Guilherme Durando

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gulielmus Durandus)
Ir para: navegação, pesquisa
Guilherme Durando
(1230-1296)
Data de nascimento 1230
Local de nascimento Puimisson, perto de Béziers,  França
Data de falecimento 1 de novembro de 1296
Local de falecimento Roma,  Itália
Ocupação Humanista, jurista, teólogo, eclesiástico, canonista, liturgista e bispo francês.
Alma mater Universidade de Bolonha
Universidade de Módena

Guilherme Durando (sinonímia: Guillaume V Durand, Guilherme Durand, William Durand, Guglielmo Durand, Wilhelmus Durantis) (* 1230 - † Roma, 1 de Novembro de 1296), foi humanista e eclesiástico francês, tendo sido nomeado em 24 de Abril de 1285 Bispo de Mende, em Gévaudan, é também autor da obra Speculum judiciale (Espelho judicial).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Guilherme Durand nasceu na cidade de Puimisson, na diocese de Béziers. Estudou em Lyon, tendo Henrique de Susa[1] como seu professor. Em 1251 é nomeado cânone de Maguelone e tornou-se Doutor em Teologia em 1255.

Foi durante algum tempo professor de Direito em Módena. Depois, retorna para Roma onde atua como capelão apostólico e auditor geral das causas do palácio pelo papa Clemente IV. Foi administrador do patrimônio de São Pedro durante o pontificado de Gregório X, mas, desperta uma revolta, devido ao rigor com que tratava os negócios da Igreja, e se vê compelido a deixar a Itália.

Em 24 de Abril de 1285 torna-se bispo para o capítulo da catedral de Mende, no entanto, devido ao cargo que exercia junto ao Papa Honório IV chega à cidade somente em 14 de Julho de 1291. Em 1295 recusa o cargo de Bispo de Ravena, que lhe fora oferecido pelo papa Bonifácio VIII, mas aceitou a tarefa de pacificar as antigas províncias de Romagna e a Marca de Ancona.

Em 1296 retirou-se para Roma, onde faleceu em 1 de Novembro de 1296. Foi sepultado na Igreja de Santa Maria sopra Minerva.

Ele tinha um sobrinho homônimo[2] que lhe sucedeu como Bispo de Mende. Este último, dentre outras coisas, fundou um colégio de padres sob a invocação de Todos os Santos.

Obras[editar | editar código-fonte]

Guilherme Durand foi autor de obras que estiveram em moda durante a Idade Média

  • Speculum judiciale (Espelho judicial, 1271), que lhe valeu o apelido de Spéculateur, trata-se de um esboço sobre leis canônicas, criminais, e civis.
  • Rationale divinorum officiorum (Análise racional do serviço divino, c1286), um dos primeiros livros a serem impressos (Mogúncia, 1459).
  • Repertorium iuris canonici (Breviarium aureum), uma coletânea de citações dos canonistas sobre questões polêmicas, frequentemente publicadas junto com o Speculum.
  • Commentarius in sacrosanctum Lugdunense concilium (editada em Fano, 1569), obra valiosa devido a participação de Durandus na elaboração das constituições deste concílio (1274), e inseridas por Bonifácio VIII dentro do Liber Sextus.
  • Joseph-Victor Leclerc (1789-1865)[3] , tradutor, latinista e retórico francês, dedicou a ele um registro acadêmico em sua obra
    Histoire littéraire de la France (História literária da França) by Google Books e Internet Archive.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Henrique de Susa (1210-1271) (* Susa, 1210 - † Lyon, 25 de Outubro ou 6 de Novembro de 1271), também conhecido como Henricus de Segusio e cujo nome original era Enrico da Susa, foi um cardeal italiano e professor de Direito Canônico da Universidade de Bolonha.
  2. Guillaume Durand VI, Bispo de Mende e sobrinho de Guilherme V Durand, foi embaixador, canonista e reitor da Universidade de Toulouse. Morreu por volta do ano 1330.
  3. Joseph-Victor Leclerc (1789-1865) - Google Books

Veja também[editar | editar código-fonte]

Anexo:Lista de humanistas do Renascimento