Grand-Place de Bruxelas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif La Grand-Place, Bruxelas *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Brussels floral carpet B.jpg
Panorama da Grand-Place
País Bélgica
Critérios C (ii) (iv)
Referência 857
Coordenadas 50º 50' 48" N 4º 21' 8" E
Histórico de inscrição
Inscrição 1998  (22ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

A Grand-Place de Bruxelas (neerlandês: Grote Markt; português: Praça Grande) é a praça central de Bruxelas. Nela ficam o Hotel da Cidade e a Casa do Rei. Alguns autores, entre os quais Victor Hugo, consideram-na a mais bela praça do mundo. Foi inscrita em 1998 na lista de Património Mundial da UNESCO.

Centro de Bruxelas[editar | editar código-fonte]

A câmara municipal, na praça principal de Bruxelas.

A Grand Place é o centro geográfico, histórico e comercial de Bruxelas, e o primeiro local a ser visitado por quase todos os turistas. Esta movimentada praça empedrada mantém-se o centro cívico da cidade, passados séculos da sua criação, e o melhor exemplo da arquitectura belga do século XVII. No século XI realizavam-se mercados ao ar livre e no final do século XIV foi construída a Câmara Municipal de Bruxelas, o Hôtel de Ville (Town Hall), e os comerciantes acrescentaram sedes de guildas numa mistura de estilos. Em 1695, dois dias de intensos bombardeamentos franceses destruíram tudo excepto a Câmara Municipal e duas fachadas de guildas. Os comerciantes reconstruíram as suas salas em estilos aprovados pelo Conselho Municipal, originando a harmoniosa unidade de edifícios da Renascença flamenga que vemos hoje.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • Século XII: a praça já existia; onde hoje é a Casa do Rei existia um edifício em madeira onde se vendia pão, daí o seu nome actual em neerlandês: Broodhuis
  • 1402-1459: construção da Câmara Municipal (Brussels Town Hall). Em 1401 foi colocada a primeira pedra e apenas em 1459 se deu a construção por totalmente concluída, sendo considerado o mais belo edifício cívico da Bélgica, estatuto que goza ainda hoje. Jacques van Thienen foi encarregado de desenhar a ala oeste e o campanário do edifício, onde usou colunas decoradas, esculturas, torreões e arcadas. A torre e a flecha iniciadas em 1449 por Jan van Ruysbroeck ajudaram a firmar a sua reputação.
  • 1523: os primeiros mártires protestantes, Henri Voes e Jean Van Eschen, são queimados pela Inquisição espanhola
  • 1695: a maior parte das casas, construídas em madeira, foram destruídas a 13 de Agosto num bombardeamento pelas tropas francesas comandadas pelo Marechal de Villeroy
  • 1873: construção da actual Casa do Rei em Estilo Neo-gótico

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.