Guerra Eritreia-Etiópia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra Etiópia-Eritreia
Parte da(o) Conflitos no Chifre da África
Data 1998-2000
Local Fronteira Eritreia-Etiópia
Desfecho Vitória militar etíope, vitória dos eritreus no Tribunal Internacional [1]
Combatentes
Eritreia  Etiópia
Principais líderes
Sebhat Ephrem Tsadkan Gebre-Tensae[2]
Vítimas
Estimativas variam:
19,000;[3] [4]
20-50,000[5]
67,000[6]
150,000[7]
Estimativas variam:
34,000[8]
60,000[9]
123,000[10] [11]
150,000[7]

A guerra entre a Etiópia e a Eritreia começou em maio de 1998 e durou pouco mais de dois anos, até junho de 2000. A Eritreia e Etiópia - dois dos países mais pobres do mundo -, gastaram centenas de milhões de dólares na guerra, [12] [13] [14] e causou dezenas de milhares de vítimas, como consequência direta do conflito, [15] , que buscava pequenas mudanças de fronteira.

Desde 1962, ou seja, quando os britânicos deixaram a região, a Eritreia vinha lutando pela independência da Etiópia até 1991, quando foi realizado um referendo que conduziu a uma separação pacífica, em 1993. No entanto, o acordo de ambas as partes não tinha definido em vários pontos a demarcação definitiva de uma fronteira comum.

No entanto, poucos anos depois, ambos os países começaram a ter sérias divergências sobre as fronteiras, ao ponto que, em 6 de maio de 1998 as tropas da Eritreia ocuparam e anexaram a região de Badme. Isto levou a pequenos confrontos que foram usados pela Eritreia para acusar a Etiópia pelos assassinatos de vários oficiais da mesma e invadiu com um grande número de forças o seu vizinho. [16] A Etiópia declarou guerra e mobilizou o seu exército com o objetivo de contra-atacar.

Em 12 de Dezembro de 2002, os adversários concordaram em um acordo de paz e de arbitragem vinculativo de seus litígios sob os termos do acordo de Argel. É definida uma zona de segurança temporária de 25 km, desmilitarizada, dentro da Eritreia, ocupada pelas tropas de paz das Nações Unidas. Estima-se que entre 53.000 e 300.000 pessoas morreram na guerra.

A arbitragem obrigatória decidiu que a cidade de Badme pertencia a Eritreia, [17] com uma relutância inicial, no lado etíope que finalmente aceitou de jure, mas ainda se recusa a aplicá-lo eficazmente. Em fevereiro de 2005, forças etíopes mecanizadas foram posicionadas perto da fronteira e o nível de acusações mútuas entre os dois lados aumentaram. Em 2009, a Etiópia ainda ocupa o território.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Zane, Damian. Ethiopia regrets Badme ruling, BBC, 3 April 2003.
  2. David Hamilton Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia. The Scarecrow Press, inc.: Lanham, Maryland; Toronto; Oxford, 2004, pp.387-8.
  3. Claimed by President Isaias Afeworki, 2001. Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia, p.149
  4. "Eritrea reveals human cost of war", BBC News, 20 June 2001. Página visitada em 2007-03-12.
  5. Banks, Arthur; Muller, Thomas; and Overstreet, William, ed. Political Handbook of the World 2005-6 (A Division of Congressional Quarterly, Inc.: Washington, D.C., 2005), p.366. 156802952-7
  6. Claimed by Chief of Staffs of ENDF, Tsadkan Gebre-Tensae. Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia, p. 149.
  7. a b Former U.S. Ambassador: Eritrea and Ethiopia Unlikely To Resume War
  8. Claimed by Chief of Staffs Tsadkan Gebre-Tensae. Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia, p. 149.
  9. Claimed by Major General Samora Yunis. Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia, p. 149.
  10. Claimed on 8 April 2002 by the Voice of the Democratic Path of Ethiopian Unity, an Ethiopian clandestine opposition group operating from Germany. The claim also stated that each family that lost a member in the war would receive $350 in indemnity, but this number has not been verified, although it has been often cited by other groups (see Number of war dead soldiers reportedly 123,000 – internet news message; and clandestineradio.com audio button), and no indemnities have been paid Desde de 2007. Shinn, Historical Dictionary of Ethiopia, p. 149
  11. "Ethiopia: Number of war dead soldiers reportedly 123,000", Wonchif, 2001-04-10. (em Amharic)
  12. Will arms ban slow war? BBC 18 May 2000
  13. Nicole Winfield, (Associated Press). UN hints at sanctions if Eritrea and Ethiopia do not end fighting, The Independent, 13 May 2000
  14. Staff. Ethiopia rejects war criticism, BBC, 14 April 2000
  15. Tens of thousands
  16. International commission: Eritrea triggered the border war with Ethiopia
  17. http://www.un.org/NewLinks/eebcarbitration/