Guilherme de Württemberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guilherme de Württemberg
Duque de Württemberg
Pai Eugénio de Württemberg
Mãe Helena de Hohenlohe-Langenburg
Nascimento 20 de Julho de 1828
Bad Carlsruhe, Alta Silésia
Morte 5 de Novembro de 1896 (68 anos)
Tirol, Áustria

Guilherme de Württemberg (Guilherme Nicolau), (20 de Julho de 1828 - 5 de Novembro de 1896) foi um general austríaco e de Württemberg.

Primeiros anos e família[editar | editar código-fonte]

O duque Guilherme nasceu em Carlsruhe, no Reino da Prússia, uma cidade que actualmente pertence à Polónia. Foi o primeiro filho do segundo casamento do duque Eugénio de Württemberg com a princesa Helena de Hohenlohe-Langenburg. Guilherme tinha três meios irmãos do primeiro casamento do pai com a princesa Matilde de Waldeck e Pyrmont. Foi o primeiro membro da família Württemberg a frequentar a escola pública em Breslau.

Carreira militar[editar | editar código-fonte]

Serviço na guerra[editar | editar código-fonte]

Depois de estudar em Genebra, Bonn, Guilherme juntou-se ao exército austríaco em 1848 na posição de tenente do Regimento de Infantaria Kaiser Francisco José N.º 1 em Viena. Durante a Primeira Guerra de Independência Italiana (1848-1849), o duque foi ferido várias vezes. Como reconhecimento da sua bravura, o marechal-de-campo Joseph Radetzky von Radetz promoveu-o a capitão no regimento de infantaria N.º 45.

Em 1853, Guilherme tornou-se major, entre 1857 e 1859 foi coronel-tenente e coronel e comandante do regimento de infantaria N.º 27 Rei dos Belgas. Também lutou durante a Segunda Guerra de Independência Italiana (1859). Na Batalha de Magenta, impressionou ambos os seus superiores, o major-general Wilhelm Ramming e o marechal-de-campo Eduard Clam-Gallas, bem como os seus inimigos. Os generais franceses Gustave Lannes de Montebello e Pierre Louis Charles de Failly mencionaram-no algumas semanas mais tarde numa reunião contra o tenente marechal-de-campo príncipe de Hesse.

Em 1866, Guilherme lutou na Guerra Austro-Prussiana como major-general e a sua brigada juntou-se ao Exército do Norte e lutou nas batalhas de Königgrätz, Swiepwalde, Blumenau e Bratislava.

Depois da campanha, chegou com a sua brigada a Trieste. Em 1869 tornou-se comandante da 11.ª Divisão da Infantaria em Praga, a 24 de Outubro de 1869 foi promovido a tenente-marechal-de-campo. Na Guerra Franco-Prussiana, Guilherme lutou do lado alemão contra a França e em 1878 lutou na Guerra Russo-Turca.

Bósnia e Herzegovina[editar | editar código-fonte]

Em 1878, durante a ocupação Austro-Húngara da Bósnia e Herzegovina, Guilherme lutou (novamente do lado austríaco) em Rogelj e Jaice. Devido ao seu excelente trabalho, o imperador Francisco José I nomeou-o Feldzeugmeister e general-comandante da 18.ª Corporação do Exército. A sua tarefa era submeter-se ao ocidente e restaurar a paz na Bósnia. Em 1878, foi nomeado para organizar os territórios militar e politicamente. Prestou serviço como governador da Bósnia e Herzegovina entre 1878 e 1881.

Criou um plano para desenvolver os interesses militares e económicos dos territórios, assim como um grande número de estradas de comunicação. O sistema escolar, principalmente o Knabenpensionat com uma organização militar em Sarajevo, desenvolvido em pouco tempo, bem como todos os outros ramos de administração e justiça.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Em 1883, Guilherme era o general-comandante da XI Corporação de Lemberg. Em 1889, tornou-se comandante do 3.º Armeekorps em Graz. Em 1891, retirou-se da vida militar devido à morte do rei Carlos I de Württemberg, sucedido pelo rei Guilherme II que não tinha herdeiros, o que fez com que Guilherme se tornasse herdeiro do trono de Württemberg.

Guilherme era general da Infantaria À la suite do Regimento de Granadeiros "Rei Carlos" (5 Wurttemberg) No. 123 e Coronel Real da Infantaria Prussiana no Regimento de Herwarth Bittenfeld (1.º Vestefália) N.º 13.

Como membro da Casa de Württemberg, era membro dos Estados de Württemberg.

Morte[editar | editar código-fonte]

Guilherme morreu solteiro. As consequências dos seus ferimentos de guerra e um acidente de carro em Itália afectaram a sua saúde. Morreu durante um período de férias no Tirol.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Guilherme de Württemberg em três gerações[1]
Guilherme de Württemberg Pai:
Eugénio de Württemberg
Avô paterno:
Eugénio Frederico de Württemberg
Bisavô paterno:
Frederico Eugénio II, Duque de Württemberg
Bisavó paterna:
Sofia Doroteia de Brandemburgo-Schwedt
Avó paterna:
Luísa de Stolberg-Gedern
Bisavô paterno:
Cristiano Carlos de Stolberg-Gedern
Bisavó paterna:
Leonor de Reuss-Lobenstein
Mãe:
Helena de Hohenlohe-Langenburg
Avô materno:
Carlos Luís I de Hohenlohe-Langenburg
Bisavô materno:
Cristiano Alberto de Hohenlohe-Langenburg
Bisavó materna:
Carolina de Stolberg-Gedern
Avó materna:
Amália de Solms-Baruth
Bisavô materno:
João Cristiano II de Solms-Baruth
Bisavó materna:
Frederica Luísa de Reuss-Köstritz

Referências