Guerra Lamiaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Guerra Lamiaca foi um conflito militar na Grécia Antiga, opondo uma aliança de cidades gregas lideradas por Atenas contra os macedônios que partilharam o império de Alexandre, especialmente Antípatro e Crátero.

Início[editar | editar código-fonte]

A guerra se iniciou, segundo Jerônimo de Estridão, no segundo ano da 114a olimpíada (323 a.C.), no ano seguinte à morte de Alexandre (324 a.C.).[1]

Leóstenes, ateniense, foi o comandante das forças gregas (Atenas e aliados), e derrotou os macedónios na Beócia [2] [3] e nas Termópilas,[2] e os forçou a se recolherem a Lâmia, onde eles foram sitiados.[2] [4] [3]

Sítio de Lâmia[editar | editar código-fonte]

Durante o sítio a Lâmia, Antípatro, comandante macedônio, ordenou um ataque contra os atenienses que estavam escavando em volta das muralhas; Leóstenes foi participar da batalha, foi atingido na cabeça por uma pedra, e morreu três dias depois.[5]

Leonato veio da Ásia com uma força de macedônios, mas foi derrotado e morto na Tessália.[6] Logo em seguida chegou Crátero com outras tropas da Ásia, e derrotou os gregos;[7] após a derrota, várias cidades gregas desertaram a aliança.[8]

Ataque a Atenas[editar | editar código-fonte]

Antípatro marchou diretamente contra Atenas, e Demóstenes e Hipereides fugiram da cidade.[9] Dêmades, que havia sido multado sete vezes e tinha perdido a cidadania, aproveitou a situação para organizar uma embaixada a ser enviada a Antipatro;[9] o escolhido foi Fócio,[10] de oitenta anos de idade, e que havia se oposto à guerra.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Após a derrota dos gregos na guerra,[11] Antípatro, para voltar logo para a Ásia, queria fazer logo a paz com gregos, sem se importar se Atenas e o resto da Grécia permanecessem livres.[11] Dêmades e outros traidores de Atenas,[Nota 1] porém, o convenceram a não ser gentil com os gregos, e, ao colocar medo nos atenienses, foram a causa de guarnições macedônias serem colocadas em Atenas e na maioria das outras cidades.[11]

Notas e referências

Notas

  1. Conforme Pausânias, Dêmades é um traidor.

Referências

  1. Jerônimo de Estridão, Crônica
  2. a b c Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 1.1.3
  3. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 23.4
  4. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Demóstenes, 27.1
  5. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVIII, 13.5
  6. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 25.5
  7. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 26.1
  8. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 26.2
  9. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 26.3
  10. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Fócio 26.4
  11. a b c Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 7.10.4