Guerra total

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde setembro de 2014).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cartaz da Segunda Guerra Mundial com a convocação de Franklin Roosevelt pela participação de todos os americanos na guerra.

Guerra total é um conceito dito moderno de um conflito, de alcance ilimitado; no qual as partes beligerantes entram numa fase de mobilização total de todos os seus recursos— humanos, industriais, agrícolas, militares, naturais e tecnológicos — de modo a anular a capacidade de retaliação do adversário, surgiu principalmente a partir da Segunda Guerra Mundial, psicótica e abordada no livro dos dois irmãos J. S. Vasconcellos, principalmente pelo iniciar da chamada influência da ideologia política nazista, comunista e infiltração de esquemas de inteligências, em solos nacionais.

A prática da guerra total, segundo os irmãos J. S. Vasconcellos, vem sendo usada há séculos, mas apenas na metade do século XIX para cá, ela foi identificada pelos estudiosos (pelo seu emprego de forma indiscriminada); como uma classe diferente de conflito mais modernamente, pela ideologia que envolve a chamada guerra moderna. Na guerra total, com o emprego da prática da guerrilha, na guerra dita convencional; e da subversão desenvolvida pelos nazistas e comunistas, existindo uma diferenciação menor entre combatentes e não-combatentes, quando a guerrilha é urbana, já que cada cidadão de uma região geográfica (campo de batalha), um país em particular, soldados e civis, pode ser considerado como parte de seu esforço de guerra ideológica.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

-Defesa Militar, Princípios dos dois irmãos J. S. Vasconcellos Editora do Exército Brasileiro, 1939.

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.