Grande Prêmio do Leste dos Estados Unidos de 1984 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Grande Prêmio do Leste dos Estados Unidos de 1984 foi uma corrida de Fórmula 1 realizada em Detroit, Michigan, em 24 de junho de 1984. Foi a oitava etapa da temporada de 1984. Cinco pilotos concluíram a prova, dezenove abandonaram e houve duas desclassificações.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Atual campeão do mundo, o brasileiro Nelson Piquet escapou ileso de um acidente na primeira volta (o que obrigou o reinício da prova) e conquistou sua segunda vitória consecutiva na temporada, algo inédito desde as provas que antecederam sua conquista na África do Sul ano passado. Largando na pole, Nelson Piquet venceu a corrida de ponta a ponta suportando, inclusive, as investidas do inglês Martin Brundle em um competitivo modelo Tyrrell com motor aspirado. Mesmo sob pressão, o piloto da Brabham soube levar seu bólido à vitória, mesmo que por uma estreita margem. Pena que o carro de Brundle foi desclassificado após a descoberta de lastros ilegais no sistema de abastecimento d’água.

Como convém a um circuito de rua, a maior preocupação dos pilotos durante os treinos oficiais era evitar o muro que circunda a pista, meta cumprida pela maioria dos corredores, inclusive pelo francês Patrick Tambay, de volta às pistas após o acidente sofrido em Mônaco. Desse modo o americano Mario Andretti não chegou a assumir o volante da Renault em lugar do francês, como chegaram a especular. O campeão mundial de 1978 pôde acompanhar o desempenho dos filhos nas corridas de apoio e dedicar-se à disputa do título da Fórmula Indy de 1984.

Inicialmente Nigel Mansell estabeleceu o melhor tempo do fim de semana (1:42.172), mas logo Nelson Piquet o superou com uma marca ainda mais robusto (1:40.980) e quase sete décimos acima de Alain Prost, com quem dividiria a fila principal. Em sétimo sairia o brasileiro Ayrton Senna que colocou sua Toleman à frente da Alfa Romeo do experiente Eddie Cheever.

Na noite de sábado uma chuva limpou toda a pista, mas no momento da prova o tempo estava quente e ensolarado. Sob luz verde, porém, sobreveio o caos: Mansell inseriu-se entre Piquet e Prost e colidiu com a traseira da McLaren lançando-se em direção a Piquet que achegou-se involuntariamente à Ferrari de Alboreto sendo que a roda direita traseira da Brabham desprendeu-se e quebrou a suspensão de Ayrton Senna enquanto a Arrows de Marc Surer também foi atingido. Aos organizadores restou cancelar a largada e determinar o reinício da prova. Dentre os alvejados pela balbúrdia da primeira largada apenas Surer não relargou por não contar com um carro reserva.

Sob nova largada Piquet superou Prost e Mansell que traziam atrás de si Alboreto, Cheever (que subiu três posições), Derek Warwick, Elio de Angelis, Lauda, Tambay e Senna. O “aperto” de Prost sobre o líder durou até que seus pneus traseiros perderam aderência e permitiram o ataque de Mansell na décima volta quando o inglês posicionou-se cinco segundos atrás de Piquet e lutava para diminuir a diferença, contudo o aprumo da Brabham impedia o ataque derradeiro. Na volta 17 o Lotus perdeu a segunda marcha e deu um “refresco” ao líder. Quando dos pit stops, enquanto Renault e McLaren trocavam os pneus de seus bólidos, a superfície abrasiva de Detroit afetava em menor grau a condução de Piquet. Na volta 22 Senna colidiu com uma barreira de pneus ao tentar fugir do assédio de Keke Rosberg enquanto Cheever e Mansell sucumbiam aos problemas mecânicos. Após duas horas de prova Nelson Piquet venceu seguido de Martin Brundle e Elio de Angelis no pódio, com Teo Fabi, Alain Prost e Jacques Laffite vindo a seguir. Com a posterior desclassificação de Brundle os pilotos que pontuaram subiram uma posição, mas o sexto lugar não foi preenchido.

O bom resultado da Tyrrell antes da “passagem da lâmina” em seus resultados deveu-se ao desempenho de seu motor aspirado em um circuito “apertado” onde seu menor peso, potência e consumo fizeram sombra aos poderosos motores turbo, além de um menor disgaste dos pneus Goodyear, mesmo tendo usado compostos macios. Assim Brundle foi o segundo após aproveitar uma falha na embreagem de Elio de Angelis enquanto Bellof atingiu o muro e saiu da prova. Após a cerimônia do pódio fiscais da FISA encontraram impurezas no sistema de injeção de água na Tyrrell de Brundle e um lastro ilegal no reservatório d’água. Após uma análise constatar as irregularidades descritas, Ken Tyrrell foi chamado para uma reunião do Comitê do Executivo da FISA em 18 de julho e, dentre outras medidas, a equipe foi banida do restante do campeonato e perdeu os 13 pontos já conquistados.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Construtor Voltas Tempo/Dif. Grid Pontos
1 1 Brasil Nelson Piquet Brabham-BMW 63 1:55:41.842 1 9
2 11 Itália Elio de Angelis Lotus-Renault 63 + 32.638 5 6
3 2 Itália Teo Fabi Brabham-BMW 63 + 1:26.528 23 4
4 7 França Alain Prost McLaren TAG-Porsche 63 + 1:55.258 2 3
5 5 França Jacques Laffite Williams-Honda 62 + 1 Volta 19 2
DSQ 3 Reino Unido Martin Brundle Tyrrell-Ford 63 Infrações técnicas 11  
Ret 27 Itália Michele Alboreto Ferrari 49 Motor 4  
Ret 6 Finlândia Keke Rosberg Williams-Honda 47 Turbo 21  
Ret 16 Reino Unido Derek Warwick Renault 40 Câmbio 6  
DSQ 4 Alemanha Stefan Bellof Tyrrell-Ford 33 Acidente, depois infrações técnicas 16  
Ret 15 França Patrick Tambay Renault 33 Transmissão 9  
Ret 9 França Philippe Alliot RAM-Hart 33 Freios 20  
Ret 8 Áustria Niki Lauda McLaren TAG-Porsche 33 Elétrico 10  
Ret 12 Reino Unido Nigel Mansell Lotus-Renault 27 Câmbio 3  
Ret 18 Bélgica Thierry Boutsen Arrows-BMW 27 Motor 13  
Ret 26 Itália Andrea de Cesaris Ligier-Renault 24 Aquecimento 12  
Ret 20 Venezuela Johnny Cecotto Toleman-Hart 23 Embreagem 17  
Ret 23 Estados Unidos Eddie Cheever Alfa Romeo 21 Motor 8  
Ret 19 Brasil Ayrton Senna Toleman-Hart 21 Acidente 7  
Ret 22 Itália Riccardo Patrese Alfa Romeo 20 Rodou 25  
Ret 25 França François Hesnault Ligier-Renault 3 Acidente 18  
Ret 24 Itália Piercarlo Ghinzani Osella-Alfa Romeo 3 Acidente 26  
Ret 28 França René Arnoux Ferrari 2 Acidente 15  
Ret 10 Reino Unido Jonathan Palmer RAM-Hart 2 Pneus 24  
Ret 14 Alemanha Manfred Winkelhock ATS-BMW 0 Motor 14  
Ret 17 Suíça Marc Surer Arrows-Ford 0 Acidente 22  
DNQ 21 Países Baixos Huub Rothengatter Spirit-Ford      

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Duas semanas mais tarde, um novo Grande Prêmio dos EUA em Dallas marcaria o fim de nove anos consecutivos dos norte-americanos como sede de mais de uma corrida válida pelo mundial de Fórmula 1.
  • As Tyrrells de Brundle e Bellof foram desclassificadas por violarem o regulamento técnico vigente.
  • Até 2005 esta foi a última corrida de Fórmula 1 nos EUA onde a pontuação completa não foi atribuída devido à falta de competidores.
  • Extensão da pista e número de voltas: 4.023m e 63 voltas.
  • Pole Position: Nelson Piquet (1'40"980).
  • Volta mais rápida: Derek Warwick (1'46"221).
  • Nelson Piquet liderou as 63 voltas da prova.

Tabela[editar | editar código-fonte]

Nota Apenas os cinco melhores resultados são relacionados.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Innes Ireland (October, 1984). "3rd Detroit Grand Prix: Look Out, Alain!". Road & Track, 150-154.
  • Mike S. Lang (1992). Grand Prix!: Race-by-race account of Formula 1 World Championship motor racing. Volume 4: 1981 to 1984. Haynes Publishing Group. ISBN 0-85429-733-2


Precedido por
Grande Prêmio do Canadá de 1984
Mundial de Fórmula 1 da FIA
Temporada de 1984
Sucedido por
Grande Prêmio dos EUA (Dallas) de 1984
Precedido por
Grande Prêmio dos EUA (Detroit) de 1983
Grande Prêmio dos EUA (Detroit)
III edição
Sucedido por
Grande Prêmio dos EUA de 1985