Greco-macedônios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
"Sol de Vergina", símbolo dos heleno-macedônios

Os greco-macedônios (português brasileiro) ou greco-macedónios (português europeu), também conhecidos como heleno-macedônios ou simplesmente macedônios é como são conhecidos os gregos cuja origem remonta à Macedónia, particularmente à Macedónia grega. A literatura histórica grega frequentemente refere-se a eles como μακεδόνες (antigos macedônios). Outros termos similares incluem "gregos pontianos" (da antiga província romana de Ponto) e "epirotas" (gregos do Épiro).

Durante a ocupação do Império Otomano na Macedónia, os macedónios gregos constituíam, no Século XIX e início do século XX a maioria da população cristã nos vilayets (distritos otomanos) de Tessalônica e de Monastir (atual Bitola).

Muitos macedónios gregos emigraram para a Austrália, a maioria deles de Florina, de Castória e de Kozani, entre os anos de 1924 e 1974. A comunidade macedónios gregos em Melbourne esteve em conflito com a comunidade de eslavo-macedônios sobre o uso de símbolos culturais, tais como o sol de Vergina, que é reivindicado por ambos os grupos. Tais incidentes aumentaram durante os anos de 1991 a 1995, em que a disputa sobre o nome entre Grécia e a República da Macedônia tinha apenas começado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]