Guigues III de Albon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guigues III de Albon
Conde de Albon
Escudo do Brasão de armas do Condado de Albon
Nome completo
Guigues III de Albon
Pai Hérivée de Châtillon
Nascimento entre 1050 e 1060
Morte 1133

Guigues III de Albon (entre 1050 e 1060 - 1133) [1] foi o Conde de Albon entre os anos de 1079 e 1133.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Guigues é considerado o primeiro Conde de Albon, pois apesar deste território se encontrar há muito na posse da sua família, o mesmo só foi elevado á categoria de condado em 1079.

O seu governo foi marcado por uma luta contínua entre ele e o bispo de Grenoble, São Hugo de Châteauneuf (Châteauneuf-sur-Isère, 1053 - 1 de abril de 1132), pela posse da suserania e propriedade da igreja que Guigues possui, incluindo Grésivaudan, nos Alpes.

São Hugo de Châteauneuf, tomou posse do bispado em 1078 e sempre foi um forte apoiante da reforma gregoriana. Tem como argumento que as posses de Albon foram usurpadas da "sua" Igreja, com a ajuda do Bispo de Mallen.

Para voltar ao poder sobre o que considera ser seu por direito, o prelado não hesitou em argumentar sobre a reconquista da diocese de Grenoble pela forma das armas á mão e pela iniciativa do Bispo Isarn ao poder sarraceno instalado.

Esta rezão encontra-se no preâmbulo de uma série de documentos onde procura determinar o estado das propriedades da igreja, conhecida sob o nome de cartulários de São Hugo. Ao fim de anos de desacordo foi finalmente assinado um entendimento entre o bispo e o condado, documento esse assinado em 1099. Neste documento Guigues restaura os dízimos da igreja e o bispo reconhece a partilha dos poderes seculares e religiosos em Grenoble e demais região[2] .

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

foi filho de Guigues II de Albon (1025 - janeiro de 1095) e de Ida de Forez. Casou-se em 1095 com Matilde de Hauteville, filha de Rogério I da Sicília[3] [4] e do 2º casamento deste com Eremburga de Mortain. Deste casamento nasceram:

  1. Guigues IV de Albon (1095 - La Buissière, 1142), Conde de Albon, casado com Marguerite de Bourgonha (1164 - 1163), filha de Estêvão I de Borgonha (106527 de Maio de 1102) e de Beatriz da Lorena,
  2. Humbert de Albon (? - 1147), Arcebispo de Viena,
  3. Gersenda de Albon foi casada com Guilherme III de Forcalquier[5] (? - 1129), conde de Forcalquier,
  4. Matilde de Albon, casada cerca de 1135 com Amadeu III de Saboia o Cruzado (1095Nicosia, 30 de Agosto de 1148), filho de Humberto II e Gisela da Borgonha [6] , conde de Saboia.
  5. Beatriz de Albon, (c. 1100 -?), casou-se Josserand Die (c. 1095 - c. 1147).

Referências

  1. Le comté d'Albon devint plus tard le Dauphiné. Il est certain que ce mariage l'aida à revendiquer une partie de la Provence pour former le comté de Forcalquier
  2. Os Guigues
  3. Roger de Hauteville (em inglês)
  4. Ruggero d'Altavilla (1031-1101) (em italiano)
  5. Les interrogations se posent à propos de sa numérotation, qui n'est pas contemporaine, mais attribués par les historiens quelques siècles plus tard. Il est classiquement numéroté Guillaume III, mais sur des critères qui restent inconnus. C'est le premier Guillaume à ne plus être comte de Provence et seulement comte de Forcalquier. Si l'on prend en compte les Guillaumes qui furent comte de Provence, il serait Guillaume VI. Si l'on ne prend que les Guillaume de sa lignée il serait Guillaume IV.
  6. Amadeu III, Conde de Saboia - Casa de Saboia.