Guerra do Kosovo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra de Kosovo
Parte da(o) Dissolução da Iugoslávia;
Conflito sérvio-albanês
Kosovo War header.jpg
Data 26 de Fevereiro de 1998 – 10 de Junho de, 1999[1]
Local Kosovo, Sérvia, República Federal da Iugoslávia
Desfecho Tratado de Kumanovo
Retirada militar sérvia
Sérvia mantêm soberania
administração temporária das Nações Unidas
Combatentes
UCK KLA.png Exército de Libertação do Kosovo
FARK
Apoiado por:
Albânia Albânia[2]
Flag of NATO.svg Forças da OTAN:
 Estados Unidos
 Reino Unido
 Alemanha
 França
 Itália
 Canadá
 Portugal
Flag of Spain.svg Espanha
 Dinamarca
 Noruega[3]
 Turquia[4]
 Países Baixos
 Bélgica
e outras forças aéreas, marítimas e terrestres da OTAN
KFOR Logo Armpatch.JPG KFOR
Sérvia e Montenegro República Federal da Iugoslávia
Apoiado por:
 Rússia
 Grécia
Principais líderes
UCK KLA.png Adem Jashari
UCK KLA.png Sylejman Selimi
UCK KLA.png Agim Çeku
Tahir Zemaj (FARK)
Flag of NATO.svg Wesley Clark
Sérvia e Montenegro Slobodan Milošević
Forças
UCK KLA.png 9.000-40.000 (1998)[5]
UCK KLA.png 5.000-30.000 (1999)[6]
KFOR Logo Armpatch.JPG 30.000 (2003)[7]
3.000 FARK (1999)[8]
80 aviões da OTAN[9]
97.000 tropas (1998)[10]
80.000 milicianos (1998)[10]
Vítimas
1998-2005:
4.000 a 12.000 mortos[7]
200.000 deslocados[7]

O termo Guerra do Kosovo ou Conflito do Kosovo é usualmente usado para descrever dois conflitos armados e seguidos na província sérvia.

Estes conflitos foram:

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Mapa de Kosovo.

A tensão entre separatistas de origem albanesa e o governo central da Iugoslávia, liderado pelo presidente nacionalista Slobodan Milosevic aumentou ao longo de 1998. Guerrilheiros do Exército de Libertação do Kosovo(ELK)[12] intensificaram as suas acções contra alvos sérvios e passaram a controlar partes da província. A reação de Belgrado despertou preocupação na comunidade internacional, como suspeitas de atrocidades por parte do exército Iugoslavo.

Reunião na França[editar | editar código-fonte]

Apesar de Milosevic ter decretado cessar-fogo em Dezembro daquele ano, a violência continuou. Um grupo de contacto entre sérvios, líderes da comunidade albanesa em Kosovo e representantes das principais potências mundiais foi formado para negociar um acordo de paz que colocasse fim aos conflitos entre os guerrilheiros do ELK e as forças iugoslavas de Slobodan Milosevic. O tratado previa a autonomia de Kosovo, a retirada das forças sérvias da província e a presença de tropas de paz, sob o comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte, para monitorar o acordo caso ele entrasse em vigor.

A reunião realizada em fevereiro de 1999, na região no castelo de Rambouillet, na França, fracassou.[13] Os diplomatas sérvios aceitavam conceder autonomia ao Kosovo,[14] mas essa fora rejeitada pelos independentistas albaneses.[15] Inversamente, os sérvios recusavam a presença da OTAN no território, a qual era desejada pelos albaneses.[16]

Início da guerra da OTAN contra Belgrado[editar | editar código-fonte]

Após fracassar as negociações de paz sobre o conflito separatista, a Otan atacou a Iugoslávia em 24 de março 1999,[17] [18] dando início à Guerra do Kosovo. A Otan exigia que Milosevic aceitasse as bases do acordo de paz de Rambouillet.[19] A ofensiva começa com ataques a alvos militares, mas a estratégia ampliou ações contra estúdios de televisão, pontes, fábricas e o sistema de electricidade da Sérvia.

Fim da guerra[editar | editar código-fonte]

Prédio do Exército destruído na "Operação Força Aliada".

Após 79 dias de bombardeios, em 3 de Junho de 1999, os líderes ocidentais e Milosevic chegaram a acordo para o fim da guerra: as tropas sérvias iriam retirar-se e permitir o estacionamento de uma força internacional de paz no Kosovo.[20] Em 10 de Junho, a cúpula militar da Iugoslávia assinou o acordo para encerrar o conflito.[21] [22]

Após a entrada das tropas da OTAN em Kosovo, foi instaurado um governo provisório, sob tutela da ONU. A maioria dos soldados do exército iugoslavo deixou a província, e ao mesmo tempo em que refugiados de origem albanesa iniciaram retorno ao território,[23] cerca de 200 mil sérvios fugiram para a Sérvia[24] por temerem represálias.[25]

Referências

  1. Kosovo War Historyorb.com
  2. Albanian Telegraphic Agency: Skirmish in Qafe Prush, 2 May 1999
  3. Norske jagerfly på vingene i går
  4. Turkish Air Force Hvkk.tsk.tr. Visitado em 24 de março de 2009. Cópia arquivada em 13 de maio de 2009.
  5. International Crisis Group: An Army for Kosovo?, Europe Report N°174, 28. Julio de 2006, S.3
  6. Uppsala conflict data expansion. Non-state actor information. Codebook pp. 359-360.
  7. a b c Armed Conflicts Report - Yugoslavia
  8. Forcat e Armatosura të Republikës së Kosovës facts - Freebase
  9. 60xDeutschland » Die Bundeswehr zieht in den Krieg
  10. a b Safe World - Report: Small arms and light weapons in the Federal Republic of Yugoslavia, Ian Davis, 2002, pp. 40
  11. "Operação Força Aliada" - em inglês
  12. Saiba o papel do ELK na crise - Folha de S.Paulo, 17 de Junho de 1999
  13. Resolução sobre a situação no Kosovo - Parlamento Europeu, 11 de Fevereiro de 1999
  14. Princípio de acordo é firmado - Folha de S.Paulo, 08 de Fevereiro de 1999
  15. Rebeldes de Kosovo insistem em independência e dificultam acordo -Folha de S.Paulo, 22 de Fevereiro de 1999
  16. "Da Federação aos protectorados europeus" - Catherine Samary, Le Monde Diplomatique, Janeiro de 2006
  17. Otan ataca a Iugoslávia com mísseis; país promete resistir - Folha de S.Paulo, 25 de Março de 1999]
  18. Otan cumpre ameaça e ataca a Iugoslávia - JC Online, 25 de Março de 1999
  19. Otan ataca a Iugoslávia - Deutsche Welle, 1999
  20. Iugoslávia recua e aceita acordo de paz para Kosovo - Folha de S.Paulo, 04 de Junho de 1999
  21. Otan prepara suspensão de bombardeios Folha de S.Paulo, 10 de Junho de 1999
  22. Acordo militar visa impedir "vácuo de poder" Folha de S.Paulo, 10 de Junho de 1999
  23. Saiba mais sobre os refugiados - Folha de S.Paulo, 16 de Junho de 1999
  24. Vingança e humilhação ameaçam paz - Folha de S.Paulo, 16 de Junho de 1999
  25. Principais momentos históricos da Iugoslávia - BBC Brasil, 30 de Agosto de 2001

Ligações externas[editar | editar código-fonte]