Grande Prêmio do Brasil de 2003 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio do Brasil
de Fórmula 1 de 2003
Autódromo José Carlos Pace (AKA Interlagos) track map.svg
Grande Prêmio do Brasil de 2003 (Fórmula 1).
Detalhes da corrida
Data 6 de abril de 2003
Nome oficial XXXII Grande Prêmio do Brasil de 2003
Local Autódromo José Carlos Pace, São Paulo, Brasil
Percurso 4.309 km
Total 71 voltas / 305.909 km
Pole
Piloto
Brasil Rubens Barrichello Ferrari
Tempo 1:13.807
Volta mais rápida
Piloto
Brasil Rubens Barrichello Ferrari
Tempo 1:22.032 (na volta 46)
Pódio
Primeiro
Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford
Segundo
Finlândia Kimi Räikkönen McLaren-Mercedes
Terceiro
Espanha Fernando Alonso Renault

Corrida[editar | editar código-fonte]

A chuva começou no início do dia e a largada teve que ser feita com o Safety Car na pista e, depois de 7 voltas, a corrida é normalizada. David Coulthard assumiu a primeira posição logo na primeira curva, Nick Heidfeld abandonou com problemas de motor, e na volta 16 Justin Wilson abandonou com os mesmos problemas de Heidfeld.

Na volta 18, a suspensão de Ralph Firman se quebra e ele atinge Olivier Panis causando nova entrada do Safety Car. Na 25, Antônio Pizzonia bate na Curva do Sol juntamente com Juan Pablo Montoya, e duas voltas depois Michael Schumacher bate no mesmo lugar.

Na volta 33 Jenson Button também bate na Curva do Sol. 12 voltas depois, Rubens Barrichello ultrapassa Coulthard e assume a liderança para delírio do público presente, porém ele abandona com uma pane seca na volta 47.

Na volta 54, Mark Webber bate muito forte na Curva do Café, causando a entrada do Safety Car, mas Fernando Alonso bate no mesmo ponto ao atingir um dos pneus do carro do australiano. Depois do acidente foi agitada a bandeira Vermelha, e a prova foi encerrada. O vencedor do momento, ao contrário do que todos imaginaram, foi Kimi Raikkonen, que ocupava a liderança na volta 53. Giancarlo Fisichella o havia ultrapassado na volta 54, mas pelo regulamento o resultado final teria de ser o de duas voltas anteriores à que foi sinalizada a bandeira vermelha. Os fiscais declararam que a bandeira foi sinalizada na volta 55, portanto tornando oficiais os resultados de acordo com o fechamento da volta 53. Porém, alguns dias após a corrida, evidências em vídeo foram obtidas mostrando que Fisichella havia, de fato, aberto a volta 56 antes do sinal de interrupção da corrida, fazendo com que o resultado real da prova fosse o do fechamento da volta 54, com o piloto da Jordan na liderança. Após as evidências serem encaminhadas à FIA, Fisichella foi oficialmente reconhecido como vencedor no dia 11 de abril. Depois de duas semanas, no GP de San Marino, em uma cerimônia não-oficial, Raikkonen entregou o troféu de 1° colocado para o piloto da equipe irlandesa.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Treino Oficial - Grid de Largada[editar | editar código-fonte]

Pos No Piloto Construtor Tempo Ordem
de
Entrada
1 2 Brasil Rubens Barrichello Ferrari 1:13.807 19º
2 5 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes 1:13.818 17º
3 14 Austrália Mark Webber Jaguar-Cosworth 1:13.851 20º
4 6 Finlândia Kimi Raikkonen McLaren-Mercedes 1:13.866 18º
5 7 Itália Jarno Trulli Renault 1:13.953
6 4 Alemanha Ralf Schumacher Williams-BMW 1:14.124
7 1 Alemanha Michael Schumacher Ferrari 1:14.130 16º
8 11 Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford 1:14.191
9 3 Colômbia Juan Pablo Montoya Williams-BMW 1:14.223
10 8 Espanha Fernando Alonso Renault 1:14.384 12º
11 17 Reino Unido Jenson Button BAR-Honda 1:14.504
12 9 Alemanha Nick Heidfeld Sauber-Petronas 1:14.631
13 16 Canadá Jacques Villeneuve Sauber-Petronas 1:14.668 14º
14 10 Alemanha Heinz-Harald Frentzen Jordan-Ford 1:14.839 11º
15 20 França Olivier Panis Toyota 1:14.839 15º
16 12 República da Irlanda Ralph Firman Jordan-Ford 1:15.240
17 15 Brasil Antonio Pizzonia Jaguar-Cosworth 1:15.317 13º
18 21 Brasil Cristiano da Matta Toyota 1:15.641 10º
19 19 Países Baixos Jos Verstappen Minardi-Cosworth 1:16.542
20 18 Reino Unido Justin Wilson Minardi-Cosworth 1:16.586

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos No Driver Constructor Laps Time/Retired Grid Points
1 11 Itália Giancarlo Fisichella Jordan-Ford 54 1:31:18.2 8 10
2 6 Finlândia Kimi Räikkönen McLaren-Mercedes 54 + 0.945 4 8
3 8 Espanha Fernando Alonso Renault 54 + 6.348/Acidente 10 6
4 5 Reino Unido David Coulthard McLaren-Mercedes 54 + 8.096 2 5
5 10 Alemanha Heinz-Harald Frentzen Sauber-Petronas 54 + 8.642 14 4
6 16 Canadá Jacques Villeneuve BAR-Honda 54 + 16.054 13 3
7 4 Alemanha Ralf Schumacher Williams-BMW 54 + 38.526 6 2
8 7 Itália Jarno Trulli Renault 54 + 45.927 5 1
9 14 Austrália Mark Webber Jaguar-Cosworth 53 + 1 Volta/Acidente 3  
10 21 Brasil Cristiano da Matta Toyota 53 + 1 Volta 18  
Ret 2 Brasil Rubens Barrichello Ferrari 47 Alimentação 1  
Ret 17 Reino Unido Jenson Button BAR-Honda 33 Acidente 11  
Ret 19 Países Baixos Jos Verstappen Minardi-Cosworth 31 Rodada 19  
Ret 1 Alemanha Michael Schumacher Ferrari 27 Acidente 7  
Ret 3 Colômbia Juan Pablo Montoya Williams-BMW 25 Acidente 9  
Ret 15 Brasil Antônio Pizzonia Jaguar-Cosworth 25 Acidente 17  
Ret 20 França Olivier Panis Toyota 18 Colisão 15  
Ret 12 República da Irlanda Ralph Firman Jordan-Ford 18 Suspensão 16  
Ret 18 Reino Unido Justin Wilson Minardi-Cosworth 16 Rodada 20  
Ret 9 Alemanha Nick Heidfeld Sauber-Petronas 8 Motor 12  

Notas[editar | editar código-fonte]

  • 5ª pole de Rubens Barrichello pela Ferrari e a primeira no Brasil.
  • Primeira vitória de Giancarlo Fisichella. O italiano venceu de fato a corrida, mas um erro na cronometragem declarou Kimi Räikkönen como vencedor da mesma. Mas Fisico já havia aberto a volta 54, quando tinha ultrapassado o "Homem de Gelo". Após evidências serem encaminhadas à FIA, Fisichella foi oficialmente reconhecido como vencedor cinco dias após a etapa brasileira. Na semana do GP de San Marino, em uma cerimônia não-oficial, Raikkonen entregou o troféu de vencedor para Fisichella.
  • Última vitória da equipe Jordan na categoria.
  • Foi também a última vitória de um carro com motor Ford Cosworth na F-1.
  • Única corrida que Michael Schumacher não completou na temporada.
  • Michael Schumacher e Rubens Barrichello não terminaram a prova. A última vez que os carros da equipe Ferrari não terminou uma prova foi no GP da Bélgica de 1998.
  • Mark Webber, mesmo tendo batido na Curva do Café, foi classificado em nono lugar. O piloto sofreu o acidente logo antes de completar sua 54ª volta, terminando oficialmente, portanto, com 53 completas, uma volta atrás das 54 oficiais, mas sendo suficiente para ainda terminar a frente de Cristiano da Matta, que já estava uma volta atrasado.
  • Fernando Alonso, apesar de ter batido no mesmo lugar onde Webber destruiu o carro, terminou em terceiro, por valerem os resultados de acordo com a volta 54. O piloto, porém, foi incapaz de subir ao pódio, pois a violência da batida o deixou sob cuidados médicos. Com isso, o pódio, inusitadamente, teve a presença de apenas 2 pilotos.

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.


Prova Anterior:
Grande Prémio da Malásia de 2003
Campeonato do Mundo da FIA
Fórmula 1, Temporada 2003
Próxima Prova:
Grande Prémio de San Marino de 2003

Prova Anterior:
Grande Prémio do Brasil de 2002
Grande Prémio do Brasil Próxima Prova:
Grande Prémio do Brasil de 2004