Grupo Petrópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cervejaria Petrópolis
Slogan "Você é nosso maior compromisso"
Tipo Sociedade anónima
Indústria Indústria de bebidas
Fundação 1994
Sede Petrópolis
Locais Boituva,[1] Rondonópolis,[2] e Teresópolis[3]
Proprietário(s) Walter Faria
Pessoas-chave Walter Faria
Paulo Henrique Vilela Pedras
Produtos Cerveja, Bebida energética
Divisões Itaipava
Crystal
Lokal
Petra
TNT Energy Drink
Faturamento Aumento R$ 2,3 bilhões (2009)[4]
Página oficial cervejariapetropolis.com.br

O Grupo Petrópolis, antes conhecida como Cervejaria Petrópolis é uma empresa brasileira fabricante de bebidas.

Em setembro de 2011, as cervejas produzidas pela empresa assumiram o segundo lugar no ranking brasileiro[5] .

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1994 na cidade de Petrópolis, comercializava a marca Itaipava. Foi comprada em 1998 pelo empresário Walter Faria. A seguir adquire também a cervejaria Crystal. Primeira a comercializar seus produtos em lata com selo de proteção, ocupa atualmente o segundo lugar em vendas no país.[6] Hoje em dia tem seu principal polo na cidade de Boituva-SP, aonde também reside o empresário Walter.

Parceria alemã[editar | editar código-fonte]

Em 2010 a empresa firmou uma parceria com a cervejaria alemã Weltenburguer e começou a fabricar no Brasil, uma das receitas de cerveja mais antigas do mundo, criada em 1050.[4] e em 2012 foi anunciada a construção de nova fábrica no Nordeste, com capacidade de 600 milhões de litros/ano[7] .

Patrocínio esportivo[editar | editar código-fonte]

A empresa tem investido fortemente em patrocínio a eventos automobilisticos realizados no Brasil. Em 26 de agosto assinou contrato para patrocinar a equipe Brawn GP durante o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 de 2009 através da marca Itaipava.[8] [9] Em outubro expandiu o patrocínio a equipe, incluindo o lançamento de sua bebida energética TNT Energy Drink.[10] [11]

De 2012 a 2014, a Scuderia Ferrari terá o patrocínio da TNT Energy Drink.[12]

Acusações de envolvimento em Práticas Ilícitas[editar | editar código-fonte]

Em 2012, o Grupo Petrópolis é alvo de uma operação contra sonegação de impostos, a empresa é suspeita de ter deixado de recolher mais de 600 milhões de reais em impostos estaduais entre 2006 e 2011, segundo a Secretaria da Fazenda de São Paulo.

De acordo com as investigações, a principal empresa paulista da Petrópolis estaria sonegando o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) por meio de operações simuladas de transferências de bebidas entre o estabelecimento paulista e uma de suas filiais, localizada em Duque de Caxias, região metropolitana do Rio de Janeiro.

A empresa já passou por uma situação semelhante, em junho de 2005, quando dirigentes da cervejaria e distribuidoras de bebidas foram alvo da Operação Cevada. Na época, a Receita Federal investigava a sonegação de cerca de 1 bilhão de reais em impostos federais e estaduais.[13]

Em 2008, o empresário Marcos Valério e seu sócio Rogério Tolentino foram presos na Operação Avalanche, sob acusação de comandar um grupo para tentar livrar a Cervejaria Petrópolis de uma fiscalização feita por fiscais da Receita estadual, que a autuou em mais de R$ 104 milhões por sonegação de impostos. A tática utilizada pelo grupo, segundo a Polícia Federal, era a de tentar desmoralizar os fiscais responsáveis pela autuação, o que levou os criminosos a abrir um inquérito policial contra os dois fiscais na cidade de Santos (SP), utilizando-se, para isso, de fatos inverídicos.[14]

Marcas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.