Gymnotus carapo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaCarapó
Ilustração de carapó no livro The naturalist on the river Amazons, de Henry Walter Bates, de 1863

Ilustração de carapó no livro The naturalist on the river Amazons, de Henry Walter Bates, de 1863
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Gymnotiformes
Família: Gymnotidae
Género: Gymnotus carapo
Espécie: G. carapo
Nome binomial
Gymnotus carapo
Carolus Linnaeus, 1758
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Gymnotus carapo
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Gymnotus carapo

Gymnotus carapo (L.), popularmente conhecido como carapó, sarapó, sarapó-tuvira, tira-faca, ituí-terçado, ituipinima e peixe-espada, é um peixe teleósteo caraciforme da família dos gimnotídeos. Ocorre em todo o Brasil. É pardo com faixas escuras. É mais ativo à noite. Alimenta-se de pequenos vermes, lodo e plâncton. Produz pequenas descargas elétricas. No cativeiro, morre facilmente.[1]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Sarapó" procede do tupi sara'pó, que significa "desprende mão", isto é, "desliza da mão".[2] "Tuvira" possui provável origem indígena.[3] "Ituipinima" procede do tupi.[4]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 349.
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 553.
  3. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 730.
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 976.