Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Os Verdes-Aliança Livre Europeia têm eurodeputados em 17 estados, incluindo 12 com mais que um (a verde escuro) e cinco com apenas um representante (a verde claro).

Grupo dos Verdes / Aliança Livre Europeia é um grupo político no Parlamento Europeu, composto por deputados de duas famílias de partidos com ideologias distintas: Partido Verde Europeu e Aliança Livre Europeia, juntamente com alguns independentes.

O Partido Verde Europeu agrupa partidos ambientalistas; a Aliança Livre Europeia é uma aliança de partidos representando movimentos regionalistas e nações sem estado, por norma de orientação progressista.[1] . Também integram o grupo partidos não afiliados a nenhuma dessas organizações pan-europeias, como o Partido Pirata da Suécia e a Europa Transparente dos Países Baixos (entre 2004 e 2009).

Membros[editar | editar código-fonte]

estado Partido nacional Partido europeu Eurodeputados 2004-2009 Eurodeputados 2009-2014 (a 22 Dezembro de 2013)
Alemanha Alemanha Aliança 90/Os Verdes Partido Verde Europeu
13 / 99
14 / 99
Áustria Austria Os Verdes - Alternativa Verde Partido Verde Europeu
2 / 17
2 / 19
Bélgica Bélgica Ecolo Partido Verde Europeu
1 / 24
1 / 9
2 / 22
2 / 8
Groen Partido Verde Europeu
1 / 24
1 / 14
1 / 22
1 / 13
Nova Aliança Flamenga Aliança Livre Europeia no grupo do PPE-DE
1 / 22
1 / 13
Dinamarca Dinamarca Socialistisk Folkeparti Partido Verde Europeu,[A 1] Esquerda Nórdica Verde
1 / 14
1 / 13
Espanha Espanha EQUO Partido Verde Europeu
1 / 54
0
Iniciativa pela Catalunha - Verdes Partido Verde Europeu
1 / 54
1 / 50
Eusko Alkartasuna Aliança Livre Europeia
1 / 54
0
Aralar Aliança Livre Europeia 0
1 / 50
[B 1]
Estónia Estonia Independente (Indrek Tarand) independente[2]
1 / 6
Finlândia Finlandia Aliança dos Verdes Partido Verde Europeu
1 / 14
2 / 13
França França Europa Ecologia - Os Verdes Partido Verde Europeu
6 / 78
15 / 72
[B 2]
Partitu di a Nazione Corsa Aliança Livre Europeia 0
1 / 72
Grécia Grécia Oikologoi Prasinoi Partido Verde Europeu 0
1 / 22
Itália Itália Federazione dei Verdi Partido Verde Europeu
2 / 78
0
Letónia Letónia Par cilvēka tiesībām vienotā Latvijā Aliança Livre Europeia
1 / 9
1 / 8
Luxemburgo Luxemburgo Déi Gréng Partido Verde Europeu
1 / 6
1 / 6
Países Baixos Países Baixos EsquerdaVerde Partido Verde Europeu
2 / 27
3 / 25
Europa Transparente (nenhum)
2 / 27
Portugal Portugal Independente (Rui Tavares) independente[3]
1 / 22
Reino Unido Reino Unido Partido Verde da Inglaterra e de Gales Partido Verde Europeu
2 / 78
2 / 72
2 / 69
Partido Nacional Escocês Aliança Livre Europeia
2 / 78
2 / 72
2 / 69
Plaid Cymru Aliança Livre Europeia
1 / 78
1 / 72
1 / 69
Roménia Roménia Independente (László Tőkés) Aliança Livre Europeia
1 / 35
no grupo do PPE
Suécia Suécia Partido Ambiental - Os Verdes Partido Verde Europeu
1 / 19
2 / 18
Partido Pirata Partido Pirata Europeu
2 / 18
[B 2]
Fontes [4]
  1. Observador
  1. desde 11/07/2013
  2. a b incluindo 1 observador

História[editar | editar código-fonte]

A criação do Grupo Arco-Irís em 1984[editar | editar código-fonte]

A existência de um grupo parlamentar europeu agrupando ecologistas e regionalistas remonta a 1984, com a criação do Grupo Arco-Irís (de seu nome completo Grupo Arco-Irís: Federação da Aliança Verde Alternativa Europeia, do Agalev-Ecolo, do Movimento Popular Dinamarquês contra a Comunidade Europeia, e da Aliança Livre Europeia no Parlamento Europeu).

Após as eleições desse ano, o grupo foi criado englobando os 7 deputados dos Verdes alemães[5] , 1 do Ecolo valão, 1 do Agalev flamengo, 2 da União Popular flamenga (a atual Nova Aliança Flamenga)[6] , 4 do Movimento Popular contra a CEE dinamarquês[7] , 1 da Democracia Proletária italiana, 1 do Federalismo - Europa dos Povos italiano (uma aliança de partidos regionais, tendo o lugar sido ocupado pelo Partido Sardo da Ação), 1 do Partido de Unidade Proletária italiano (eleito nas listas do PCI)[8] e 2 do Acordo Progressista Verde holandês[9] (aliança entre o Partido Político dos Radicais, o Partido Socialista Pacifista, o Partido Comunista dos Países Baixos e o Partido Verde dos Países Baixos).

Vários desses agrupamentos, por distintas razões, praticaram a rotação dos mandatos: um dos lugares do Acordo Progressista Verde foi partilhado entre o Partido Político dos Radicais e o Partido Comunista dos Países Baixos; também os deputados alemães exerceram apenas meio mandato, passando o lugar aos seguintes da lista.

A divisão do grupo em 1989[editar | editar código-fonte]

Após as eleições de 1989, o Grupo Arco-Irís dividiu-se em dois: os partidos regionalistas continuaram no Grupo Arco-Irís, agora agrupando a União Popular flamenga[6] ; a União do Povo Corso; a Liga Lombarda e o Partido Sardo da Ação italianos[8]  ; o Movimento Popular contra a CEE dinamarquês[7] ; o Eusko Alkartasuna (eleito na coligação Pela Europa dos Povos) e o Partido Andaluz espanhóis[10] ; o Partido Nacional Escocês[11] ; e o Fianna Fail Independente irlandês[12] .

Na sequência das eleições de 1994, os regionalistas deixarem de ter deputados suficientes para manter um grupo próprio, tendo-se associado à ala esquerda dos Radicais franceses e à Lista Pannella (organizada a partir do Partido Radical italiano) para criar a Aliança Radical Europeia.

Já os ecologistas criaram o Grupo Verde, inicialmente agrupando os Verdes alemães[5] , franceses, belgas[6] , italianos[8] , holandeses[9] e portugueses[13] , e também a Democracia Proletária e a Lista Antiproibição da Droga italianas[8] e a Euskadiko Ezkerra espanhola[10] (eleita na coligação Esquerda dos Povos).

Os Verdes/Aliança Livre Europeia[editar | editar código-fonte]

Em 1999, o grupo da Aliança Radical Europeia deixou de existir e os partidos da ALE representados no Parlamento Europeu reuniram-se ao Grupo Verde, dando origem ao atual grupo Os Verdes - Aliança Livre Europeia.

Referências

  1. Gupta, Devashree. (2008). "Nationalism Across Borders: Transnational Nationalist Advocacy in the European Union" (em Inglês). Comparative European Politics 6 (6). DOI:10.1057/palgrave.cep.6110127.
  2. Indrek Tarand on europarl.europa.eu
  3. Rui Tavares on europarl.europa.eu
  4. List of elected MEPs on greens-efa.eu
  5. a b Boissieu, Laurent de. Élections européennes Allemagne (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  6. a b c Boissieu, Laurent de. Élections européennes Belgique (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  7. a b Boissieu, Laurent de. Élections européennes Danemark (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  8. a b c d Boissieu, Laurent de. Élections européennes Italie (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  9. a b Boissieu, Laurent de. Élections européennes Pays-Bas (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  10. a b Boissieu, Laurent de. Élections européennes Espagne (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  11. Boissieu, Laurent de. Élections européennes Royaume-Uni (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  12. Boissieu, Laurent de. Élections européennes Irlande (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  13. Boissieu, Laurent de. Élections européennes Portugal (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia