Grande Irmão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cartaz do Grande Irmão.

"Grande Irmão", "Big Brother" no original, é um personagem fictício no romance 1984 de George Orwell.

Na sociedade descrita por Orwell, todas as pessoas estão sob constante vigilância das autoridades, principalmente por teletelas (telescreen), sendo constantemente lembrados pela frase propaganda do Estado: "o Grande Irmão zela por ti" ou "o Grande Irmão está-te observando" (do original "Big Brother is watching you"). A descrição física do "Grande Irmão" assemelha-se a Josef Stalin ou Horatio Herbert Kitchener[carece de fontes?].

Alusão ao Big Brother atualmente[editar | editar código-fonte]

Desde a publicação de Nineteen Eighty-Four, as expressões "Big Brother" ou "Grande Irmão" são usadas geralmente para descrever qualquer excesso de controle ou autoridade por uma figura, ou tentativas por parte do governo de aumentar a vigilância, ou iniciativas (sejam de governos, órgãos de governo ou empresas) que culminam em violação e invasão de privacidade.

A revista Book classificou o Big Brother como o número 59 na sua na lista "100 Melhores Personagens de Ficção Desde 1900" .[1] . Em Outubro de 2006, o Book colocou o Big Brother em segundo lugar na lista das "101 Pessoas Mais Influentes Que nunca Viveram".[2] A Revista Wizard nomeia ele como o 75º maior vilão de todos os tempos.[3]

O reality show, Big Brother, é baseado no conceito de pessoas com constante vigilância proveio deste personagem. Em 2000, após o "Big Brother" estrear nos Estados Unidos pela Columbia Broadcasting System, uma empresa chamada "Orwell Productions, Inc." entrou com um processo no tribunal federal de Chicago, por violação dos direitos de autor e de marca. Na véspera do julgamento, o caso resolvido a nível mundial para as partes com "satisfação mútua." O dinheiro que a CBS pagou nunca foi divulgado. Porém o romance 1984 permanecerá sob proteção autoral até 2044.

O autor de ficção científica David Brin costuma dizer que o grande mérito da ficção científica não é prever o futuro, mas pintar um futuro tão horrível que as pessoas vão lutar para que ele não aconteça. Neste sentido, 1984 é talvez o livro mais importante do século, porque, a qualquer sinal de tirania, a sociedade lembra do livro e luta para impedi-la[4] .

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. 100 Best Characters in Fiction Since 1900
  2. 101 Most Influential People Who Never Lived
  3. Wizard #177
  4. http://www.davidbrin.com/1984.htm George Orwell and the Self-Preventing Prophecy
Ícone de esboço Este artigo sobre uma personagem de ficção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.