Grande Prêmio da Grã-Bretanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Grande Prêmio da Inglaterra)
Ir para: navegação, pesquisa
Reino Unido Grande Prêmio da Grã-Bretanha
Silverstone
Silverstone Circuit 2010 version.png
Mapa do circuito.
Informações da corrida
Localização Silverstone, Inglaterra
Voltas 52
Percurso 5.891 km (3.660 mi)
Total 306.198 km (190.262 mi)
Curvas 18
Pole Reino Unido Lewis Hamilton
Mercedes V8
1min 29s 607
2013
Volta mais rápida
na prova
Espanha Fernando Alonso
Ferrari V8
1min 30s 874
2010
Anos disputados 64
Primeira disputa 1950
Última disputa 2013
Maior vencedor (pilotos) Reino Unido Jim Clark (5)
França Alain Prost (5)
Maior vencedor (equipe) Itália Ferrari (15)
Última corrida (2013):
Pole Position
Piloto Reino Unido Lewis Hamilton
Mercedes V8
Tempo 1min 29s 607
Volta mais rápida
Piloto Austrália Mark Webber
Red Bull-Renault V8
Tempo 1min 33s 401
Pódio
Primeiro Alemanha Nico Rosberg
Mercedes V8
1h 32min 59s 456s
Segundo Austrália Mark Webber
Red Bull-Renault V8
+0s 765
Terceiro Espanha Fernando Alonso
Ferrari V6
+7s 124

O Grande Prêmio da Grã-Bretanha é uma prova automobilística realizada no Reino Unido, disputada pela primeira vez no ano de 1948. No Brasil, é denominada erroneamente de Grande Prêmio da Inglaterra, quando a designação correta deve ser Grande Prêmio da Grã-Bretanha, versão em português para a expressão British Grand Prix, nome oficial da corrida.

O Grande Prêmio da Grã-Bretanha é hoje uma prova válida pelo calendário do Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA, sendo atualmente disputado no Circuito de Silverstone, perto da cidade de Silverstone, em Northamptonshire. O Grande Prêmio britânico, ao lado do GP italiano, são as duas únicas corridas a figurar, ininterruptamente, em todas as temporadas do Campeontato Mundial de Fórmula 1, desde 1950.

História[editar | editar código-fonte]

Há uma divergência quanto ao ano de surgimento do Grande Prêmio da Grã-Bretanha. Alguns apontam o ano de 1926, quando foi disputada, em Brooklands, a primeira corrida denominada "British Grand Prix", criada graças às vitórias obtidas pelo piloto britânico Henry Segrave, que havia triunfado no Grande Prêmio da França, em 1923, e no Grande Prêmio da Espanha, no ano seguinte, despertando o interesse de seus compatriotas pelo esporte a motor. Essa primeira corrida foi vencida pela equipe francesa de Louis Wagner e Robert Sénéchal, pilotando um Delage 155B. Em 1927, houve uma segunda e última edição dessa corrida de Brooklands, vencida pelo francês Robert Benoist, igualmente a bordo de um Delage 155B.

Desde então, não mais ocorreu, no Reino Unido, nenhuma outra corrida automobilística sob a denominação de "British Grand Prix", salvo após o fim da II Guerra Mundial, quando foi disputada, em Silverstone, no dia 2 de outubro de 1948, o chamado "I RAC British Grand Prix", considerado por outros como a verdadeira origem do Grande Prêmio britânico.

A partir de 1950, o GP da Grã-Bretanha passou a integrar o calendário da Fórmula 1, tendo sido a primeira corrida válida pelo Campeonato Mundial daquele ano. Entre 1955 e 1886, outras duas pistas alternaram com Silverstone o privilégio de sediar o GP britânico, sendo elas Aintree (mais conhecida pela disputa hípica) e Brands Hatch. A partir de 1987, Silverstone passou a abrigar a corrida com exclusividade.

Antes de ter passado por modificações, em 1991, a pista de Silverstone era uma das mais rápidas do calendário da Fórmula Um. Os pilotos adoravam o desafio proporcionado pelas excitantes e desafiadoras curvas Copse, Stowe e Club.

No traçado anterior do circuito, que havia perdurado de 1975 a 1985, o finlandês Keke Rosberg, campeão do mundo em 1982, marcou a pole position para o Grande Prêmio de 1985 com o tempo de 1'05.591 min., a uma velocidade média de 258,983 km/h (160,92 mph), estabelecendo um recorde que perdurou por 16 anos.

Por várias vezes, Silverstone produziu belas corridas, sobretudo aquelas vencidas pelos pilotos britânicos John Watson (1981), Nigel Mansell (1987, 1991, 1992), Damon Hill (1994), David Coulthard (1999, 2000) e Lewis Hamilton (2008).

Contudo, a falta de acordo entre o proprietário de Silverstone, o Clube de Pilotos Britânicos de Corridas - BRDC (British Racing Drivers Club), e as autoridades da Fórmula 1, que divergiam quanto à implementação de melhorias no circuito e o pagamento da comissão para a permanência da prova no Campeonato Mundial, passou a colocar em xeque, a partir de 2003, o futuro do Grande Prêmio da Grã-Bretanha.

Em outubro de 2004, o Grande Prêmio foi deixado de fora do calendário provisório da Fórmula 1 para a temporada do ano seguinte, porque o BRDC recusava-se a pagar a comissão exigida por Bernie Ecclestone, dirigente-mor da categoria e, paradoxalmente, britânico. No entanto, após meses de negociação entre o BRDC, Ecclestone e as equipes de Fórmula 1, um acordo foi assinado para assegurar a permanência da etapa britânica no calendário, até o ano de 2009.

Tratava-se, porém, apenas de um acordo de médio prazo. Outro acordo maior persistia em negociações, bem mais difícieis, para garantir a persistência do GP britânico por mais tempo na categoria máxima do automobilismo mundial. Bernie Ecclestone, que já havia comparado a prova em Silverstone a uma "feira rural", assegurou que não atuaria com sentimentalismos e que o circuito teria de modernizar-se ou perderia o direito de integrar o calendário da Fórmula 1.

As exigências de Bernie Ecclestone eram basicamente duas: revitalização geral do autódromo, para ajustar-se aos elevados padrões de excelência da Fórmula 1 moderna, e o pagamento da comissão para que a corrida continuasse a integrar o calendário da categoria. O BRDC não se opunha à necessidade de melhoria de Silverstone, tendo chegado a anunciar, em 2008, um arrojado projeto de reformulação considerável do autódromo, o que parecia atender perfeitamente às exigências de Ecclestone. Mas a questão dos valores da comissão obstaculizou o progresso das negociações. O BRDC não conseguia encontrar um patrocinador que pudesse arcar com esse custo.

À certa altura, tanto Ecclestone como o BRDC passaram a defender que o Governo Britânco subsidiasse a permanência da corrida de Silverstone, mas não houve boa receptividade dessa ideia pelas autoridades britânicas. Ecclestone também chegou a cogitar que, se não se chegasse a um acordo com o BRDC, a prova poderia ser transferida para um circuito de rua na capital, Londres. Novamente as autoridades se pronunciaram contra a sugestão.

Depois de anos de infrutíferas negociações com o BRDC, Ecclestone tomou uma decisão surpreendente, anunciada pela FIA em 4 de julho de 2008, ano do aniversário de 60 anos da corrida: assinou contrato de dez anos com Simon Gillett e Lee Gill, que haviam adquirido Donington Park em princípios de 2007, circuito esse que acolhera a Fórmula 1 uma única vez, no hoje lendário Grande Prêmio da Europa de 1993, vencido de forma memorável por Ayrton Senna.

Com a assinatura do contrato, o circuito de Silverstone, famoso e emblemático para a Fórmula 1, abrigará o Grande Prêmio da Grã-Bretanha apenas até 2009, conforme já havia sido pactuado com o BRDC. De 2010 até 2019, a prova passará a ser disputada no circuito de Donington Park, que fica perto das cidades de Derby e Nottingham e que hoje enfrenta as mesmas deficiências de estrutura e de acesso de Silverstone. Isso, contudo, não foi obstáculo em razão do compromisso financeiro assumido pelos proprietários de Donington, que se obrigaram a implementar um caro plano de desenvolvimento do circuito, cujos gastos foram orçados em 100 milhões de libras, a serem investidos ao menos pelos próximos cinco anos.

Ainda que o fracasso das negociações entre Bernie Ecclestone e o BRDC tenha acarretado a terrível perda de Silverstone, o que sem dúvida representa um dano irreparável para os fãs das corridas de automóvel, pelo menos parece estar garantida, a longo prazo, a permanência do Grande Prêmio da Grã-Bretanha no calendário da Fórmula 1.

No entanto, como o BRDC declarou que os planos de reforma de Silverstone não serão abandonados e que a reforma de Donington, devido ao seu elevado custo, possa não concretizar-se, a imprensa britânica indagou a Bernie Ecclestone se a etapa poderia permanecer em Silverstone. Em resposta, o diretor-executivo da Fórmula 1 sentenciou, em tom ameaçador e definitivo: ou Donington consegue adequar-se para receber a Fórmula 1 em 2010, ou o Grande Prêmio da Grã-Bretanha será excluído da temporada e substituído por uma corrida em outro país.

O tempo, mais uma vez, dirá sobre o futuro de um dos principais eventos da história do automobilismo mundial.

Circuitos utilizados[editar | editar código-fonte]

Silverstone (até 2009)
Aintree
Brands Hatch

Ganhadores do GP da Grã-Bretanha[1] [editar | editar código-fonte]

Por ano[editar | editar código-fonte]

O fundo vermelho mostra quando a prova não fez parte do campeonato mundial de F1.

Ano Piloto Construtor Local Resumo
2014 Detalhes
2013 Alemanha Nico Rosberg Mercedes Silverstone Detalhes
2012 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault Silverstone Detalhes
2011 Espanha Fernando Alonso Ferrari Silverstone Detalhes
2010 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault Silverstone Detalhes
2009 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Silverstone Detalhes
2008 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes Silverstone Detalhes
2007 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari Silverstone Detalhes
2006 Espanha Fernando Alonso Renault Silverstone Detalhes
2005 Colômbia Juan Pablo Montoya McLaren-Mercedes Silverstone Detalhes
2004 Alemanha Michael Schumacher Ferrari Silverstone Detalhes
2003 Brasil Rubens Barrichello Ferrari Silverstone Detalhes
2002 Alemanha Michael Schumacher Ferrari Silverstone Detalhes
2001 Finlândia Mika Häkkinen McLaren-Mercedes Silverstone Detalhes
2000 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes Silverstone Detalhes
1999 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes Silverstone Detalhes
1998 Alemanha Michael Schumacher Ferrari Silverstone Detalhes
1997 Canadá Jacques Villeneuve Williams-Renault Silverstone Detalhes
1996 Canadá Jacques Villeneuve Williams-Renault Silverstone Detalhes
1995 Reino Unido Johnny Herbert Benetton-Renault Silverstone Detalhes
1994 Reino Unido Damon Hill Williams-Renault Silverstone Detalhes
1993 França Alain Prost Williams-Renault Silverstone Detalhes
1992 Reino Unido Nigel Mansell Williams-Renault Silverstone Detalhes
1991 Reino Unido Nigel Mansell Williams-Renault Silverstone Detalhes
1990 França Alain Prost Ferrari Silverstone Detalhes
1989 França Alain Prost McLaren-Honda Silverstone Detalhes
1988 Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda Silverstone Detalhes
1987 Reino Unido Nigel Mansell Williams-Honda Silverstone Detalhes
1986 Reino Unido Nigel Mansell Williams-Honda Brands Hatch Detalhes
1985 França Alain Prost McLaren-TAG Silverstone Detalhes
1984 Áustria Niki Lauda McLaren-TAG Brands Hatch Detalhes
1983 França Alain Prost Renault Silverstone Detalhes
1982 Áustria Niki Lauda McLaren-Ford Brands Hatch Detalhes
1981 Reino Unido John Watson McLaren-Ford Silverstone Detalhes
1980 Austrália Alan Jones Williams-Ford Brands Hatch Detalhes
1979 Suíça Clay Regazzoni Williams-Ford Silverstone Detalhes
1978 Argentina Carlos Reutemann Ferrari Brands Hatch Detalhes
1977 Reino Unido James Hunt McLaren-Ford Silverstone Detalhes
1976 Áustria Niki Lauda Ferrari Brands Hatch Detalhes
1975 Brasil Emerson Fittipaldi McLaren-Ford Silverstone Detalhes
1974 África do Sul Jody Scheckter Tyrrell-Ford Brands Hatch Detalhes
1973 Estados Unidos Peter Revson McLaren-Ford Silverstone Detalhes
1972 Brasil Emerson Fittipaldi Lotus-Ford Brands Hatch Detalhes
1971 Reino Unido Jackie Stewart Tyrrell-Ford Silverstone Detalhes
1970 Áustria Jochen Rindt Lotus-Ford Brands Hatch Detalhes
1969 Reino Unido Jackie Stewart Matra-Ford Silverstone Detalhes
1968 Suíça Jo Siffert Lotus-Ford Brands Hatch Detalhes
1967 Reino Unido Jim Clark Lotus-Ford Silverstone Detalhes
1966 Austrália Jack Brabham Brabham-Repco Brands Hatch Detalhes
1965 Reino Unido Jim Clark Lotus-Climax Silverstone Detalhes
1964 Reino Unido Jim Clark Lotus-Climax Brands Hatch Detalhes
1963 Reino Unido Jim Clark Lotus-Climax Silverstone Detalhes
1962 Reino Unido Jim Clark Lotus-Climax Aintree Detalhes
1961 Alemanha Wolfgang von Trips Ferrari Aintree Detalhes
1960 Austrália Jack Brabham Cooper-Climax Silverstone Detalhes
1959 Austrália Jack Brabham Cooper-Climax Aintree Detalhes
1958 Reino Unido Peter Collins Ferrari Silverstone Detalhes
1957 Reino Unido Stirling Moss
Reino Unido Tony Brooks
Vanwall Aintree Detalhes
1956 Argentina Juan-Manuel Fangio Lancia-Ferrari Silverstone Detalhes
1955 Reino Unido Stirling Moss Mercedes Aintree Detalhes
1954 Argentina José Froilán González Ferrari Silverstone Detalhes
1953 Itália Alberto Ascari Ferrari Silverstone Detalhes
1952 Itália Alberto Ascari Ferrari Silverstone Detalhes
1951 Argentina José Froilán González Ferrari Silverstone Detalhes
1950 Itália Giuseppe Farina Alfa Romeo Silverstone Detalhes
1949 Suíça Emmanuel de Graffenried Maserati Silverstone Detalhes
1948 Itália Luigi Villoresi Maserati Silverstone Detalhes
Não houve de 1928 à 1947
1927 França Robert Benoist Delage Silverstone Detalhes
1926 França Louis Wagner
França Robert Sénéchal
Delage Brooklands Detalhes

Por pilotos que mais venceram[editar | editar código-fonte]

(Última atualização: GP da Grã-Bretanha 2013).

Contabilizados somente os resultados válidos pelo mundial de F1.

O fundo verde mostra as equipes que disputam a temporada atual.

Vitórias Pilotos Edições
5 Reino Unido Jim Clark 1962, 1963, 1964, 1965, 1967
França Alain Prost 1983, 1985, 1989, 1990, 1993
4 Reino Unido Nigel Mansell 1986, 1987, 1991, 1992
3 Austrália Jack Brabham 1959, 1960, 1966
Áustria Niki Lauda 1976, 1982, 1984
Alemanha Michael Schumacher 1998, 2002, 2004
2 Argentina José Froilán González 1951, 1954
Itália Alberto Ascari 1952, 1953
Reino Unido Stirling Moss 1955, 1957
Reino Unido Jackie Stewart 1969, 1971
Brasil Emerson Fittipaldi 1972, 1975
Canadá Jacques Villeneuve 1996, 1997
Reino Unido David Coulthard 1999, 2000
Espanha Fernando Alonso 2006, 2011
Austrália Mark Webber 2010, 2012

Por equipes que mais venceram[editar | editar código-fonte]

(Última atualização: GP da Grã-Bretanha 2013).

Contabilizados somente os resultados válidos pelo mundial de F1.

O fundo verde mostra as equipes que disputam a temporada atual.

Vitórias Construtor Edições
15 Itália Ferrari 1951, 1952, 1953, 1954, 1958, 1961, 1976, 1978, 1990, 1998, 2002, 2003, 2007, 2011
14 Reino Unido McLaren 1973, 1975, 1977, 1981, 1982, 1984, 1985, 1988, 1989, 1999, 2000, 2001, 2005, 2008
10 Reino Unido Williams 1979, 1980, 1986, 1987, 1991, 1992, 1993, 1994, 1996, 1997
8 Reino Unido Lotus 1962, 1963, 1964, 1965, 1967, 1968, 1970, 1972
3 Áustria Red Bull 2009, 2010, 2012
2 Reino Unido Cooper 1959, 1960
Reino Unido Tyrrell 1971, 1974
França Renault 1983, 2006
Alemanha Mercedes 1955, 2013

Por país[editar | editar código-fonte]

(Última atualização: GP da Grã-Bretanha 2013).

Contabilizados somente os resultados válidos pelo mundial de F1.

Vitórias País Edições
21  Reino Unido 1955, 1957, 1958, 1962, 1963, 1964, 1965,
1967, 1969, 1971, 1977, 1981, 1986, 1987,
1991, 1992, 1994, 1995, 1999, 2000, 2008
6  Austrália 1959, 1960, 1966, 1980, 2010, 2012
 Alemanha 1961, 1998, 2002, 2004, 2009, 2013
5  França 1983, 1985, 1989, 1990, 1993
4  Argentina 1951, 1954, 1956, 1978
 Áustria 1970, 1976, 1982, 1984
 Brasil 1972, 1975, 1988, 2003
3  Itália 1950, 1952, 1953
2 Suíça 1968, 1979
 Canadá 1996, 1997
 Finlândia 2001, 2007
 Espanha 2006, 2011
1  Estados Unidos 1973
África do Sul 1974
 Colômbia 2005

Recordes do Grande Prêmio da Grã-Bretanha[editar | editar código-fonte]

Circuito de Silverstone[editar | editar código-fonte]

Circuito de Brands Hatch[editar | editar código-fonte]

Circuito de Aintree[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Chicanef1.com Chicanef1.com
Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.