Gunga Din

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gunga Din
 Estados Unidos
1939 • P&B • 117 min 
Direção George Stevens
Roteiro Joel Sayre
Fred Guiol
Ben Hecht
Charles MacArthur
Lester Cohen (não creditado)
John Colton (não creditado)
William Faulkner (não creditado)
Vincent Lawrence (não creditado)
Dudley Nichols (não creditado)
Anthony Veiller (não creditado).
Elenco Cary Grant
Victor McLaglen
Douglas Fairbanks, Jr.
Género aventura
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Gunga Din é um filme de aventura norte-americano de 1939 estrelado por Cary Grant e dirigido por George Stevens. Produção da RKO Filmes, baseado vagamente no poema do mesmo nome de autoria de Rudyard Kipling, combinado com elementos da novela Soldiers Three do mesmo autor. O roteiro foi escrito por Joel Sayre e Fred Guiol de argumentos de Ben Hecht e Charles MacArthur além das contribuições não creditadas de Lester Cohen, John Colton, William Faulkner, Vincent Lawrence, Dudley Nichols e Anthony Veiller.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1880, o comando colonial britânico na Índia perde contato com o posto avançado de Tantrapur. O coronel envia um destacamento para consertar o telégrafo e descobrir o que aconteceu, liderado por três sargentos eficientes e indisciplinados: MacChesney, Cutter e Ballantine, amigos de longa data e veteranos do exército. Acompanha o destacamento o humilde nativo carregador de água (bhisti) Gunga Din, que sonha em se tornar um "soldado da Rainha".

Ao chegar em Tantrapur o regimento é atacado por rebeldes indianos. O coronel Weed e o Major Mitchell identificam uma arma dos inimigos como pertencente ao culto Thuggee, uma seita de assassinos adoradores da deusa da morte Kali e dada como destruída há mais de cinquenta anos.

Ballantine quer deixar o exército para se casar mas os outros dois amigos armam planos para que ele desista dessa intenção. Depois, Gunga Din conta ao ganancioso sargento Cutter sobre um templo dourado. Cutter rouba a elefante Annie e parte com Gunga Din até o templo. Ao chegar ele descobre que ali é o local de encontro de centenas de Thugs, liderados por um sanguinário guru. Cutter pede a Din que retorne para avisar os amigos enquanto ele se deixa capturar pelos assassinos e é torturado.

Vale nos Montes Alabama que serviu como a paisagem do Passo Khyber.

Citação[editar | editar código-fonte]

Na última cena é lida a parte final do poema sobre Gunga Din, com a aparição como personagem de Rudyard Kipling, interpretado por Reginald Sheffield:

So I'll meet 'im later on
At the place where 'e is gone --
Where it's always double drill and no canteen;
'E'll be squattin' on the coals
Givin' drink to poor damned souls,
An' I'll get a swig in hell from Gunga Din!
Yes, Din! Din! Din!
You Lazarushian-leather Gunga Din!
Though I've belted you and flayed you,
By the livin' Gawd that made you,
You're a better man than I am, Gunga Din!

(Tradução aproximada):

Eu responderei para você mais tarde
No lugar para onde você foi
Onde o serviço é sempre dobrado e não há cantina
Eu irei vê-lo andar sobre brasas
Dar de beber para as pobres almas condenadas
Eu irei beber um gole no inferno de Gunga Din
Sim, Din!Din!Din!
Você curtido Gunga Din
Embora eu esteja pressionado você foi esfolado
Pelo que você fez
Você é um homem melhor do que eu, Gunga Din!

Ligações externas[editar | editar código-fonte]




Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.