhor filme do ano por diversas organização de críticos, incluindo a New York Film Critics Circle Awards e a Boston Society of Film Critics.

Goodfellas é muitas vezes considerado um dos maiores filmes de todos os tempos, tanto no gênero de crime quanto em geral, e foi considerado "culturalmente significativo", tendo sido selecionado para preservação no National Film Registry da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. É sempre comparado com os filmes da trilogia The Godfather.

A palavra "fuck" foi usada no filme 246 vezes.[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Henry Hill (Ray Liotta) admite: "Desde que eu me lembro, eu sempre quis ser um gangster", referindo-se a idolatrar os bandidos da família Lucchese no seu bairro, o Brooklyn de 1955, predominantemente ítalo-americano no leste de Nova York. Querendo fazer parte de algo significativo, Henry sai da escola e vai trabalhar para eles. Seu pai um irlandês-americano, conhecendo a verdadeira natureza da máfia, tenta impedir que Henry depois de saber da sua falta da escola, mas os bandidos ameaçam o carteiro local, com consequências terríveis que ele deveria entregar as cartas da escola para os mafiosos. Henry é capaz de ganhar a vida por si mesmo e aprende duas lições mais importantes na vida: "Nunca traia seus amigos, e sempre mantenha a boca fechada", o conselho é dado a ele depois de ser absolvido das acusações criminais no início de sua carreira.

Henry é "cuidado" pelo capo da máfia local, Paul "Paulie" Cicero (Paul Sorvino) e seus associados, Jimmy Conway (Robert De Niro), que arma o sequestro de caminhões, e Tommy DeVito (Joe Pesci), um assaltante com um temperamento forte. No fim de 1967 eles roubam um carregamento de dinheiro de um Air France, marcando a estreia de Henry na grande máfia. Desfrutando as delícias da vida criminosa, que gastam maior parte de suas noites no Bar Copacabana com inúmeras mulheres. Henry conhece e se casa mais tarde com Karen (Lorraine Bracco), uma garota judia de Five Towns. Karen é inicialmente perturbada pela atividades criminosas de Henry, mas logo é seduzida por seu estilo de vida glamoroso. Quando um vizinho e ex-namorado tenta bater nela na frente de todo mundo por causa de seu namoro com Henry, Henry pega sua arma e dá várias coronhadas no ex de Karen. Ela sente-se excitada pela ação, especialmente quando Henry dá-lhe a arma e diz a ela para escondê-la.

Em 11 de junho de 1970, Tommy (com a ajuda de Jimmy) bate brutalmente em Billy Batts (Frank Vincent), um mafioso da família Gambino, por insultá-lo sobre ele ser um engraxate em sua juventude. No entanto, Batts era um homem feito, o que significa que ele não poderia ser tocado sem o consentimento de seus chefes da família Gambino. Percebendo que esta era uma ofensa que poderia levar todos a morte, Jimmy, Henry, e Tommy sentem a necessidade de encobrir o assassinato. Eles transportam o corpo no porta-malas do carro de Henry e o enterram no norte. Seis meses mais tarde Jimmy descobre que o local de enterro será escavado, forçando-os a exumar o cadáver em decomposição e movê-lo.

Henry começa a sair com uma prostituta chamada Janice Rossi (Gina Mastrogiacomo), colocando-a em um apartamento. Quando Karen descobre, ela vai para o apartamento de Janice para confrontá-la, mas ela não consegue deixar da porta da frente. Ela então se confronta com Henry, e ameaça matar os dois com um revólver apontado para seu rosto, querendo saber se ele ama Janice. Ela não consegue matá-lo e um furioso Henry ameaça Karen com a arma e diz que ele tem maiores preocupações: como ser assassinado nas ruas. Henry vai morar no apartamento com Janice. Logo ele retorna para Karen após concluir um trabalho para Paulie. Ele e Jimmy são enviados para coletar dinheiro de um jogador endividado, na Flórida. Entretanto, a maioria dos membros da máfia são presos após serem entregues pela irmã do jogador, um escrivão do FBI. Na prisão, Henry vende drogas para sustentar sua família no exterior. Logo depois ele é libertado em 1978, a máfia assalta um avião que carregava dinheiro da Lufthansa no John F. Kennedy International Airport. Henry ainda se estabelece no tráfico de drogas depois de ver o seu elevado potencial de lucro, e convence Tommy e Jimmy a se juntar a ele, apesar de Paulie adverti-lo a não mexer com drogas. As coisas começam a dar errado quando os participantes no roubo da Lufthansa ignoram o comando de Jimmy de não imediatamente comprar coisas caras a partir de sua parte do dinheiro roubado. Jimmy então mata todos um a um. Em seguida Tommy é morto por dois capos da família Gambino pelo o assassinato de Billy Batts, depois de ter sido enganado em pensar que ele ia se tornar um homem-feito.

Em 1980, Henry está à beira de fazer um grande negócio com seus associados de drogas em Pittsburgh. Uma pilha de nervos devido ao uso de cocaína e falta de sono, ele fica paranoico com medo de ser preso. No entanto, isso não o impediu de ser capturado por agentes da DEA e enviado para a prisão. No seu depoimento, Karen diz que colocou drogas — no valor de 60.000 dólares de cocaína — no sanitário para evitar que os agentes do FBI a encontrassem durante a revista. Henry e sua família estão agora sem um tostão. Paulie sente-se traído por Henry por ele ter se envolvido com tráfico de drogas. Ele dá 3.200 dólares a Henry, mas rompe toda a associação com ele. Henry percebe que ele próprio está para ser morto quando Jimmy pede a ele para realizar um golpe na Flórida. Henry decide se inscrever no Programa de Proteção de Testemunhas para se proteger e proteger sua família. Forçado a sair da sua vida de gangster, ele agora tem que enfrentar viver no mundo real, e ser o que nunca quis ser: um ninguém.

Em um prólogo é explicado que Henry foi preso por porte de drogas, em Seattle, Washington, mas está limpo desde 1987. Paulo Cícero morreu na Prisão Federal de Fort Worth, de doenças respiratórias, em 1988, aos 73 anos. Jimmy, desde de 1990, estava cumprindo pena numa prisão do Estado de Nova York.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem Baseado em
Ray Liotta Henry Hill Henry Hill
Robert De Niro Jimmy Conway Jimmy Burke
Joe Pesci Tommy DeVito Thomas DeSimone
Paul Sorvino Paul Cicero Paul Vario
Lorraine Bracco Karen Hill Karen Hill (nascida Friedman)
Frank Sivero Frankie Carbone Angelo Sepe
Tony Darrow Sonny Bunz Angelo McConnach
Mike Starr Frenchy Robert McMahon
Frank Vincent Billy Batts William "Billy Batts" DeVino
Chuck Low Morrie Kessler Martin Krugman
Frank DiLeo Tuddy Cicero Vito "Tuddy" Vario
Johnny Williams Johnny Roastbeef Louis Cafora
Jim Colella Jim Colella Jim Colella
Samuel L. Jackson Parnell "Stacks" Edwards Parnell Steven "Stacks" Edwards
Frank Adonis Anthony Stabile Anthony Stabile
Catherine Scorsese Mãe de Tommy DeVito Thomas DeSimone's Grandmother
Gina Mastrogiacomo Janice Rossi Linda Coppociano
Debi Mazar Sandy Megan Cooperman
Margo Winkler Belle Kessler Fran Krugman
Welker White Lois Byrd Judy Wicks
Julie Garfield Mickey Conway Mickey Burke
Detetive Ed Deacy Ele próprio Ele próprio
Christopher Serrone Henry Hill (jovem) Henry Hill (jovem)
Charles Scorsese Vinnie Thomas Agro
Michael Vivalo Nicky Eyes Ele próprio
Michael Imperioli "Spider" Michael "Spider" Gianco
Tony Ellis Bridal Shop Owner Jerome Asaro
Elizabeth Whitcraft Namorada de Tommy Theresa Ferrara
Illeana Douglas Outra namorada de Tommy Rosie
Anthony Powers Jimmy Two-Times Bobby "The Dentist"
Promotor público assistente Ed McDonald Ele próprio Ele próprio
Ray DeBenedictis "Peter"
Tony Lip Frankie "The Wop" Francesco Manzo
Kevin Corrigan Michael Hill

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1991 (EUA)

  • Venceu na categoria de Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci).
  • Indicado na categoria de Melhor Filme, Melhor Diretor (Martin Scorsese), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Atriz Coadjuvante (Lorraine Bracco) e Melhor Edição.

Globo de Ouro 1991 (EUA)

  • Indicado nas categorias de Melhor Diretor (Martin Scorsese), Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci), Melhor Atriz Coadjuvante (Lorraine Bracco) e Melhor Roteiro.

BAFTA 1991 (Reino Unido)

  • Venceu nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção (Martin Scorsese), Melhor Figurino, Melhor Edição e Melhor Roteiro Adaptado.
  • Indicado na categoria de Melhor Ator (Robert De Niro) e Melhor Fotografia.

Festival de Veneza 1990 (Itália)

  • Venceu na categoria de Melhor Diretor (Leão de Prata).

Prêmio National Board of Review 1991 (EUA)

  • Venceu nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci).

Prêmio New York Film Critics Circle Awards 1990 (EUA)

  • Venceu nas categorias de Melhor Diretor (Martin Scorsese), Melhor Filme e Melhor Ator (Robert De Niro)
  • Indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci) e Melhor Atriz Coadjuvante (Lorraine Bracco).

Prêmio Boston Society of Film Critics Awards 1991 (EUA)

  • Venceu nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor (Martin Scorsese) e Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci).

Prêmio Kansas City Film Critics Circle Awards 1991 (EUA)

  • Venceu nas categorias de Melhor Direção (Martin Scorsese), Melhor Filme e Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci).

Prêmio Chicago Film Critics Association Awards 1991 (EUA)

  • Venceu nas categorias de Melhor Direção (Martin Scorsese), Melhor Filme, Melhor Roteiro, Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci) e Melhor Atriz Coadjuvante (Lorraine Bracco)
  • Indicado na categoria de Melhor Ator (Robert De Niro).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências