György Konrád

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
György Konrád, 2010.

György (George) Konrád (Debrecen, 2 de abril de 1933) é um romancista e ensaísta húngaro, conhecido como defensor das liberdades individuais e como dissidente durante a dominação soviética em seu país.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma abastada família judia, em 1951, estudou literatura, sociologia e psicologia em Budapest, inicialmente no Instituto Lenin e depois, na Universidade Eötvös Loránd.

Em 1956 participou da Revolução Húngara contra a ocupação soviética.

Trabalhou no Instituto de Planejamento Urbano de Budapest e, depois, no organismo acadêmico de bolsas literárias, mas indispõe-se com o sistema político e é demitido. Em 1976, é preso durante alguns dias. Ficará proibido de publicar seus trabalhos até a mudança do regime, em 1989.

De 1982 à 1984 vive em Berlim. Em 1985, recebe o Prêmio Europeu de Ensaio Charles Veillon, concedido pela Fundação Charles Veillon de Lausanne.

En 1990 é eleito presidente do PEN club international e em 1991 é eleito membro da Academia das Artes de Berlim , da qual será presidente de 1997 a 2003.[1]

Autor de uma dezena de romances traduzidos em quinze línguas, Konrád também publicou ensaios políticos e sociológicos. Em 2001, recebe o Karlspreis, e em 2003 a Großes Verdienstkreuz do governo alemão.

Referências

  1. (em alemão) Página de György Konrád no site da Akademie der Künste.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]