Grande Prêmio de Mônaco de 2011 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prémio de Mônaco de F-1 2011
Circuit Monaco.svg
Grande Prêmio de Mônaco de 2011 (Fórmula 1).
Detalhes da corrida
Local Circuito de Monte Carlo
Percurso 3.340 km
Total 78 voltas / 260.520 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing
Tempo 1:13.556
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Mark Webber Red Bull Racing
Tempo 1:16.234 (na volta 78)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing
Segundo
Espanha Fernando Alonso Ferrari
Terceiro
Reino Unido Jenson Button McLaren

O Grande Prémio de Mônaco de 2011 foi a sétima corrida da temporada de 2011 da Fórmula 1.[1] O treino classificatório foi realizado no dia 28 de maio e teve como pole position o piloto alemão Sebastian Vettel. Já a corrida, realizada no dia seguinte, foi muito movimentada, contou com vários acidentes e foi vencida por Vettel, seguido de Fernando Alonso e Jenson Button para completar o pódio.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Desde o grande prêmio da Turquia[2] vários pilotos vinham manifestando preocupação para com o uso da asa móvel (em inglês: Drag Reduction System[3] ) em Mônaco e tinham o objetivo de proibir o uso dela na corrida e nos treinos.[2] Segundo eles o uso do aparato dentro do túnel monegasco traria riscos e poderia ser muito perigoso, pois não há espaço para erros e a área é em curva, não em reta.[4]

Rubens Barrichello declarou “achar errado” o uso do dispositivo e que “estavam esperando algo de ruim acontecer”.[5] Já Lewis Hamilton foi a favor do uso e declarou-se “animado para usar” o aparato.[6] Michel Schumacher também foi a favor e disse não achar “tão perigoso apertar alguns botões”.[6] Uma semana antes da corrida, Charlie Whiting, diretor de provas, afirmou ter conversado com parte dos pilotos e que “a maioria deles não quer usar a asa”, entretanto não havia evidência que levasse a proibir o uso do dispositivo no circuito inteiro.[2] Alguns dias depois a FIA decidiu por proibir o uso dentro do túnel, mas a possibilidade de uma proibição na pista toda foi rechaçada, e a zona de ultrapassagem foi estabelecida na reta dos boxes.[3] A decisão foi aopiada pelos pilotos. Jenson Button declarou que a atitude “foi necessária”.[3]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

O classificatório teve inicio no horário previsto. A Q1 (primeira parte da classificação) não contou com a participação do italiano Vitantonio Liuzzi que, durante o terceiro treino livre, saiu de traseira na curva Sainte Devote e acertou a barreira de pneus colocada no local.[7] Sua equipe, a Hispania, não conseguiu consertar o carro a tempo.[8] Já seu companheiro de equipe, o indiano Narain Karthikeyan, não participou do treino porque teve problemas na suspensão de seu carro.[8] Todos os pilotos classificados participaram da Q2 (segunda parte) que, por sua vez, ocorreu normalmente.

Você fica sentado no carro perguntando sobre as notícias e, para ser honesto, é difícil manter o foco e você não se sente cem por cento quando não sabe o que está acontecendo. É um alívio ele (Sergio Pérez) estar consciente e falando. A coisa mais importante é que Sergio está bem e teremos uma boa e segura corrida amanhã
Sebastian Vettel

A Q3 ficou marcada pela batida do mexicano Sergio Pérez faltando apenas 2m26s[7] para o fim da sessão. Ele derrapou na freada para a chicane do Porto e colidiu bruscamente com a barreira de proteção colocada em frente ao guard rail.[7] O mexicano não respondeu às tentativas de contato da equipe via rádio, porém foi atendido pelos médicos ainda na pista e recuperou a consciência antes de entrar na ambulância. O piloto foi levado ao hospital de Monte Carlo queixando-se de dores na perna direita.[7] Naquele mesmo dia, no treino livre da manhã, o alemão Nico Rosberg bateu no mesmo ponto, entretanto ele escapou de acertar a barreira de proteção, porém os obstáculos colocados no local para evitar o corte da curva acabaram fazendo seu Mercedes decolar momentaneamente. Após esta batida, Charlie Whiting, diretor de provas, pediu a retirada dos obstáculos do local, o que evitou uma consequência pior com Pérez.[9]

Com o reinicio da sessão o alemão Sebastian Vettel conquistou a pole com o tempo de 1m13s556 marcado antes do acidente. O inglês Jenson Button ficou em segundo e o australiano Mark Webber em terceiro.[7] O inglês Lewis Hamilton, que havia se classificado em sétimo, foi punido por cortar a chicane do Porto e caiu para a nona posição.[10]

Poucas horas após o termino do treino foi divulgado o boletim médico de Sergio Pérez, o piloto teve uma concussão e um estiramento na coxa, e não foi liberado para disputar a corrida no dia seguinte.[11]

Resultado final após o treino

Corrida[editar | editar código-fonte]

O pole position, Sebastian Vettel, manteve a primeira colocação na largada, seguido por Jenson Button e Fernando Alonso, que ganhou a terceira posição de Mark Webber na Curva Sainte Devote. O brasileiro Felipe Massa se manteve em sexto lugar, mas foi superado pelo alemão Nico Rosberg, que ultrapassou também seu companheiro Michel Schumacher se espremendo no muro. O heptacampeão demorou a largar e acabou caindo para a décima posição.[12]

Hamilton durante a prova.

Na primeira volta Michel Schumacher fez ultrapassagem sobre o inglês Lewis Hamilton na Curva Loews, a mais lenta da Fórmula 1. Entretanto, o alemão, com menos rendimento, começou a ser pressionado pelo inglês, que ficou retido atrás dele mesmo com um carro melhor. Na frente, Vettel abria vantagem para Button, que mantinha Alonso a uma distância segura, na terceira posição.[12] A disputa entre Schumacher e Hamilton se prolongou até a décima volta, quando o inglês usou a asa móvel na reta dos boxes e superou o alemão na freada para a Curva Sainte Devote. Duas voltas depois o brasileiro Rubens Barrichello também superou o heptacampeão, desta vez na Curva Mirabeau. O alemão caiu para décimo primeiro colocado.[12] Enquanto isso, Rosberg segurava Massa na disputa pelo quinto lugar. O brasileiro tentou a ultrapassagem na Curva Sainte Devote, mas acabou tocando no alemão e danificando sua asa dianteira. Na décima quinta volta, o brasileiro tentou a ultrapassagem na Curva da Tabacaria, antes do S da Piscina e conseguiu sucesso. Junto a ele, Maldonado foi para a sexta colocação.[12]

Os pilotos começaram a fazer seus primeiros pit stops. Button parou na 16ª volta e não teve problemas. Na volta seguinte pararam Vettel e Alonso. A RBR atrasou o alemão nos boxes e ele perdesse a liderança para o inglês Jenson Button, da McLaren.[13] Massa foi um dos últimos ponteiros a parar, na vigésima sétima volta, entretanto houve falha em sua parada, ele perdeu tempo e acabou voltando entre Webber e Hamilton na pista.[12] Hamilton pressionava Massa, que se mantinha muito perto de Webber. O inglês tentava a ultrapassagem usando a asa móvel na reta dos boxes. A disputa só terminou na 33ª volta quando o inglês tentou a ultrapassagem na Curva Loews, ele posicionou o carro na linha de dentro da curva, porém não havia espaço e ambos se tocaram. Massa se manteve à frente, porém Hamilton tentou novamente no túnel e o brasileiro acabou batendo no muro após passar em cima do lado sujo da pista, parando na entrada da Chicane do Porto.[12]

Vettel venceu a prova.

O acidente provocou a entrada do safety car, prejudicando os pilotos que tinham acabado de parar. Sutil, Maldonado e Kobayashi, que entraram nos boxes já com a bandeira amarela, ganharam algumas posições e entraram na zona de pontuação. O carro de segurança deixou a pista na 38ª volta e a relargada foi autorizada.[12]

Com Vettel em primeiro e Button em segundo. O inglês começou a pressionar o alemão, já que teria de fazer outra parada nos boxes. Vettel defendeu a posição, deixando o rival sem opção, a não ser antecipar sua parada para tentar recuperar a diferença na pista. À quadragésima terceira volta, Hamilton foi punido com um drive through pelos comissários por causa do toque em Massa antes do primeiro safety car.[14] O inglês cumpriu a pena na volta seguinte e voltou apenas na nona posição.[12]

Button fez sua parada na quadragésima oitava volta, quando estava em segundo. O piloto da McLaren voltou em terceiro, mas bem distante de Alonso e Vettel, que já andavam próximos na briga pela primeira posição. Os pneus novos do inglês começaram a render boa velocidade para Button, que tirava a vantagem dos adversários a cada volta, andando cada vez mais rápido.[12]

Vettel, Alonso e Button ficaram juntos na pista na quinquagésima segunda volta, separados por menos de um segundo. O alemão, que fez apenas uma parada, tinha de lidar com desgaste dos pneus contra o espanhol e o inglês. A disputa já durava dezessete passagens, quando eles encontraram uma longa fila de retardatários. Uma confusão nos S da Piscina causou uma nova entrada do safety car na pista, com os carros de Jaime Alguersuari e Vitaly Petrov no guard rail. Além deles, Sutil e Hamilton estavam envolvidos na confusão. A bandeira vermelha foi mostrada e a corrida interrompida.[12] O russo Vitaly Petrov deixou a pista na ambulância e foi conduzido ao hospital com dores no tornozelo esquerdo.[15] Após a pista ser limpa, a corrida foi reiniciada e, logo em seguida, Pastor Maldonado bateu na Curva Saint Devote. Lewis Hamilton colocou o carro por dentro de forma imprudente e jogou o venezuelano para a barreira de pneus. Não foi necessária a entrada do carro de segurança.[16]

O alemão Sebastian Vettel venceu a prova, Fernando Alonso ficou em segundo e Jenson Button em terceiro.[12]

Pós-corrida[editar | editar código-fonte]

Foi um impacto grande, e eu não conseguia sentir as minhas pernas muito bem depois do acidente. Por isso, pensei que seria melhor permanecer no carro e esperar a equipe médica. Além disso, as minhas pernas ficaram presas no cockpit. Não perdi consciência, mas tive muita dor
Vitaly Petrov

Petrov, que deixou a pista de ambulância, foi submetido a uma série de exames que não acusaram fraturas, lesões ou inchaço no local atingido.[15] O russo recebeu alto no mesmo dia e afirmou que o “impacto foi grande” e que “não conseguia sentir as pernas muito bem depois do acidente”, por isso preferiu permanecer no carro e esperar a equipe médica.[17]

O inglês Lewis Hamilton, que foi punido com um drive through por causa de uma colisão com Felipe Massa, fez comentários polêmicos após a corrida. Ele declarou: “De seis corridas na temporada, fui punido cinco vezes. É uma piada, uma piada ridícula… Talvez seja porque eu sou negro. Isso é o que o Ali G diz. Sei lá”.[18] E, sobre a disputa com Massa, ele acrescentou: “Eu estava muito mais rápido que o Massa. Fui por dentro e ele jogou o carro para cima de mim quando fez a curva… Mas é claro que eu fui o punido, como de costume. Ele já havia me prejudicado no treino classificatório e eu também fui penalizado. Agora, ele foi para cima de mim e também fui prejudicado”; logo em seguida ofendeu ao piloto rival: “É ridículo. Esses pilotos são incrivelmente ridículos. Eu fiz a curva por dentro e, como dá para ver no vídeo, ele girou o volante para impedir a minha ultrapassagem e encostou no meu carro”.[18] Hamilton foi chamado à sala dos comissários para explicar estas declarações. Segundo Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, eles aceitaram as desculpas do inglês.[19] O piloto também foi punido com um acréscimo de 20 segundos no seu tempo final da corrida por ter batido em Pastor Maldonado, entretanto, ele não perdeu posições apesar da punição.[20]

Resultado da corrida

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

Sergio Pérez sofreu forte acidente na classificação.
# Piloto Equipe Q1 Q2 Q3 Voltas
1 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing 1:15.606 1:14.277 1:13.556 18
2 4 Reino Unido Jenson Button McLaren 1:15.397 1:14.545 1:13.997 18
3 2 Austrália Mark Webber Red Bull Racing 1:16.087 1:14.742 1:14.019 24
4 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 1:16.051 1:14.569 1:14.483 22
5 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 1:16.092 1:14.981 1:14.682 29
6 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 1:16.309 1:14.648 1:14.877 25
7 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:15.858 1:14.741 1:15.766 26
8 12 Venezuela Pastor Maldonado Williams 1:15.819 1:15.545 1:16.528 23
9 3 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren 1:15.207 1:14.275 s/ tempo1 15
10 17 México Sergio Perez Sauber 1:15.918 1:15.482 s/ tempo2 23
11 10 Rússia Vitaly Petrov Renault 1:16.378 1:15.815 21
12 11 Brasil Rubens Barrichello Williams 1:16.616 1:15.826 20
13 16 Japão Kamui Kobayashi Sauber 1:16.513 1:15.973 20
14 15 Reino Unido Paul di Resta Force India 1:16.813 1:16.118 22
15 14 Alemanha Adrian Sutil Force India 1:16.600 1:16.121 19
16 9 Alemanha Nick Heidfeld Renault 1:16.681 1:16.214 22
17 18 Suíça Sebastien Buemi Toro Rosso 1:16.358 1:16.300 17
18 20 Finlândia Heikki Kovalainen Team Lotus 1:17.343 10
19 21 Itália Jarno Trulli Team Lotus 1:17.381 9
20 19 Espanha Jaime Alguersuari Toro Rosso 1:17.820 9
21 24 Alemanha Timo Glock Virgin 1:17.914 12
22 25 Bélgica Jerome d'Ambrosio Virgin 1:18.736 11
23 22 Índia Narain Karthikeyan Hispania s/ tempo3 0
24 23 Itália Vitantonio Liuzzi Hispania s/ tempo4 0
Tempo dos 107%: 1:20.471
  • Fonte: Fórmula 1 - Site Oficial.[21]
  • ↑1 Lewis Hamilton foi punido por cortar a chicane[10]
  • ↑2 Sergio Pérez sofreu grave acidente durante o classificatório e não marcou tempo[7]
  • ↑3 Narain Karthikeyan não disputou o treino por conta de problemas na suspensão de seu carro[8]
  • ↑4 Vitantonio Liuzzi não disputou o treino pois sofreu acidente no treino livre e causou sérias avarias em seu carro[8]

Corrida[editar | editar código-fonte]

# Piloto Equipe Voltas Tempo Grid Pontos
1 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing 78 2:09:38.373 1 25
2 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 78 +1.1s 4 18
3 4 Reino Unido Jenson Button McLaren 78 +2.3s 2 15
4 2 Austrália Mark Webber Red Bull Racing 78 +23.1s 3 12
5 16 Japão Kamui Kobayashi Sauber 78 +26.9s 12 10
6 3 Reino Unido Lewis Hamilton Mclaren 78 +27.2 s 9 8
7 14 Alemanha Adrian Sutil Force India 77 + 1 volta 14 6
8 9 Alemanha Nick Heidfeld Renault 77 + 1 volta 15 4
9 11 Brasil Rubens Barrichello Williams 77 + 1 volta 11 2
10 18 Suíça Sebastien Buemi Toro Rosso 77 + 1 volta 16 1
11 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 76 +2 voltas 7
12 15 Reino Unido Paul di Resta Force India 76 +2 voltas 13
13 21 Itália Jarno Trulli Team Lotus 76 +2 voltas 18
14 20 Finlândia Heikki Kovalainen Team Lotus 76 +2 voltas 18
15 25 Bélgica Jerome d'Ambrosio Virgin 75 +3 voltas 21
16 23 Itália Vitantonio Liuzzi Hispania 75 +3 voltas 23
17 22 Índia Narain Karthikeyan Hispania 74 +4 voltas 22
18 12 Venezuela Pastor Maldonado Williams 73 +5 voltas 8
Ret 10 Rússia Vitaly Petrov Renault 67 Acidente 10
Ret 19 Espanha Jaime Alguersuari Toro Rosso 66 Acidente 19
Ret 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 32 Acidente 6
Ret 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 32 Motor 5
Ret 24 Alemanha Timo Glock Virgin 30 Acidente 20
NL 17 México Sergio Perez Sauber 10
  • Fonte: Fórmula 1 - Site Oficial.[22]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.

Notas e referências

  1. FIA revela calendário provisório da F1 em 2011 Autosport (2010-09-08).
  2. a b c Carlos Eduardo Garcia (23 de maio de 2011). FIA considera proibir asa móvel em Mônaco (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 28 de maio de 2011.
  3. a b c Pilotos apoiam decisão de banir uso da asa móvel no túnel em Mônaco (html) (em português) globoesporte.com (26 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  4. FIA considera proibir asa móvel no túnel de Mônaco (asp) (em português) O Globo. Página visitada em 29 de maio de 2011.
  5. LANCEPRESS (10 de maio de 2011). Rubinho diz que uso de asa móvel é errado para o GP de Mônaco (HTML) (em português) clicrbs.com.br. Página visitada em 28 de maio de 2011.
  6. a b Alan Baldwin (19 de maio de 2011). Schumacher e Barrichello discordam sobre segurança em Mônaco (HTM) (em português) Estadão. Página visitada em 29 de maio de 2011.
  7. a b c d e f Pérez bate forte no fim, e Vettel faz a quinta pole do ano no GP de Mônaco (HTML) (em português) globoesporte.com (28 de maio de 2011). Página visitada em 28 de maio de 2011.
  8. a b c d Em treino marcado por batida de Pérez, Vettel garante a pole (em português) Primeira Edição (28 de maio de 2011). Página visitada em 28 de maio de 2011.
  9. Alonso é o melhor em treino marcado por acidentes de Rosberg e Liuzzi (HTML) (em português) globoesporte.com (28 de maio de 2011). Página visitada em 28 de maio de 2011.
  10. a b Livio Oricchio (28 de maio de 2011). Lewis Hamilton é punido por cortar curva, e larga em nono no GP de Mônaco (HTML) (em português) Estadão. Página visitada em 28 de maio de 2011.
  11. Pérez bate no fim do treino, passará a noite em observação e não corre o GP (HTML) (em português) globoesporte.com (28 de maio de 2011). Página visitada em 28 de maio de 2011.
  12. a b c d e f g h i j k Vettel escapa de incidentes, domina e vence emocionante GP de Mônaco (HTML) (em português) globoesporte.com (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  13. Vettel supera erro e vence em Mônaco prova com bandeira vermelha (shtml) (em português) SuperEsportes.com.br (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  14. Por batida em Maldonado, Hamilton é punido, mas mantém 6º em Mônaco (HTML) (em português) iG - Grande Prêmio (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  15. a b Agência Estado (29 de maio de 2011). Sem lesão, Petrov passa bem após acidente no GP de Mônaco (HTML) (em português) Estadão. Página visitada em 29 de maio de 2011.
  16. Williams sai do zero com Barrichello em nono, Maldonado abandonou no final após boa prova (shtml) (em português) Abril — Quatro Rodas (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  17. Petrov relata dores e diz que não sentia pernas depois do acidente (HTML) (em português) iG - Grande Prêmio (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  18. a b Hamilton critica Massa, reclama de punições e insinua ser alvo de racismo (HTML) (em português) Terra (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  19. Lewis Hamilton pede desculpas aos comissários após comentário infeliz (HTML) (em português) globoesporte.com (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  20. Hamilton é punido novamente, mas não perde posições no GP de Mônaco (HTML) (em português) globoesporte.com (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.
  21. Grande Prêmio de Mônaco de 2011 - Resultados do treino classificatório (em inglês) Formula 1 - The Official F1 Website (28 de maio de 2011). Página visitada em 28 de maio de 2010.
  22. Crande Prêmio de Mônaco de 2011 - Resultados da corrida (em inglês) Formula 1 - The Official F1 Website (29 de maio de 2011). Página visitada em 29 de maio de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Prova Anterior:
Grande Prêmio da Espanha de 2011
Campeonato do Mundo da FIA
Fórmula 1, Temporada 2011
Próxima Prova:
Grande Prêmio do Canadá de 2011

Prova Anterior:
Grande Prêmio de Mônaco de 2010
Grande Prêmio de Mônaco Próxima Prova:
Grande Prêmio de Mônaco de 2012