Guga de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Augusto Oliveira - mais conhecido por Guga de Oliveira (Osasco, 6 de abril de 1941) é um cineasta, crítico de cinema e produtor de televisão brasileiro, tendo realizado a primeira novela independente da televisão brasileira, Cortina de Vidro, exibida pelo SBT entre 1989 e 1990.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Orlando, morreu quando era criança, sendo criado pela mãe viúva, Joaquina, ao lado do irmão, José Bonifácio. Ainda na juventude foi praticante de esportes, chegando a integrar a seleção paulista de basquete com a qual foi campeão nacional, em 1957.[1]

Por indicação do irmão trabalha na gravadora RGE, e também toca maracas no conjunto do maestro italiano Simonetti. Tendo escrito uma crítica sobre o filme Candelabro Italiano, de 1962, esta foi publicada no jornal O Estado de São Paulo, para o qual passou a colaborar e, dali, também na Editora Abril, onde foi um dos redatores no lançamento da revista Cláudia.[1]

Ainda no começo da década de 1960 trabalha numa agência de publicidade, onde conhece sua primeira esposa, Neide, com quem teve duas filhas. A relação dura até 1969, separando-se da mulher, grávida do terceiro filho do casal; neste ano conhece Thais, que também tem uma filha sua - Ana Carolina - ambos nascidos em 1971. Com ela viria a ter outro filho, em 1974.[1]

Estabelece com outros colegas, na capital paulista, uma produtora de filmes independente, chamada Blimp, que foi idealizadora de programas como Fantástico e Globo Repórter. Na produção cinematográfica realizou diversos documentários e filmes, como Sargento Getúlio, sendo premiado em várias ocasiões.[1]

Em 1978 ingressa pela primeira vez na televisão, reformulando o setor jornalístico da Rede Tupi. A emissora vem a falir pouco tempo depois, por conta das disputas internas, e Carlos Augusto é convidado para comandar a instalação da Rede Bandeirantes de Televisão, a partir de três emissoras pertencentes ao empresário João Saad: a este tempo o irmão Boni cuidava da reformulação da Rede Globo, pelo que os dois passaram a ser concorrentes e responsáveis pelos dois maiores canais televisivos do país de então.[1]

Em 1981 sai da emissora e participa, com Roberto Marinho, da instalação da produtora Globotec, responsável pela criação de aberturas das novelas, especiais e documentários da emissora, no qual se destaca o Roberto Carlos Especial do ano seguinte, que teve por temática Carlitos.[1]

Separou-se da segunda mulher, em 1986, ano em que conhece Valéria, sua terceira e última mulher, com quem teve uma filha. Em 1989 produz a primeira telenovela brasileira independente, exibida pelo SBT, Cortina de Vidro, em que trabalharam além de Valéria a filha Carola, falecida em 2011.[1] [2]

Dentre seus projetos está a realização de um filme sobre a vida de Silvio Santos.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h Biografia, in: Museu da Pessoa, por Valéria Balbi, nov/2005 (acesso em 1 de março de 2011)
  2. Os Melhores Espetáculos do Cinema Agora em sua Casa, Aramis Millarch, 21 de outubro de 1989 (in: Estado do Paraná, pg 11). Acesso em 1 de março de 2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.