Grão-Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brazil states1789.png

O Grão-Pará foi uma das capitanias da América Portuguesa, integrando inicialmente o Estado do Grão-Pará e Maranhão.

Uma das possíveis etimologias do nome da antiga unidade administrativa decorre do rio Pará, que corta a região e antigamente acreditava-se um prolongamento direto do rio Amazonas.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1718 - criação da capitania do Piauí, desmembrada da capitania do Maranhão, integrando o Estado do Maranhão.
  • 3 de março de 1755 - criação da Capitania de São José do Rio Negro, desmembrada do Estado do Grão-Pará e Maranhão. A nova capitania compreendia territórios hoje equivalentes ao do atual estado do Amazonas e parte do de Roraima. A capital da capitania foi estabelecida na vila de Mariuá, atual Barcelos (Amazonas). Durante alguns anos, de 1792 a 1799 a capital esteve informalmente no Lugar da Barra, a atual Manaus, onde viria a se instalar oficialmente em 1804. O Estado do Grão-Pará e Maranhão passou a compreender, assim, quatro capitanias: a de São José do Rio Negro, a do Grão-Pará, a do Maranhão e a do Piauí.

Com esta medida, a América Portuguesa passava a compreender três unidades administrativas autônomas.

  • 7 de setembro de 1822 - a Independência do Reino do Brasil. As capitanias daquele Reino tornam-se províncias.
  • 15 de agosto de 1823 - Em reunião em Belém, o governo local decide unir-se ao Brasil independente. A mudança ficou conhecida como "Adesão do Pará", proclamada por D. Romualdo Coelho. A Capitania do Grão-Pará foi incorporada ao Império do Brasil como a província do Grão-Pará.
  • 5 de setembro de 1850 - A província do Grão-Pará foi desmembrada em duas unidades, formando as províncias do Pará e do Amazonas (antiga capitania de São José do Rio Negro, subordinada ao Estado do Grão-Pará e Rio Negro; e posteriormente comarca do Alto Amazonas, subordinada à província do Pará[2] ).
  • 15 de novembro de 1889 - Proclamação da República. As províncias passam a ser denominadas como estados. Assim a província do Pará passou a ser denominada estado do Pará.
  • 1943 - Criação do Território Federal do Amapá, em área desmembrada do estado do Pará.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CERQUEIRA E SILVA, Ignácio Accioli de. Corografia Paraense ou Descripção Física, Histórica e Política da Províoncia do Gram-Pará. Bahia: Typografia do Diário, 1833.
  • BOSCHI, Caio C. (org.). Catálogo de Documentos Manuscritos Avulsos da Capitania do Pará existentes no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa. Belém: SECULT, Arquivo Público do Pará, 2002, 3 vols.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Capitanias.jpg Capitanias do Brasil Brazil states1709.png

As quinze capitanias hereditárias iniciais
Baía de Todos os Santos | Ceará | Espírito Santo | Ilhéus | Itamaracá | Maranhão (duas secções)
Pernambuco | Porto Seguro | Rio Grande | Santana | Santo Amaro | São Tomé | São Vicente (duas secções)

Capitanias derivadas das iniciais e de novos territórios
Alagoas | Goiás | Grão-Pará | Mato Grosso | Minas Gerais | Paraíba | Piauí | Rio de Janeiro | Rio Grande de São Pedro
São João das Duas Barras | São José do Rio Negro | São Paulo e Minas de Ouro | São Paulo | São Pedro do Rio Grande do Sul | Santa Catarina | Sergipe

Ver também
Governo-Geral | Repartição Norte | Repartição Sul | Estado do Brasil | Estado do Maranhão (Estado do Maranhão e Grão-Pará)
Estado do Grão Pará e Maranhão | Estado do Grão-Pará e Rio Negro | Estado do Maranhão e Piauí


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas falta adicionar a predefinição {{referências}} no final da página