Gregor Reisch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Livro de Reisch no Museu de Ciência de Wroughton.

Gregor Reisch (n. Balingen, Württemberg, cerca de 1467; m. Freiburg, Baden, 9 de maio de 1525) foi um escritor humanista alemão cartuxo . Ele é mais conhecido por sua compilação Margarita philosophica.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1487 inicou os estudos na Universidade de Freiburg, estado de Baden e recebeu o grau de "magister" em 1489. Entrou então na Ordem dos Cartuxos. Durante os anos 1500-1502 foi prior em Klein-Basileia; de 1503 até pouco antes da sua morte foiprior na Charterhouse Freiburg.

Também foi o visitante na província de Renânia da sua ordem. Enquanto visitante fez um trabalho intenso para combater o luteranismo.

Foi amigo dos humanistas mais célebres da época, como Erasmus, Jakob Wimpfeling (1450-1528), Beatus Rhenanus (1485-1547), Udalricus Zasius (1461-1536), e o célebre pregador Johann Geiler von Kaysersberg. Johann Eck (1494-1554) foi seu discípulo. Reisch tinha uma reputação de adaptabilidade e foi considerado como um "oráculo". Foi um dos mais notáveis intelectuais do início da nova era que procuraram preparar trabalhos enciclopédicos do conhecimento.

Obra[editar | editar código-fonte]

Anatomia em Margarita Philosphica - 1565

O seu principal trabalho é a Margarita philosophica, que apareceu pela primeira vez em Freiburg em 1503. É uma enciclopédia do conhecimento com doze livros destinada a servir de livro de texto para jovens estudantes e discursa sobre gramática latina, dialética, retórica, aritmética, música, geometria, astronomia, física, história natural, fisiologia, psicologia e ética. A utilidade do trabalho foi aumentada por numerosas xilogravuras e um índice completo.

A forma é catequética: o aprendiz questiona e o professor responde. O livro foi muito popular por sua brevidade relativa e sua forma. Foi durante muito tempo um livro habitual nas escolas superiores. Alexander von Humboldt disse dele que tinha "durante meio século auxiliado de forma notável a disseminação do conhecimento".

Em 1510 Reisch também publicou os estatutos e privilégios da Ordem dos Cartuxos, e auxiliado Erasmus de Roterdão na sua edição de Jerónimo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gregorius Reisch, Margarita philosophica nova Reimpressão anastática com introdução (em italiano) de Lucia Andreini, Salzburgo: Institut für Anglistik und Amerikanistik, Universität Salzburgo, 2002 (3 vols.).
  • Natural Philosophy Epitomised: Books 8-11 of Gregor Reisch's Philosophical pearl (1503) Traduzido e editado por Andrew Cunningham, Sachiko Kusukawa, Aldersht: Ashgate, 2010.
  • Petreius, Bibliotheca Carthusiana (Colónia, 1609), 109-112
  • Hugo von Hurter, Nomenclator, II (3a ed. Innsbruck, 1906), 1278–79
  • Hartfelder, Gregor Reisch, in Zeitschrift fur die Geschichte des Oberrheins, nova série, v (Freiburg, 1890), 170-200.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O título da edição de 1504 foi Aepitoma omnis phylosophiae, alias, Margarita phylosophica: tractans de omni genere scibili; o epítomethe de toda a filosofia, aliàs, a pérola filosófica, tratando sobre todo o tipo de conhecimento.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal.svg Portal biografias