Guerra popular prolongada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Guerra popular (em chinês: 人民 战争), também chamada guerra popular prolongada é uma estratégia político-militar criada por Mao Tse-tung. O conceito básico por trás da guerra popular é manter o apoio da população e atrair o inimigo para o interior, onde a população pode sangrar-los por uma mistura de guerra móvel e guerra de guerrilha. O termo é usado pelos maoístas para sua estratégia de luta armada revolucionária a longo prazo.

A Guerra popular prolongada diz que em países semicoloniais e semifeudais, as forças revolucionárias se iniciam débeis e pequenas em relação às forças do governo, onde os enfrentamentos diretos levariam a derrota. Portanto, a princípio se leva a cabo a guerra de guerrilhas, para derrotar e debilitar as forças do Estado em combates pequenos, e ao longo de um processo prolongado, vão se acumulando apoio popular, fortalecendo crescendo e estendendo as zonas de controle. A construção de bases de apoio no campo e estabelecimento de controle militar e autoridade política que permite aos revolucionários cercar as cidades pelo campo e tomar o poder em todo país.

No início a guerra popular, se desenvolveu com um período relativamente longo de defensiva estratégica, durante a qual as forças revolucionárias teriam que acumular força através da guerra de guerrilhas. Logo a luta armada avançou a etapa de equilíbrio estratégico, onde as correlações de forças eram relativamente equilibradas, onde um não poderia derrotar o outro, e os combates se caracterizaram como guerra de movimento e guerra de posições em maior escala.